História do Sporting Clube da Covilhã
Buba
Terça, 18 Abril 2017 00:00

O camaronês Buba estreou-se nos relvados portugueses em representação do Estoril Praia, sendo proveniente do histórico emblema turco Altay SK, começando logo por ajudar a formação canarinha a subir à 1ª Divisão Nacional. Buba continuou no Estoril e jogou assim no principal escalão do futebol nacional, algo que viria a repetir no Beira-Mar, precisamente o clube seguinte do defesa central camaronês, que envergou posteriormente a camisola do Gondomar, antes de ingressar no futebol angolano através do Recreativo Caála. Após algumas temporadas em Angola, Buba regressou a Portugal para representar o Sporting da Covilhã a meio da época 2012/2013, com o nosso clube envolvido na luta pela manutenção na 2ª Liga, um objectivo que somente foi alcançado devido aos problemas financeiros que implicaram a descida da Naval, possibilitando desta forma que o 20º lugar tivesse um sabor a permanência. Na temporada seguinte, Buba rumou ao GD Ribeirão, pelo qual ainda actuou na época passada no Campeonato Distrital da Associação de Futebol de Braga. Que lembranças ficaram das exibições de Buba no centro da defensiva serrana?

Actualizado em Terça, 18 Abril 2017 08:54
 
CD Aves 2 SC Covilhã 1
Sábado, 15 Abril 2017 00:00

O Sporting Clube da Covilhã chegou ao intervalo em vantagem no marcador no terreno do Clube Desportivo das Aves, devido ao tento apontado por Erivelto aos 16 minutos, mas na segunda parte consentiu os dois golos que ditaram a derrota, num resultado que deixou a formação local mais perto de alcançar a subida à Primeira Liga, enquanto os serranos continuam envolvidos na luta pela fuga aos lugares de liguilha e de descida de divisão.

Esta partida teve um início muito mexido, com Erivelto a dar o primeiro sinal de perigo logo aos 2 minutos, através de um remate ao lado, respondendo os nortenhos aos 10 minutos, com o guardião Igor Rodrigues a travar com sucesso a iniciativa de Pedró. O conjunto covilhanense disputava o jogo pelo jogo, sem revelar qualquer limitação por estar a actuar no campo do 2º classificado da Ledman LigaPro, conseguindo mesmo o tento inaugural aos 16 minutos por Erivelto, com o avançado brasileiro a tratar bem a bola após um cruzamento de Mike. Empurrado pelos seus apoiantes, o Desportivo das Aves pressionou de imediato em busca do empate, porém, encontrou pela frente o eficiente Igor Rodrigues, que não permitiu que Nelson Pedroso e Erivaldo tivessem êxito nas suas acções. No entanto, saliente-se que o Covilhã também assinou um lance em que ameaçou aumentar a contagem, visto que aos 36 minutos, após um pontapé de canto, o cabeceamento de Djikiné quase colocou a redonda no fundo da baliza do experiente Quim. Volvidos alguns instantes, os anfitriões tiveram a sua melhor ocasião para igualar o resultado na primeira parte, quando Alexandre Guedes cabeceou ao poste, deixando assim os serranos em posição vantajosa para o tempo de descanso. Ao intervalo: 0-1.

Para o segundo tempo, o técnico local, José Mota, reforçou o ataque com a elevada estatura de Luís Barry, que foi o protagonista do lance que originou um pontapé de penálti aos 50 minutos, pois, o árbitro Luís Ferreira considerou que Zarabi cometeu falta sobre o referido avançado do Aves, com Alexandre Guedes a aproveitar o castigo máximo para colocar as equipas empatadas. Pensou-se que o emblema nortenho partiria para uma fase de claro domínio rumo ao golo do triunfo, mas não foi isso que aconteceu, porque os covilhanenses mantiveram uma postura atrevida, que ganhou velocidade após a entrada de Medarious, e causaram problemas à defensiva local, merecendo referência dois remates de Chaby que não passaram longe das redes de Quim. Do outro lado, Erivaldo também tentou acertar na baliza visitante, mas atirou por alto, no entanto, aos 81 minutos, os avenses revelaram melhor pontaria e alcançaram o tento da vitória por Ericson, que encostou certeiro na sequência de um primeiro desvio após um canto. A equipa serrana ainda procurou trazer um ponto da Vila das Aves, porém, os seus esforços foram bem contrariados pela defensiva adversária, que soube segurar o 2-1 como resultado final. Com este desaire, o Sporting da Covilhã tem agora quatro pontos de avanço sobre a zona de acesso à liguilha, seguindo-se uma recepção ao Académico de Viseu já na quarta-feira, sendo um jogo que poderá ter um peso importante nas contas finais do campeonato, pelo que se deseja que a nossa equipa esteja em bom plano e some os três pontos em discussão.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20162017/ledmanligapro/36/6

Actualizado em Sábado, 15 Abril 2017 18:14
 
Baptista
Terça, 11 Abril 2017 00:00

O médio Baptista foi cedido pelo SL Benfica ao Sporting da Covilhã na temporada 1962/1963, ao abrigo da transferência do guarda-redes Rita para o emblema lisboeta, tendo cumprido duas épocas com o símbolo serrano, ambas com o nosso clube a disputar a Zona Norte da 2ª Divisão Nacional e, curiosamente, com o mesmo desfecho: o 2º lugar, insuficiente para o acesso ao principal escalão do futebol português. Baptista revelou-se um jogador importante no sector intermediário do conjunto covilhanense, numa equipa que pensava constantemente no regresso à 1ª Divisão Nacional, no entanto, esse objectivo acabou por ser perdido para o Varzim e para o SC Braga, respectivamente, nessas duas temporadas. De realçar, que na época 1963/1964, os serranos apenas foram desalojados da 1ª posição na última jornada do campeonato, precisamente num jogo no terreno do onze bracarense, adversário directo nessa luta, visto que Baptista e colegas foram derrotados por 4-1 no extremamente lotado Estádio 1º de Maio, na altura designado por Estádio 28 de Maio. Que recordações existem de Baptista com a camisola serrana?

Actualizado em Terça, 11 Abril 2017 08:59
 
SC Covilhã 2 SL Benfica B 0
Sábado, 08 Abril 2017 00:00

Erivelto perseguido por Kalaica

Depois de seis partidas consecutivas sem vencer na Ledman LigaPro, o Sporting Clube da Covilhã aproveitou a recepção à equipa B do Sport Lisboa e Benfica para regressar aos triunfos, com os dois golos a surgirem na segunda parte, em concreto aos 51 minutos por Harramiz e aos 86 minutos por Ponde, desejando-se que estes três pontos empurrem os covilhanenses para uma ponta final de campeonato positiva.

A formação serrana apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por Mike, Zarabi, Sambinha e Marcílio, ficando Djikiné e Prince mais recuados no meio campo, com Diarra, Chaby e Harramiz no apoio ao avançado Erivelto. A fase inicial do encontro revelou um conjunto local mais dinâmico e a actuar em terrenos próximos da área contrária, merecendo saliência dois lances: aos 6 minutos, Mike reclamou um pontapé de penálti numa disputa de bola com um adversário, mas o árbitro Gonçalo Martins não considerou qualquer infracção do jogador benfiquista; e aos 16 minutos, um remate longínquo de Prince fez a redonda passar um pouco por cima da baliza visitante. O jogo caminhou então para um período menos interessante, com muito esforço dos intervenientes, mas sem acções perigosas para ambos os guarda-redes, sendo necessário aguardar pelo derradeiro quarto de hora para jogadas de maior emoção: aos 32 minutos, os serranos tiveram uma grande ocasião para colorirem o marcador, com Chaby em bom plano na esquerda a cruzar para Diarra atirar por alto em posição privilegiada para ter sucesso; e aos 34 minutos, o SL Benfica B respondeu através de um remate forte de Romário, que obrigou o guardião Igor Rodrigues a uma boa defesa para canto. Até ao tempo de descanso, a monotonia voltou a instalar-se no Estádio José Santos Pinto, sem qualquer ameaça séria ao nulo. Ao intervalo: 0-0.

Diarra pressiona o guarda-redes André Ferreira

Na etapa complementar, os pupilos de Filipe Gouveia entraram novamente melhor na partida e desta vez com consequência no "placard", pois, aos 51 minutos, um cruzamento traiçoeiro de Harramiz na esquerda só parou nas malhas lisboetas, com o guarda-redes André Ferreira algo iludido com a movimentação de Erivelto no centro da área, permitindo desta forma o 10º golo do santomense na competição. O tento sofrido implicou uma reacção dos forasteiros, que instalaram-se de forma visível no meio campo contrário, porém, sem argumentação suficiente para colocarem o resultado em perigo durante largo período, porque o melhor lance dos benfiquistas apenas aconteceu aos 81 minutos, quando Heriberto cabeceou torto em plena área serrana. Já a formação covilhanense, procurou responder em contra ataque, mas também sem delinear acções dignas de registo, contudo, tal facto foi contrariado aos 86 minutos, com o inevitável Harramiz a assinar uma fulgurante arrancada pela esquerda, cruzando para a conclusão eficaz de Ponde, que assim alargou a vantagem local. Nos instantes finais da partida, Ponde teve mais dois momentos de finalização, mas agora sem êxito, ficando o desfecho do encontro em 2-0, para alegria dos apoiantes covilhanenses. Com esta vitória, a manutenção do Sporting da Covilhã está mais perto de ser uma realidade, no entanto, ainda faltam disputar sete jornadas e os pontos precisam de ser conquistados o mais depressa possível, seguindo-se uma deslocação ao terreno do Desportivo das Aves no sábado.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20162017/ledmanligapro/35/1

Actualizado em Segunda, 10 Abril 2017 09:09
 
Rony
Terça, 04 Abril 2017 00:00

O extremo esquerdo brasileiro Rony foi apresentado como reforço do Sporting da Covilhã para a temporada 2002/2003, sendo um jogador emprestado pelo primodivisionário Moreirense, que tinha feito a sua contratação ao São Cristóvão FR, um popular clube do Rio de Janeiro. No emblema serrano, Rony foi quase sempre utilizado a partir do banco de suplentes, ajudando o nosso clube a alcançar a manutenção na 2ª Divisão de Honra através do 11º lugar na classificação, algo que nunca tinha acontecido neste formato da competição. No entanto, como Rony não estava a somar muitos minutos de jogo, o brasileiro acabou por deixar a formação covilhanense a meio da época e regressar ao Brasil, onde continuou a carreira por diversos clubes. Que outras memórias permanecem de Rony?

Actualizado em Terça, 04 Abril 2017 09:01
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 7 de 138
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1236368