História do Sporting Clube da Covilhã
Flávio Paulino
Terça, 20 Outubro 2020 00:00

Flávio Paulino completou os escalões de formação no histórico São Paulo FC, sendo depois emprestado a diversos clubes brasileiros no patamar sénior, rumando posteriormente ao futebol europeu para jogar no emblema búlgaro do Lokomotiv Plovdiv, de onde chegou ao Sporting da Covilhã na temporada 2014/2015, aquela em que o nosso clube por pouco não garantiu o regresso à 1ª Liga. Flávio Paulino envergou a camisola serrana durante uma época e meia, nas quais disputou 25 encontros e apontou três golos, demonstrando qualidade técnica no meio campo, mesmo condicionado por algumas lesões. Depois do conjunto covilhanense, a carreira de Flávio Paulino prosseguiu na Nicarágua, com a camisola do Real Estelí, antes de voltar ao seu Brasil para actuar por várias equipas, sendo a mais recente a URT de Minas Gerais. Que recordações permanecem de Flávio Paulino com as cores serranas?

Actualizado em Terça, 20 Outubro 2020 12:59
 
SC Covilhã 2 UD Vilafranquense 2
Domingo, 18 Outubro 2020 00:00

Gleison pressionado por Léo Cordeiro

O Sporting Clube da Covilhã continua sem conhecer o sabor da derrota sob o comando técnico de Capucho, embora nesta 6ª jornada da Segunda Liga não tenha conseguido melhor do que o empate a duas bolas na recepção à União Desportiva Vilafranquense, com a condicionante de ter actuado cerca de meia hora em inferioridade numérica devido à expulsão de Edwin Banguera.

A primeira parte ficou marcada por dois belos golos no Estádio Santos Pinto: aos 24 minutos, depois de um passe de Filipe Cardoso, Daffé assinou um bom trabalho individual e atirou cruzado para o tento inaugural, colocando assim os serranos em posição de vantagem; e aos 32 minutos, os visitantes chegaram ao empate através de um remate muito vistoso de Leandro Antunes, num resultado que se manteve até ao período de repouso.

Na etapa complementar, o ascendente covilhanense apenas foi invertido a partir dos 63 minutos, pois, nessa altura o árbitro João Gonçalves expulsou Edwin por acumulação de cartões amarelos e o conjunto local ficou reduzido a dez jogadores. Esta situação motivou o emblema de Vila Franca de Xira a procurar mais o ataque, rubricando o seu segundo golo aos 65 minutos, quando após um canto cobrado por Vítor Bruno na direita, a bola entrou nas redes defendidas por Léo Navacchio tocada por Jefferson num lance confuso. Perante este cenário complicado, os serranos acabaram por salvar um ponto através de um tento apontado aos 72 minutos por Gilberto na conversão de um penálti, que resultou da falta de Sparagna sobre Areias. O desfecho de 2-2 faz com que as duas equipas permaneçam empatadas na classificação, integrando o grupo de clubes que estão logo acima do último lugar, com o Sporting da Covilhã a voltar a jogar no próximo domingo, quando se deslocará ao terreno da Oliveirense.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de jogo: https://www.ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20202021/ligapro/6/9

Actualizado em Domingo, 18 Outubro 2020 17:54
 
Paulista
Terça, 13 Outubro 2020 00:00

Paulo Rosland Garcia da Silva é identificado nos meios futebolísticos por Paulista, um avançado brasileiro que representou o Sporting da Covilhã na época 1977/1978, tendo envergado anteriormente as camisolas de Caldas SC e GD Peniche em terras lusitanas. Com o nosso clube a disputar a Zona Centro da 2ª Divisão Nacional, Paulista foi o melhor marcador da equipa nessa única época em que jogou no conjunto covilhanense, assinando onze golos nos 28 encontros em que participou, que muito ajudaram o emblema serrano a alcançar a manutenção através do 10º lugar na classificação. As boas exibições de Paulista com as cores covilhanenses possibilitaram-lhe actuar na 1ª Divisão Nacional na temporada seguinte com o emblema do Académico de Viseu, no entanto, o protagonismo foi menor e acabou por ingressar depois no Recreio de Águeda no escalão terciário, onde também alinhou pela Naval 1º de Maio. Que lembranças persistem da veia goleadora de Paulista na equipa covilhanense?

Actualizado em Terça, 13 Outubro 2020 08:35
 
Caldas SC 1 SC Covilhã 1 (4-5 g.p.)
Sábado, 10 Outubro 2020 00:00

Passados treze anos, o Sporting Clube da Covilhã voltou a visitar o Caldas Sport Clube, desta vez para disputar a 2ª eliminatória da Taça de Portugal, num jogo que terminou empatado a uma bola após prolongamento, mas que sorriu às cores serranas no desempate por pontapés da marca de grande penalidade por 4-5.

O onze local, que milita na Série F do Campeonato de Portugal, entrou na partida de forma bastante perigosa, pois, atirou uma bola à trave visitante logo nos segundos iniciais, no entanto, foi preciso aguardar pelo minuto 34 para surgir o golo inaugural, com Ricardo Isabelinha a colocar com êxito a bola por cima do guardião Bruno Bolas, adiantando assim o Caldas no marcador, num resultado que permaneceu até ao tempo de descanso.

A reacção covilhanense foi mais convincente no regresso do intervalo, com o empate a ser uma realidade aos 50 minutos, em que Jean Felipe cobrou um livre para a cabeça de Jaime Simões, que o guarda-redes Luís Paulo defendeu, mas a redonda sobrou para a recarga triunfal do defesa central serrano. A segunda parte estava movimentada e não faltaram oportunidades para desfazer a igualdade, com destaque para as seguintes ameaças: aos 64 minutos, Gleison atirou ao lado diante de Luís Paulo; aos 79 minutos, Bruno Bolas efectuou uma excelente defesa para impedir os festejos de André Perre; e aos 84 minutos, a passe de Gleison, Enoh falhou incrivelmente a baliza anfitriã.

O apito final do árbitro Gustavo Correia levou as equipas para prolongamento, no qual a grande ocasião para resolver a eliminatória pertenceu ao Caldas aos 112 minutos, quando o cabeceamento de João Rodrigues passou muito perto das redes forasteiras. Com o 1-1 a manter-se no "placard" do Campo da Mata, tornou-se necessário o desempate nas grandes penalidades, em que os comandados de Capucho converteram todas em golo por Jaime, Gleison, Daffé, André Almeida e João Cardoso, enquanto os locais tiveram sucesso por Leandro Borges, João Rodrigues, André Santos e Thomas Militão, mas viram Bruno Bolas defender o remate de Marcos, originando um desfecho de 4-5. No próximo fim de semana regressa a 2ª Liga, com o Sporting da Covilhã a receber o Vilafranquense no Estádio Santos Pinto.

Texto: Eugénio Lopes.

Actualizado em Sábado, 10 Outubro 2020 17:21
 
Vouho
Terça, 06 Outubro 2020 00:00

O costa-marfinense Vouho chegou ao futebol português através da Académica de Coimbra, onde foi intercalando épocas na 1ª Liga com empréstimos a clubes do escalão secundário, nomeadamente, a Santa Clara, Portimonense e Sporting da Covilhã, sendo um dos reforços do nosso emblema para a temporada 2010/2011. Com a camisola serrana, o avançado Vouho participou em 27 jogos oficiais, nos quais apontou somente um golo, que ajudou a equipa covilhanense a derrotar o Belenenses no Estádio do Restelo por 1-3, isto, numa época em que a manutenção na 2ª Liga foi alcançada com grande sofrimento no derradeiro lance da prova. A carreira de Vouho prosseguiu por outros campeonatos, em concreto, Chipre (onde se sagrou Campeão Nacional pelo AEL Limassol), Geórgia e Grécia, com um regresso a Portugal pelo meio para representar novamente o Santa Clara e o Atlético CP. Que recordações permanecem de Vouho no conjunto serrano?

Actualizado em Terça, 06 Outubro 2020 08:48
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 1 de 194
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 2156994