História do Sporting Clube da Covilhã
SC Covilhã 1 SC Braga B 0
Domingo, 25 Março 2018 00:00

Fatai tenta deixar um minhoto para trás

Depois de oito jornadas seguidas sem uma única vitória na Ledman LigaPro, o Sporting Clube da Covilhã conseguiu somar três pontos na recepção ao equipa B do SC Braga, com o único golo da partida a surgir apenas aos 87 minutos, quando o remate de Abalo levou a bola até ao fundo das redes minhotas.

Com a pressão de regressar aos triunfos em cima dos serranos, a primeira parte não foi muito emotiva, visto que a bola passou bastante tempo no meio campo, o que impossibilitou lances de grande perigo junto de ambas as balizas. É certo que os comandados de José Augusto revelaram maior tendência atacante e tiveram a iniciativa de jogo, no entanto, o guardião Filipe não chegou a ser chamado a grandes intervenções, apesar de algumas acções protagonizadas por Fatai e Adul Seidi, sendo o nulo um resultado adequado para o período de descanso. Ao intervalo: 0-0.

A etapa complementar apresentou-se mais movimentada, continuando o Covilhã com maior empenho em busca do sucesso, porém, na fase inicial os lances perigosos estiveram novamente arredados do Estádio José Santos Pinto. Foi necessário aguardar pelo minuto 78 para se assistir a uma iniciativa de grande perigo, quando Fatai atirou para uma defesa de Filipe, sobrando a redonda para Reinildo desperdiçar a inauguração do marcador na recarga. Nos momentos seguintes, o protagonismo pertenceu ao guarda-redes Vítor São Bento, que defendeu para canto as iniciativas de Singh e de Lucas. O jogo estava mesmo mais animado e o golo acabou por acontecer aos 87 minutos para gáudio das hostes covilhanenses, pois, após um pontapé de canto e a intervenção de um defensor minhoto, o nigeriano Abalo rematou fora do alcance de Filipe. O SC Braga B ainda procurou o empate, mas foi o conjunto serrano que ameaçou dilatar a diferença por duas vezes, em lances assinados por Onyeka e por Reinildo, contudo o 1-0 seria sentenciado como desfecho final com o último apito do árbitro André Narciso. Com este êxito, o Sporting da Covilhã está agora com oito pontos de vantagem para a zona de despromoção, quando faltam disputar oito jornadas para o final da competição, seguindo-se novo jogo em casa na sexta-feira, agora com o Académico de Viseu.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20172018/ledmanligapro/29/3

Actualizado em Domingo, 25 Março 2018 20:48
 
Luís Alberto
Terça, 20 Março 2018 00:00

Luís Alberto começou a jogar futebol federado nos escalões jovens do SL Benfica, onde as boas exibições nas alas do meio campo valeram-lhe quatro internacionalizações por Portugal nos sub-16. Depois dos juniores benfiquistas, a estreia de Luís Alberto a nível sénior foi com a camisola do Elvas, representando em seguida Estrela da Amadora e Atlético do Cacém, destacando-se neste último clube numa eliminatória da Taça de Portugal na época 1986/1987 com o Sporting da Covilhã, que só ficou resolvida a favor das cores serranas no prolongamento do jogo de desempate. Na temporada seguinte, Luís Alberto foi apresentado como reforço da formação covilhanense, que na altura militava na 1ª Divisão Nacional, mas acabou por ser utilizado somente em seis jogos, numa época com poucos triunfos para os serranos, visto que não foram além do último lugar do principal escalão do futebol português. A carreira prosseguiu depois por vários clubes a nível nacional, concretamente, GD Bragança, Juventude de Évora, Seixal FC, Santa Clara, Casa Pia AC e CD Cova da Piedade. Que memórias ficaram das exibições de Luís Alberto?

  

Actualizado em Terça, 20 Março 2018 09:49
 
FC Porto B 3 SC Covilhã 0
Domingo, 18 Março 2018 00:00

O Sporting Clube da Covilhã continua a somar jornadas sem conseguir uma vitória na Ledman LigaPro, em concreto oito rondas, visto que desta vez foi derrotado pela equipa B do FC Porto por esclarecedores 3-0, com as contas da manutenção a não ficarem mais complicadas devido aos resultados favoráveis verificados noutros campos.

A formação nortenha entrou melhor na partida e ameaçou inaugurar o marcador aos 8 minutos num lance infeliz do guardião Igor Rodrigues, porém, Paulo Henrique esteve bem a substituir o seu colega e impediu que a bola fosse para as redes visitantes. No entanto, aos 18 minutos, os azuis e brancos festejaram mesmo o primeiro golo da tarde, com Romário Baró a assinar um belo remate de fora da área. Esperou-se uma resposta do lado serrano, mas apenas um livre apontado por Índio levou a bola a passar mais perto da baliza local, enquanto o FC Porto B quase aumentou a contagem aos 28 minutos, algo que não aconteceu por intervenção de um jogador portista, pois, foi Irala que sem intenção evitou o final feliz de uma grande jogada da sua equipa. No derradeiro quarto de hora da primeira parte, os serranos estiveram mais vezes no meio campo adversário e rubricaram duas acções problemáticas para os defensores anfitriões: aos 32 minutos, Diogo Costa foi obrigado a uma defesa atenta após um livre cobrado por Paulo Henrique; e aos 45 minutos, Renato Reis ultrapassou mesmo o guarda-redes nortenho, mas nem teve tempo de atirar para a baliza, visto que o árbitro Vasco Santos interrompeu o encontro por suposto fora de jogo. O Covilhã até estava a melhorar de rendimento, porém, consentiu o segundo tento aos 45+3 minutos, quando Oleg cabeceou com êxito na sequência de um livre lateral. Ao intervalo: 2-0.

A missão covilhanense revelava-se muito complicada para o segundo tempo, que desde do seu início não apresentou sinais positivos para as hostes forasteiras, até pelo contrário, porque aos 51 minutos quase sofria um autogolo numa acção de Gerson. Todavia, não foi necessário aguardar demasiado para que o 3-0 fosse uma certeza, visto que aos 58 minutos, Musa Yahaya esteve em bom plano e bateu a defensiva do emblema serrano. Este golo deixou o jogo muito próximo de estar resolvido e apenas dois remates do recém-entrado Moses trouxeram um pouco de emoção à partida, mas como ambos foram ao lado das redes locais, o resultado não chegou a estar em causa. O conjunto covilhanense jogou os instantes finais em inferioridade numérica devido a lesão de Gerson, num jogo que terminou com um desaire que continua a provocar algumas dúvidas sobre o futuro serrano no campeonato, desejando-se que o regresso aos triunfos aconteça já na próxima jornada com a recepção ao SC Braga B, numa partida que terá lugar no domingo.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20172018/ledmanligapro/30/2

Actualizado em Domingo, 18 Março 2018 18:30
 
Mauro
Terça, 13 Março 2018 00:00

O angolano Mauro finalizou os escalões de formação no Belenenses, mas a sua estreia a nível sénior foi pelo Ginásio 1º Maio da Agualva, envergando depois a camisola de União de Almeirim, Académico de Viseu, Naval, Farense (na 1ª Divisão Nacional) e SC Lamego, antes de assinar pelo Sporting da Covilhã para a temporada 1996/1997. Mauro jogava preferencialmente a extremo esquerdo, tendo participado em 22 jogos oficiais pelo emblema serrano, nos quais apontou um golo, isto, numa época que terminou da pior maneira para o nosso clube, visto que não conseguiu garantir a permanência na 2ª Divisão de Honra, na sequência de uma derrota no terreno do Desportivo de Beja na última jornada da competição. Na temporada seguinte, Mauro representou o Torreense, continuando posteriormente a jogar por vários clubes, em concreto, Lusitânia, FC Penafiel, FC Paços de Ferreira (na 1ª Divisão Nacional), Belenenses (também no principal escalão do futebol português), Estrela da Amadora, Ovarense e Santa Clara, com passagens pelos campeonatos do Chipre ao serviço de Acharnaikos e Onisilos Sotira. Mauro foi internacional AA por Angola em onze ocasiões, tendo apontado três golos com a camisola da sua selecção. Que lembranças permanecem das fulgurantes arrancadas de Mauro pelo seu flanco?

Actualizado em Terça, 13 Março 2018 09:39
 
FC Arouca 2 SC Covilhã 2
Sábado, 10 Março 2018 00:00

Ainda não foi nesta jornada que o Sporting Clube da Covilhã regressou aos triunfos na Ledman LigaPro, mas já é um bom indicador voltar a pontuar, até porque o empate (2-2) foi alcançado no terreno do Futebol Clube de Arouca, um dos principais candidatos aos lugares de subida à Primeira Liga, com o último golo local a ser apontado através de um polémico pontapé de penálti aos 87 minutos.

Como seria expectável, o conjunto anfitrião entrou no jogo com uma postura atacante, demonstrando que queria voltar ao comando do campeonato, no entanto, teve pela frente uma equipa serrana muito organizada, quer a defender, quer na saída para terrenos ofensivos. É certo que foi o Arouca que inaugurou o marcador aos 15 minutos, num cabeceamento de Roberto após um canto, mas com a devida resposta covilhanense aos 23 minutos, quando Renato Reis foi eficaz a desviar um remate de um colega e restabeleceu a igualdade na partida. O encontro evoluiu depois para uma fase de muita luta pela posse de bola e quase ausência de lances perigosos junto de ambas as balizas, com o relvado a acusar a chuva dos últimos tempos. Ao intervalo: 1-1.

Na segunda parte, o Covilhã esteve perto de marcar logo aos 49 minutos, com João Dias a atirar para uma boa defesa de Bracali, sobrando a redonda para o remate de Adul Seidi ao lado, com o guineense numa posição favorável para ter sucesso. Apesar de mais rematador, o Arouca evidenciava algumas dificuldades perante um onze serrano bastante confiante, não sendo de estranhar que tenham sido os visitantes a passar para a dianteira do "placard" aos 71 minutos, quando o moçambicano Reinildo deu a melhor sequência ao cruzamento de Renato Reis. Contudo, os pupilos de José Augusto tiveram uma grande contrariedade aos 75 minutos, visto que o árbitro Sérgio Piscarreta considerou que a infracção de Joel era merecedora do segundo cartão amarelo, originando assim a expulsão do defesa central serrano. Esta situação veio animar os arouquenses, que procuraram beneficiar da vantagem numérica para chegarem pelo menos ao empate, o que acabou por acontecer aos 87 minutos da seguinte forma: Nuno Valente rematou para uma boa intervenção de Igor Rodrigues, ficando a recarga para Areias, mas o guardião visitante defendeu de novo, agora a meias com o poste, surgindo depois um jogador local caído na área, com o árbitro a assinalar um pontapé de penálti, muito contestado pelos serranos, que foi convertido no 2-2 pelo nosso conterrâneo Nuno Coelho. Claro que a vitória era o desfecho desejado, porém, este ponto permite ao Sporting da Covilhã alargar a diferença para a zona de despromoção, seguindo-se nova deslocação no próximo domingo, desta vez ao campo da equipa B do FC Porto.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20172018/ledmanligapro/28/4

Actualizado em Sábado, 10 Março 2018 21:10
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 3 de 152
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1407413