História do Sporting Clube da Covilhã
Alberto Silva
Terça, 05 Novembro 2019 00:00

Alberto Silva chegou ao futebol português para representar a União de Leiria, que disputava então a 1ª Liga, no entanto, a sua condição de suplente ajudou a concretizar o empréstimo ao Sporting da Covilhã a meio da época 2009/2010. O avançado brasileiro participou em onze jogos oficiais do emblema serrano sem conseguir apontar qualquer golo, contudo, saliente-se o esforço de Alberto em contribuir para a manutenção do nosso clube na 2ª Liga, alcançada através do 14º lugar na tabela classificativa, somente dois pontos acima do despromovido Desportivo de Chaves. Nas temporadas seguintes, Alberto continuou nos relvados portugueses ao actuar por Atlético de Reguengos e Anadia FC, rumando depois aos escalões inferiores franceses para envergar a camisola do Lusitanos St. Maur. Que memórias se mantêm de Alberto na formação covilhanense?

Actualizado em Terça, 05 Novembro 2019 09:44
 
SC Covilhã 0 FC Penafiel 0
Sábado, 02 Novembro 2019 00:00

Kukula inicia mais uma ofensiva serrana

Apesar do muito esforço dos seus jogadores, o Sporting Clube da Covilhã não conseguiu desfazer o nulo diante do Futebol Clube de Penafiel, naquele que foi o primeiro empate do emblema serrano na LigaPro 2019/2020.

A equipa covilhanense apresentou-se em campo com Carlos Henriques na baliza, acompanhado na defensiva por Tiago Moreira, Brendon, Zarabi e Daniel Martins, estando o meio campo entregue a Rodrigues, Adriano Castanheira, Gilberto e Jean Batista, ficando a frente de ataque sob a responsabilidade de Silva e Kukula. Muito forte a entrada serrana na partida, visto que logo no minuto inaugural, um remate surpresa de Tiago Moreira obrigou o guardião Luís Ribeiro uma boa defesa para canto, na sequência do qual a bola sobrou para Kukula, que atirou à rede lateral exterior. Este começo tão perigoso não teve continuidade, pois, os locais dominaram e dominaram, mas sem encontrarem espaço na organizada defensiva nortenha, sendo necessário aguardar pelo minuto 33 para o público covilhanense vibrar com um lance com maior emoção, resultante do remate de Adriano para Luís Ribeiro afastar da sua baliza. O estatuto actual do conjunto serrano no campeonato implica equipas mais fechadas no Estádio Santos Pinto, com o Penafiel a sair para o ataque só pela certa, algo que raramente aconteceu durante a primeira parte. Aos 42 minutos verificou-se uma jogada caricata, em que o defesa central João Paulo atrasou a redonda a Luís Ribeiro com uma rota que obrigou o guarda-redes a correr para evitar os festejos locais.

Defensiva penafidelense anula um cruzamento covilhanense

Na etapa complementar, os pupilos de Ricardo Soares voltaram a entrar bem no jogo, porém sem concretizarem em golo as duas oportunidades criadas: aos 47 minutos, Kukula chegou ligeiramente atrasado ao passe de Silva da direita; e aos 53 minutos, Adriano cruzou para Kukula protagonizar um momento confuso diante das redes penafidelenses. Aos 61 minutos, os comandados de Miguel Leal perturbaram finalmente o descanso matinal de Carlos Henriques, que foi chamado a afastar um cruzamento perigoso de Coronas na direita. Os visitantes arriscaram um pouco mais e aos 67 minutos somente uma excelente acção de Zarabi impediu Ronaldo Tavares de alegrar a manhã dos adeptos nortenhos. Passada esta fase, os covilhanenses regressaram ao controlo da partida e intensificaram a busca do golo da vitória, com Kukula a dar novo sinal aos 78 minutos através de um cabeceamento por alto. Os três pontos só não ficaram em terras serranas devido à defesa espectacular de Luís Ribeiro aos 89 minutos, visto que a cabeçada de Rodrigo António, a cruzamento de Daniel Martins, tinha como destino as redes forasteiras. Volvidos alguns minutos, o árbitro Nuno Almeida encerrou a partida e selou o 0-0 como resultado final, com o Sporting da Covilhã a voltar a jogar no próximo domingo, em que terá pela frente uma deslocação à Madeira para o encontro com o Nacional.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de jogo: https://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20192020/ligapro/9/2

Actualizado em Terça, 05 Novembro 2019 09:53
 
Samuel Cruz
Terça, 29 Outubro 2019 00:00

Samuel Cruz iniciou a prática de futebol no Académico do Fundão, rumando depois aos iniciados do Sporting da Covilhã para cumprir os restantes patamares da formação e integrar o plantel principal do nosso clube. Na primeira época como sénior, Samu jogou pela Atalaia do Campo, mas na temporada seguinte regressou ao emblema covilhanense e para ficar durante três épocas até 2015/2016. Quer como médio, quer como defesa direito, Samu efectuou 30 encontros oficiais com a camisola serrana, nos quais assinou três golos, com destaque para o tento que possibilitou a vitória por 3-2 sobre o primodivisionário Estoril-Praia na Taça da Liga 2014/2015. Samu seguiu posteriormente a carreira no Tourizense, Benfica e Castelo Branco e CD Alcains, onde joga actualmente no Distrital da Associação de Futebol de Castelo Branco. Que lembranças deixou Samu no emblema serrano?

Actualizado em Terça, 29 Outubro 2019 09:44
 
SC Covilhã 1 CD Cova da Piedade 0
Domingo, 27 Outubro 2019 00:00

Covilhanenses e piedenses em despique nas alturas

Um golo apontado por Kukula aos 88 minutos permitiu ao Sporting Clube da Covilhã vencer o Clube Desportivo da Cova da Piedade por 1-0, ascendendo assim ao 1º lugar da classificação da Segunda Liga.

A formação serrana apresentou-se em campo com Carlos Henriques na baliza, acompanhado na defensiva por Tiago Moreira, Brendon, Zarabi e Daniel Martins, estando o meio campo entregue a Gilberto, Adriano Castanheira, Mica e Jean Batista, ficando a frente de ataque sob a responsabilidade de Silva e Bonani. A fase inicial da partida ficou marcada pelo azar que afectou os dois conjuntos, visto que aos 6 minutos, os visitantes foram obrigados a substituir o lesionado Gustavo, enquanto aos 20 minutos, a lesão de Mica implicou a sua substituição por parte dos serranos. Relativamente ao futebol praticado, os locais revelaram-se mais perigosos, com o guardião Tony a ser protagonista em dois lances para evitar os festejos covilhanenses: primeiro, numa iniciativa de Bonani; depois, num remate forte de Silva. O mesmo Silva voltou a tentar ter sucesso aos 29 minutos, mas desta vez atirou ao lado após um cruzamento de Tiago Moreira. No derradeiro quarto de hora da primeira parte, os piedenses equilibraram o jogo e até conseguiram uma sequência de pontapés de canto, com a sua jogada mais perigosa a surgir aos 43 minutos, quando Vitinho acertou na malha lateral exterior da baliza de Carlos Henriques. Ao intervalo: 0-0.
Remate perigoso de Bonani na primeira parte
Na etapa complementar, os comandados de Ricardo Soares voltaram a dominar o encontro, mas sentiram maiores dificuldades perante a defensiva adversária, sendo necessário esperar pelo minuto 68 para se ver uma acção emocionante junto das redes forasteiras, em concreto, quando o recém-entrado Kukula tentou bater Tony de ângulo muito reduzido. Antes, já o Cova da Piedade tinha assustado as hostes locais por intermédio do experiente Edinho, que cabeceou ao lado um cruzamento de Diarra. Aos 79 minutos, novamente Edinho a incomodar os anfitriões, desta vez a atirar para uma defesa de Carlos Henriques para canto. Com o nulo a pairar como resultado final, eis que aos 88 minutos, Adriano cruza da direita para Kukula cabecear para o fundo das redes piedenses, fixando assim o marcador em 1-0 e provocando uma onda de entusiasmo no Estádio Santos Pinto. O último apito do árbitro André Castro selou o triunfo da formação serrana, que volta a competir no próximo sábado, com a recepção ao FC Penafiel.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de jogo: https://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20192020/ligapro/7/3

Actualizado em Segunda, 28 Outubro 2019 10:03
 
Idris
Terça, 22 Outubro 2019 00:00

A entrada de Idris no futebol nacional aconteceu através do Recreio de Águeda, naquela altura a militar na 3ª Divisão Nacional, seguindo depois para o Sertanense, onde o Sporting da Covilhã foi contratar o senegalês para a época 2011/2012. Idris assumiu protagonismo no meio campo serrano, tendo participado em 19 jogos oficiais, nos quais apontou um golo, que valeu três pontos no terreno do FC Penafiel, embora a nível colectivo a manutenção na 2ª Liga só tivesse sido alcançada com a desistência da União de Leiria. Na temporada seguinte, Idris envergou a camisola do FC Arouca, jogando posteriormente no Moreirense e no Boavista, salientando-se a sua permanência no clube axadrezado nas últimas seis épocas, sempre a disputar a 1ª Liga, conquistando um lugar especial no coração dos adeptos boavisteiros. Que recordações ficaram de Idris no onze covilhanense?

Actualizado em Terça, 22 Outubro 2019 08:44
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 3 de 181
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1897807