História do Sporting Clube da Covilhã
Paulo Malaca
Terça, 22 Janeiro 2019 00:00

Depois de ter concluído os escalões de formação no Sporting da Covilhã, Paulo Malaca integrou o plantel principal nas duas primeiras épocas como sénior, com o nosso clube a competir na Zona Centro da 2ª Divisão Nacional. Paulo Malaca actuava no sector defensivo, mas não teve oportunidades para brilhar com a camisola serrana, rumando ao AD Manteigas durante uma temporada, onde ganhou experiência para voltar ao emblema covilhanense na época 1991/1992. Neste regresso ao Estádio José Santos Pinto, Paulo Malaca não conseguiu impor-se na formação serrana, numa época de má memória para as nossas cores, visto que o clube não escapou a uma despromoção à 3ª Divisão Nacional. Paulo Malaca envergou depois a camisola de outras agremiações da região, mas certamente que existirão recordações da sua presença no plantel serrano…

Actualizado em Terça, 22 Janeiro 2019 09:46
 
Académico de Viseu FC 1 SC Covilhã 1
Domingo, 20 Janeiro 2019 00:00

Mais uma deslocação do Sporting Clube da Covilhã na Ledman LigaPro, desta vez terminada com um empate a uma bola no terreno do Académico de Viseu Futebol Clube, num jogo em que os serranos inauguraram o marcador por Mica aos 6 minutos, mas permitiram a igualdade ainda na primeira parte.

O conjunto covilhanense apresentou-se no Estádio do Fontelo com Vítor São Bento na baliza, acompanhado na defensiva por Tiago Moreira, Zarabi, Rafael Vieira e Henrique Gomes com o meio campo ocupado por Gilberto, Makouta e Mica Silva, ficando o ataque entregue a Adriano Castanheira, Diego Medeiros e Kukula. Os comandados de Filó entraram muito bem na partida e estiveram perto do tento inaugural logo aos 3 minutos, em que foi Fábio Santos que substituiu o guardião Jonas Mendes e evitou o sucesso do remate de Diego Medeiros. No entanto, aos 6 minutos, o golo forasteiro foi mesmo uma certeza, com Adriano a progredir pela direita para colocar a bola em posição para Mica atirar certeiro, provocando assim os festejos dos adeptos serranos. A reacção academista não demorou e a igualdade também não, visto que aos 12 minutos, a passe de Paná, o brasileiro Lucas Silva rematou cruzado para as redes visitantes. Os locais motivaram-se com o empate e com a entrada de Luisinho no jogo, tendo três lances bastante perigosos para a baliza de São Bento, que esteve em grande plano: aos 19 minutos, o guarda-redes covilhanense defendeu com o pé esquerdo o remate de Luís Barry; aos 27 minutos, foi o pé direito de São Bento que impediu o êxito da iniciativa de Luisinho; e aos 34 minutos, um voo espectacular evitou a alegria de Latyr em plena área forasteira. Como resposta, o Covilhã também tentou voltar a liderar o "placard", mas Jonas Mendes revelou-se atento a um canto apontado por Gilberto e a uma acção assinada por Adriano. Ao intervalo: 1-1.

O segundo tempo não teve tanta emoção, mas trouxe um onze serrano com sinal mais nos instantes iniciais, conseguindo alguns remates às redes locais, porém, sem a direcção desejada pelos seus apoiantes. Com o avançar do relógio, o Académico sacudiu o dominio adversário e passou a jogar mais tempo no meio campo contrário, embora sem grandes soluções para ultrapssar a defensiva covilhanense. Contudo, os viseenses acabaram por elaborar duas jogadas mais perigosas para a baliza adversária, em concreto, aos 73 minutos, com João Mário a rematar para um esforçado Henrique evitar o golo sobre a linha, e aos 83 minutos, em que o cabeceamento de Barry ficou a escassa medida do sucesso. O derradeiro apito do árbitro Pedro Vilaça fixou o resultado em 1-1, com o Sporting da Covilhã a somar quatro pontos nas últimas duas saídas, o que é bastante positivo, embora esteja em zona de despromoção, mas desejando-se que a recuperação definitiva na classificação possa acontecer em breve.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/comparador/20182019/ledmanligapro/60/288

Actualizado em Segunda, 21 Janeiro 2019 10:24
 
Mário Lima
Terça, 15 Janeiro 2019 00:00

O brasileiro Mário Lima chegou a Portugal para jogar no meio campo do FC Barreirense, que na altura militava na 1ª Divisão Nacional, representando posteriormente FC Paços de Ferreira, FC Penafiel, Rio Ave FC, GD Bragança e USC Paredes, antes de assinar pelo Sporting da Covilhã para a época 1980/1981. Lima envergou a camisola serrana durante duas temporadas, em que assumiu papel de destaque no sector intermediário, tendo participado em 47 jogos oficiais e apontado seis golos, com o nosso clube a disputar a Zona Centro da 2ª Divisão Nacional. Lima ficou radicado em terras lusitanas e prosseguiu a carreira futebolística em diversos clubes do Norte do país, nomeadamente, Tirsense, Lousada, Barrosas e Cristelo. Que lembranças persistem das exibições de Lima no meio campo serrano?

 

Actualizado em Terça, 15 Janeiro 2019 09:54
 
CD Mafra 1 SC Covilhã 2
Domingo, 13 Janeiro 2019 00:00

Vitória por 1-2 do Sporting Clube da Covilhã na deslocação ao terreno do Clube Desportivo de Mafra, resultante fundamentalmente do excelente início de segunda parte, onde dois golos apontados pelo estreante Kukula proporcionaram uma vantagem importante no marcador.

O onze serrano apresentou-se no Parque Desportivo de Mafra com Vítor São Bento na baliza, acompanhado na defensiva por Tiago Moreira, Jaime Simões, Zarabi e Rafael Vieira, com o meio campo ocupado por Gilberto, Makouta e Mica Silva, ficando o ataque entregue a Adriano Castanheira, Diego Medeiros e Kukula. Este jogo teve uma fase inicial disputada principalmente no sector intermediário, com a bola a estar muito tempo longe de ambas as balizas, o que impossibilitou demasiados lances de verdadeiro perigo. Em toda a primeira parte apenas duas acções provocaram maior emoção junto dos espectadores: aos 8 minutos, na sequência de um livre lateral, Ventosa cabeceou para o desvio de Bruninho um pouco ao lado das redes serranas; e aos 24 minutos, Diego Medeiros surgiu em plena área local e atirou para a intervenção de um defensor adversário, que impediu a redonda de ir para a baliza do Mafra. Ao intervalo: 0-0.

No regresso dos balneários, os comandados de Filó estiveram em grande plano e alcançaram rapidamente uma vantagem de duas bolas no "placard": aos 49 minutos, e depois de por duas vezes o perigo ter rondado a baliza anfitriã, Zarabi sofreu falta na grande área e o árbitro João Pinho assinalou o respectivo pontapé de penálti, devidamente convertido em golo por Kukula; e aos 52 minutos, Kukula atirou cruzado para o fundo das redes locais, provocando nova explosão de alegria nos apoiantes covilhanenses em terras mafrenses. O Mafra reagiu de imediato e empurrou os serranos para a sua zona defensiva, no entanto, foram os visitantes que mais ameaçaram mexer no resultado em contra ataque, com o guardião Godinho a efectuar duas defesas atentas a remates de Kukula e Mica. Aos 81 minutos, o regressado Tiago Moreira progrediu pela direita e cruzou para o cabeceamento de Jean Batista por cima da baliza local, revelando um Covilhã confiante num triunfo, que somente foi colocado em causa a partir dos 89 minutos, altura em que Harramiz fixou o resultado em 1-2, o que trouxe alguma incerteza para os derradeiros momentos da partida. Porém, os três pontos acabaram mesmo por ir parar à contabilidade serrana, desejando-se que a recuperação classificativa possa continuar já na próxima jornada, desta vez com uma deslocação ao terreno do Académico de Viseu no domingo.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20182019/ledmanligapro/17/6

Actualizado em Segunda, 14 Janeiro 2019 10:10
 
Xinai
Terça, 08 Janeiro 2019 00:00

Jorge Miguel Fernandes Reis é conhecido nos meios futebolísticos por Xinai, um avançado que começou a carreira nas camadas jovens do Cariense, onde ascendeu ao patamar sénior e teve papel de destaque nas competições distritais, ao ponto de ser contratado pelo Sporting da Covilhã para a temporada 1993/1994. Essa época não correu nada bem ao emblema serrano, nem a Xinai, que foi pouco utilizado na Zona Centro da 2ª Divisão B e nem chegou a concluir a temporada, com o nosso clube a frequentar desde cedo os últimos lugares da classificação, não conseguindo assegurar a manutenção neste escalão. Depois do conjunto covilhanense, Xinai representou diversas formações da Beira Interior, concretamente, UD Belmonte, UD Cariense, CU Idanhense, Mileu-Guarda SC, GD Teixosense, Pedrógão de São Pedro e SC Gonçalense. Que memórias ficaram de Xinai com o emblema covilhanense?  


Actualizado em Terça, 08 Janeiro 2019 09:42
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 1 de 165
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1578213