História do Sporting Clube da Covilhã
Augusto Mendes
Terça, 13 Novembro 2018 00:00

O defesa central Augusto Mendes tornou-se mais conhecido no mundo do futebol ao representar o Barreirense na 1ª Divisão Nacional, mas depois a sua carreira prosseguiu por diversos clubes do escalão secundário, nomeadamente, Alba, Portalegrense, GD Mangualde e Recreio de Águeda, onde foi recrutado pelo Sporting da Covilhã para a época 1982/1983. Mendes assumiu protagonismo no eixo da defensiva serrana, tendo participado em 27 jogos oficiais, numa temporada difícil para o nosso emblema, que chegou a ocupar o último lugar da Zona Centro da 2ª Divisão Nacional durante algumas jornadas, contudo, uma boa recta final de campeonato possibilitou um lugar a meio da tabela. Augusto Mendes rumou posteriormente ao GD Peniche, regressando em seguida ao Alba, mas certamente que deixou recordações das suas actuações com a camisola serrana…

Actualizado em Terça, 13 Novembro 2018 08:57
 
FC Famalicão 2 SC Covilhã 1
Domingo, 11 Novembro 2018 00:00

O Sporting Clube da Covilhã não conseguiu dar seguimento ao triunfo obtido na passada jornada, visto que foi derrotado por 2-1 no terreno do Futebol Clube de Famalicão, num jogo em que chegou à vantagem bem cedo pelo brasileiro Deivison, mas permitindo a reviravolta local no marcador aos 90+1 minuto, ficando assim impossibilitado de somar qualquer ponto.

Os minhotos entraram em campo com maior vontade atacante, mas sofreram o golo inaugural logo aos 4 minutos através de Deivison, que finalizou na perfeição um contra ataque serrano após um passe de Gilberto. A formação covilhanense sentia-se confortável nesta posição de responder às iniciativas locais, ameaçando aumentar a diferença aos 9 minutos, quando o remate de Adriano Castanheira acertou na barra da baliza de Rafael Defendi. Apesar de alguns remates do Famalicão, as redes defendidas por Vítor São Bento não estiveram realmente em perigo, sendo novamente o Covilhã a rubricar um lance digno de saliência, pois, aos 27 minutos, Mica Silva atirou por cima. Foi já perto do tempo de descanso que os comandados de Sérgio Vieira viram o empate no horizonte, no entanto, São Bento agarrou o cabeceamento de Fabrício. Ao intervalo: 0-1.

Na segunda parte, o conjunto famalicense começou com muita força em busca da igualdade, que só não aconteceu aos 49 minutos devido à grande intervenção de São Bento perante a iniciativa de Walterson. A pressão local deu os seus frutos aos 67 minutos, com o goleador Fabrício (que representou o nosso clube em 2012/2013) a cabecear com êxito um cruzamento de Koffi. O Famalicão partiu de imediato na procura do triunfo, porém, os pupilos de Filó demonstraram uma organização defensiva que dificultou bastante o desejo local, respondendo ainda através de contra ataques, como aos 76 minutos, em que Adriano atirou ao lado. Contudo, a insistência atacante dos minhotos acabou por ser recompensada aos 90+1 minutos, quando o brasileiro Walterson colocou a bola no fundo das redes serranas, fixando o resultado em 2-1, que seria o final após o derradeiro apito do árbitro Cláudio Pereira. Com este desaire, o Sporting da Covilhã regressa aos lugares de despromoção da Ledman LigaPro, de onde se deseja que possa sair já no próximo domingo, quando receber no Estádio José Santos Pinto a Académica de Coimbra.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20182019/ledmanligapro/9/7

Actualizado em Domingo, 11 Novembro 2018 20:43
 
Amessan
Terça, 06 Novembro 2018 00:00

O extremo Amessan chegou ao futebol português através da Académica de Coimbra, que o recrutou na Costa do Marfim para integrar a sua equipa de juniores, passando depois, já a nível sénior, pelo Tourizense, que funcionava como clube-satélite do emblema estudantil. Dentro desse estatuto, Christo Amessan ainda participou em alguns jogos da equipa principal da Académica, mas a meio da época 2010/2011 foi emprestado ao Sporting da Covilhã, que lutava pela manutenção na 2ª Liga. E Amessan revelou-se mesmo um elemento fundamental para os serranos alcançarem esse objectivo, visto que nas 14 partidas em que envergou a camisola do nosso clube apontou cinco golos, que valeram pontos importantes para a permanência no segundo escalão do futebol nacional. A carreira de Amessan prosseguiu depois por outros emblemas, em concreto, Créteil-Lusitanos (França), FC Arouca, Académica, Ethnikos Achnas (Chipre), União da Madeira, FC Famalicão, União de Leiria, RFC Union (Luxemburgo) e Olhanense. Certamente que existirão recordações das arrancadas de Amessan com o emblema covilhanense…


Actualizado em Terça, 06 Novembro 2018 09:42
 
SC Covilhã 1 UD Oliveirense 0
Domingo, 04 Novembro 2018 00:00

Rodrigues pressiona Fati

Depois de cinco jogos consecutivos sem vencer na Ledman LigaPro, o Sporting Clube da Covilhã aproveitou a recepção à União Desportiva Oliveirense para voltar a sentir o sabor dos três pontos, que foram bem difíceis de alcançar numa tarde de chuva e de nevoeiro, visto que o único golo da partida apenas surgiu aos 88 minutos por intermédio do brasileiro Caio Quiroga.

O emblema serrano apresentou-se no Estádio José Santos Pinto com Vítor São Bento na baliza, acompanhado na defensiva por Gilberto, Jaime Simões, Rafael Vieira e Henrique Gomes, com o meio campo ocupado por Rodrigues, Makouta e Diogo Neto, ficando o ataque entregue a Adriano Castanheira, Jean Batista e Deivison. A qualidade do jogo foi afectada pela meteorologia, originando um encontro com muita luta pela posse de bola e pouca emoção junto de ambas as balizas. Numa fase inicial, a formação de Oliveira de Azeméis revelou-se mais adaptada ao relvado, mas nunca esteve em superioridade sobre os covilhanenses, sendo uma partida equilibrada e disputada essencialmente a meio campo. O lance mais perigoso da primeira parte verificou-se aos 27 minutos, quando um livre apontado por Fati obrigou o guardião São Bento a uma defesa a dois tempos, evitando uma possível recarga com sucesso pela equipa visitante. Em cima dos 45 minutos, Serginho pontapeou Jean Batista na cabeça e o árbitro Rui Oliveira puxou do cartão vermelho para o jogador forasteiro, deixando assim a Oliveirense em inferioridade numérica para a etapa complementar. Ao intervalo: 0-0.

No regresso dos balneários, os comandados de Filó instalaram-se no meio campo contrário e colocaram frequentemente a bola junto das redes defendidas por Coelho, que assinou uma intervenção atenta aos 62 minutos perante a iniciativa de Deivison. O Covilhã foi pressionando e o guarda-redes forasteiro tornou-se peça fundamental no nulo que o marcador registava, com dois defesas meritórias no meio do nevoeiro serrano. Aos 82 minutos, na sequência de um livre lateral, Jaime cabeceou um pouco por cima em plena área visitante, no entanto, aos 86 minutos foi a Oliveirense que esteve muito perto de festejar numa acção de contra ataque, com Diogo Valente a falhar a baliza local após um cruzamento da direita. Contudo, e depois deste susto, o golo do triunfo foi mesmo para as cores covilhanenses aos 88 minutos, quando após um canto apontado por Adriano a redonda sobrou para o remate certeiro do recém-entrado Caio Quiroga, que desta forma garantiu os três pontos para as hostes locais. Com este triunfo, o Sporting da Covilhã saiu dos lugares de despromoção da Segunda Liga, seguindo-se uma deslocação ao terreno do FC Famalicão no próximo domingo.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20182019/ledmanligapro/8/3

Actualizado em Segunda, 05 Novembro 2018 10:02
 
Bartolomeu
Terça, 30 Outubro 2018 00:00

Depois de uma época de sucesso ao serviço do SL Cartaxo, naquele tempo a militar na 2ª Divisão Nacional, o avançado Bartolomeu foi apresentado como reforço do Sporting da Covilhã para a temporada 1982/1983. A formação serrana entrava na Zona Centro do escalão secundário com os olhos colocados na parte alta da classificação, mas o campeonato não correu como pretendido e o nosso clube não foi além do 8º lugar, com o guineense Bartolomeu a participar em treze jogos, nos quais rubricou três golos. Bartolomeu prosseguiu depois a carreira por vários emblemas nacionais, nomeadamente, União de Coimbra, GD Peniche, Gil Vicente, O Elvas (no qual marcou nove golos na 1ª Divisão Nacional 1987/1988, sendo dois deles aos serranos), Mirense, SC Vila Real, Lusitânia, Beneditense e Sacavenense. Que lembranças ficaram da veia goleadora de Bartolomeu?

Actualizado em Terça, 30 Outubro 2018 09:52
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 1 de 161
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1532060