cartaz 6 aniversrio bmc

História do Sporting Clube da Covilhã
Filipe Fernandes
Terça, 06 Dezembro 2016 00:00

Filipe Fernandes começou a praticar futebol no Desportivo de Castelo Branco, mas as suas qualidades no sector intermediário valeram-lhe o ingresso nos iniciados do SL Benfica, tendo regressado depois à cidade albicastrense para concluir os escalões jovens no Benfica e Castelo Branco, onde ascendeu ao patamar sénior. Após algumas temporadas ao serviço do emblema encarnado de Castelo Branco, Filipe Fernandes rumou ao Campomaiorense para jogar na 2ª Liga, escalão em que também representou FC Marco e Gil Vicente, com uma passagem pelos cipriotas do AEK Larnaca, sendo contratado ao conjunto barcelense pelo Sporting da Covilhã para a temporada 2011/2012. Os serranos disputavam a 2ª Liga e Filipe Fernandes permaneceu no clube até meio da época seguinte, participando em 33 jogos oficiais com a camisola covilhanense, nos quais assinou dois golos, em temporadas pouco vitoriosas para o nosso emblema, visto que a manutenção apenas foi alcançada via secretaria devido aos problemas financeiros de União de Leiria e Naval, respectivamente. Em Janeiro de 2013, Filipe Fernandes voltou ao Benfica e Castelo Branco, onde ainda integra o plantel que disputa actualmente o Campeonato de Portugal. Que recordações existem das actuações de Filipe Fernandes com a camisola serrana?

Actualizado em Terça, 06 Dezembro 2016 09:42
 
SC Covilhã 2 Varzim SC 0
Domingo, 04 Dezembro 2016 00:00

 

Chaby e Estrela disputam a posse de bola

O Sporting Clube da Covilhã somou a segunda vitória consecutiva na Ledman LigaPro ao derrotar o Varzim Sport Club por 2-0, com golos apontados por Chaby e Bokila, numa partida muito disputada e onde não faltaram momentos plenos de emoção para os espectadores presentes no Estádio José Santos Pinto.

A formação covilhanense apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por Mike, Zarabi, Joel e Ofori, ficando Djikiné e Diarra mais recuados no meio campo, com Davidson, Chaby e Luís Pinto no apoio ao avançado Harramiz. Os comandados de Filipe Gouveia assumiram o controlo do jogo logo nos instantes iniciais, mas pela frente tiveram um conjunto poveiro muito compacto na zona defensiva, o que impediu lances de verdadeiro perigo para a sua baliza, merecendo ainda referência a lesão de Luís Pinto aos 10 minutos, sendo substituído por Medarious. O Varzim não estava só preocupado em defender o nulo, tentando algumas acções de contra ataque que tivessem um final feliz, como esteve quase a verificar-se aos 15 minutos, em que uma boa intervenção do guarda-redes Igor Rodrigues impediu o sucesso do remate de Renatinho. No derradeiro quarto de hora da primeira parte, o Covilhã revelou-se mais perigoso, com Chaby a atirar um pouco ao lado aos 37 minutos, como que a afinar a pontaria para o minuto 40, quando o n.º 70 local cobrou um livre directo de forma exemplar e colocou os serranos na dianteira do marcador antes do tempo de descanso. Após o tento covilhanense, os apoiantes varzinistas manifestaram o seu desagrado com os festejos de Chaby e o ambiente aqueceu bastante naquele sector do estádio. Ao intervalo: 1-0.

O guardião Paulo Vítor anula a iniciativa atacante serrana

Para a etapa complementar, o técnico visitante, João Eusébio, operou duas alterações na sua equipa e o certo é que o Varzim surgiu mais forte, não demorando a ameaçar alcançar a igualdade: aos 47 minutos, um livre directo de Jean Felipe fez a bola passar próximo da baliza serrana; e aos 50 minutos, Rui Costa trabalhou bem a redonda na área covilhanense, mas rematou para as mãos de Igor Rodrigues. Aos 53 minutos, numa jogada de Estrela pela direita, Zarabi impediu o cruzamento com o braço, com a arbitragem liderada por Carlos Cabral a assinalar um castigo máximo, no entanto, Jean Felipe não conseguiu converter o penálti em golo, com Igor Rodrigues a rubricar uma excelente defesa. Os visitantes estavam por cima na partida, porém, sofreram uma forte contrariedade aos 60 minutos, pois, Delmiro cometeu uma falta dura sobre Davidson e foi expulso por acumulação de cartões amarelos, permitindo que os covilhanenses ficassem mais confortáveis no jogo em superioridade numérica. Volvidos alguns instantes, os anfitriões estiveram próximos de aumentar a contagem, quando Chaby marcou um livre para o cabeceamento de Mike, que obrigou o guardião Paulo Vítor a uma defesa espectacular para manter a sua equipa com esperanças num resultado positivo. Já com a tarde a parecer noite, o Covilhã foi adiando o segundo golo e deixando algumas reticências no triunfo, algo que ficou em definitivo resolvido aos 88 minutos, com o recém-entrado Bokila a dar a devida sequência à acção desenvolvida por Chaby e Harramiz, colocando assim o desfecho deste encontro em 2-0. Com estes três pontos, o emblema serrano afastou-se dos lugares indesejados da tabela classificativa, esperando-se que a recuperação pontual possa continuar no próximo sábado, quando visitar o terreno do Gil Vicente.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20162017/ledmanligapro/17/2

Actualizado em Segunda, 05 Dezembro 2016 21:50
 
Emanuel
Terça, 29 Novembro 2016 00:00

Emanuel salientou-se nos juniores do Sporting CP pela sua vocação goleadora, sendo emprestado ao Sporting da Covilhã na temporada 1985/1986 para realizar a sua estreia a nível sénior. Emanuel encontrou o nosso clube na 1ª Divisão Nacional, tendo envergado a camisola serrana em 24 jogos oficiais, nos quais apontou três golos, numa época em que o emblema covilhanense não conseguiu evitar a despromoção ao escalão secundário. O avançado de origem senegalesa também participou no único encontro serrano disputada na Taça de Portugal nessa época, visto que Emanuel e colegas foram logo eliminados pelo Peniche, que actuava na 2ª Divisão Nacional. Emanuel prosseguiu depois a carreira por diversos clubes, nomeadamente, Imortal de Albufeira, Sporting CP, Desportivo das Aves, Desportivo de Chaves (com os transmontanos na 1ª Divisão Nacional), Académica, Amora, Varzim, Gouveia e Sp. Mertzig (Luxemburgo), ficando certamente bastantes memórias das suas exibições…

Actualizado em Terça, 29 Novembro 2016 10:44
 
Ac. Viseu FC 0 SC Covilhã 1
Domingo, 27 Novembro 2016 00:00

O Sporting Clube da Covilhã voltou aos triunfos na Ledman LigaPro e logo na condição de visitante, visto que um golo apontado por Luís Pinto aos 86 minutos foi suficiente para vencer o Académico de Viseu Futebol Clube no Estádio do Fontelo, o que poderá ser uma forte motivação para os covilhanenses começarem a subir claramente na tabela classificativa.

O emblema serrano apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por Mike, Zarabi, Joel e Ofori, ficando Djikiné e Diarra mais recuados no meio campo, com Davidson, Chaby e Medarious no apoio ao avançado Harramiz. Os forasteiros procuraram assumir o controlo da partida desde os instantes iniciais, mas os locais não se deixaram dominar e até tiveram o primeiro lance de perigo, quando aos 8 minutos, Yuri cabeceou ao lado da baliza defendida por Igor Rodrigues. É certo que o Covilhã tinha a iniciativa de jogo, porém, sem conseguir delinear acções de grande perigo para as redes de Rodolfo, que apenas em duas situações foi obrigado a relativo trabalho. Aos 28 minutos aconteceu o lance com maior emoção da primeira parte, pois, somente a intervenção de Zarabi perto da linha de baliza impediu os festejos do Académico. Até ao tempo de descanso, o jogo continuou com as mesmas características, ou seja, os serranos com mais bola e os academistas a procurarem alguma distracção do adversário, algo que deixou o nulo a salvo de novas ameaças. Ao intervalo: 0-0.

Na etapa complementar, os comandados de Filipe Gouveia revelaram-se mais perigosos e logo por duas vezes, ambas protagonizadas pelo defesa central Zarabi, que na sequência de pontapés de canto viu os seus remates travados pelo guarda-redes Rodolfo, quando os adeptos serranos já se preparavam para um momento de alegria. Aos 68 minutos, o Académico ainda ficou em maiores dificuldades, visto que Bura cometeu uma falta bastante dura sobre Harramiz e foi expulso com vermelho directo, deixando os locais em inferioridade numérica para o resto do encontro. O conjunto covilhanense pressionou em busca do triunfo, com Medarious a atirar forte para uma boa defesa do brasileiro Rodolfo aos 72 minutos, antecedendo a entrada de Bokila e Luís Pinto para o ataque forasteiro, numa derradeira tentativa de alcançar os três pontos. E o momento tão aguardado pelos apoiantes covilhanenses verificou-se aos 86 minutos, com Chaby a colocar a redonda na direita para Harramiz cruzar para o remate triunfal de Luís Pinto, que assim levou a felicidade às hostes serranas. A partida parecia controlada pelos visitantes, mas sem se livrarem de um susto na última jogada da partida, quando Bruno Loureiro caiu na área serrana numa disputa de bola com Medarious, com o emblema de Viseu a reclamar um penálti que o árbitro Tiago Antunes não concedeu, seguindo-se o seu derradeiro apito neste encontro perante os protestos locais. Com este êxito em terras de Viriato, o Sporting da Covilhã subiu alguns lugares na classificação, igualando, entre outros, o seu opositor da próxima jornada, o Varzim, que visita o Estádio José Santos Pinto no domingo.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20162017/ledmanligapro/16/7

Actualizado em Segunda, 28 Novembro 2016 10:21
 
SC Covilhã 0 CD Aves 2
Quarta, 23 Novembro 2016 00:00

Davidson perseguido por Ericson

Depois de sete jogos consecutivos a pontuar na Ledman LigaPro, o Sporting Clube da Covilhã foi nesta jornada derrotado por 0-2, no Estádio José Santos Pinto, pelo Clube Desportivo das Aves, numa partida em que teve bastantes ocasiões para alcançar um resultado muito diferente, mas no futebol os golos é que contam e neste aspecto foram os nortenhos que tiveram sucesso.

O conjunto covilhanense apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por Mike, Zarabi, Joel e Ofori, ficando Djikiné e Gilberto mais recuados no meio campo, com Davidson, Chaby e Luís Pinto no apoio ao avançado Harramiz. Numa tarde de frio (6ºC), vento e alguma chuva, os comandados de Filipe Gouveia entraram melhor no encontro e ameaçaram pela primeira vez as redes visitantes aos 10 minutos, quando Chaby desviou de cabeça em plena área, só que sem a direcção pretendida. Com o avançar do relógio, o Aves equilibrou o jogo, que passou a desenrolar-se mais no sector intermediário, impedindo assim acções demasiado perigosas para ambas as balizas. Aos 26 minutos, o técnico local foi obrigado a mexer no seu onze por lesão de Ofori, entrando o guineense Agostinho Soares para a sua posição. O Covilhã voltou a crescer na partida após a meia hora e por duas vezes esteve muito próximo de inaugurar o marcador, visto que aos 37 minutos, Harramiz falhou escandalosamente a baliza adversária depois de uma boa iniciativa de Davidson e com o guardião Quim já fora do lance, enquanto aos 45 minutos, o experiente guarda-redes opôs-se com eficácia ao remate de Harramiz em posição favorável para ter êxito. Pelo meio, registou-se a única acção forasteira digna de saliência, quando Barry atirou de longe, mas com visível força, ao lado da baliza serrana. Ao intervalo: 0-0.

Na segunda parte, novamente o emblema covilhanense a surgir com a ambição do triunfo, delineando mais dois lances em que o golo esteve quase a ser uma realidade: aos 59 minutos, um remate cruzado de Davidson foi desviado por Quim para o poste da sua baliza; e aos 61 minutos, na cobrança de um livre directo, Chaby acertou na barra forasteira. E eis que aos 72 minutos acontece uma daquelas surpresas em que o futebol é pródigo, pois, o tento inaugural acabou por ser obtido pela equipa que menos o procurou, isto porque Agostinho Soares derrubou o recém-entrado Renato Reis na área local, com o árbitro Fábio Veríssimo a assinalar a respectiva penalidade, convertida em golo por João Pedro. O Covilhã sentiu de forma notória a desvantagem e nunca mais voltou a ter um rendimento elevado, tendo mesmo sofrido o segundo tento aos 81 minutos, com Nelson Pedroso a apontar um livre para desvio infeliz de Mike para a sua própria baliza. Apesar de todo o esforço dos jogadores serranos, o conjunto nortenho não possibilitou qualquer ameaça séria às suas redes, segurando um precioso triunfo para a luta pela subida à Primeira Liga. Já o Sporting da Covilhã, continua em zona delicada da tabela classificativa, mas a escassos pontos de lugares mais descansados, desejando-se que possa regressar às vitórias no próximo domingo na deslocação ao terreno do Académico de Viseu.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20162017/ledmanligapro/15/6

Actualizado em Quinta, 24 Novembro 2016 10:03
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 1 de 123
ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1088551