História do Sporting Clube da Covilhã
CD Cova da Piedade 1 SC Covilhã 0
Domingo, 02 Abril 2017 00:00

Pela primeira vez na sua história, o Sporting Clube da Covilhã disputou um jogo oficial no terreno do Clube Desportivo da Cova da Piedade, do qual não vai ficar com boas recordações, visto que acabou por ser derrotado pela margem mínima, sofrendo o golo decisivo aos 90+2 minutos, salientando-se que actuava em inferioridade numérica desde dos 39 minutos, altura em que Medarious viu o cartão vermelho directo por falta dura sobre Chico.

O conjunto covilhanense apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por Mike, Zarabi, Sambinha e Agostinho Soares, ficando Djikiné e Diarra mais recuados no meio campo, com Medarious, Chaby e Gilberto no apoio ao avançado Harramiz. Os locais procuraram assumir o controlo da partida logo nos instantes iniciais, mas o melhor que conseguiram foi um remate de André Carvalhas um pouco ao lado das redes forasteiras aos 11 minutos. O encontro foi-se arrastando sem grande velocidade e sem ponta de emoção, sendo necessário aguardar pelo minuto 33 para assistirmos ao único lance perigoso do Covilhã em todo o jogo, pois, Chaby isolou Harramiz diante do guardião Pedro Alves, que defendeu superiormente o remate do atacante santomense para desespero de mais de meia centena de apoiantes serranos presentes no Estádio José Martins Vieira. A resposta piedense surgiu novamente por André Carvalhas aos 36 minutos, ao tentar surpreender Igor Rodrigues num livre lateral, mas o guardião visitante afastou a bola para canto. Aos 39 minutos, o árbitro António Nobre considerou que a falta dura de Medarious sobre Chico era merecedora de expulsão, deixando assim a formação covilhanense reduzida a dez unidades para o resto do encontro. Ao intervalo: 0-0.

Na segunda parte, naturalmente que o Cova da Piedade instalou-se no meio campo adversário, com a bola a estar com frequência na área serrana, o que provocou mais trabalho para a defensiva forasteira, que foi resolvendo as investidas contrárias com maior ou menor dificuldade. O guarda-redes Igor Rodrigues também foi chamado mais vezes a jogo, realizando duas intervenções importantes para a manutenção do nulo aos 63 e aos 73 minutos, primeiro numa iniciativa de Adilson, depois numa acção do recém-entrado Rui Varela. Contudo, Rui Varela viria a ser o grande protagonista desta partida, quando aos 90+2 minutos, na sequência de um canto apontado por Godinho na direita, atirou certeiro para as redes serranas no meio de alguma confusão. No pouco tempo disponível para jogar, os comandados de Filipe Gouveia ainda tentaram a igualdade, mas sem sucesso, com os três pontos a ficarem mesmo nas contas do Cova da Piedade. Desta forma, o Sporting da Covilhã somou o oitavo jogo consecutivo sem saborear um triunfo na Ledman LigaPro, aproximando-se perigosamente dos lugares que obrigam a participar na liguilha, agora somente a dois pontos quando faltam disputar oito jornadas, sendo a próxima a recepção à equipa B do SL Benfica no sábado de manhã.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo:http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20162017/ledmanligapro/34/2

Actualizado em Domingo, 02 Abril 2017 21:54
 
Beré
Terça, 28 Março 2017 00:00

Francisco Ronaldo Nascimento Filho é identificado nos meios futebolísticos por Beré, um ponta de lança brasileiro que entrou no futebol português através do FC Paços de Ferreira, disputando de imediato partidas na 1ª Divisão Nacional. Depois do emblema pacense, Beré rumou ao Aliados do Lordelo, continuando depois a sua carreira por Câmara de Lobos e Tondela, sendo apresentado como reforço do Sporting da Covilhã na temporada 2009/2010. Beré não completaria a época no conjunto serrano, mas mesmo assim deixou a sua marca de goleador, visto que apontou cinco golos nos 14 jogos oficiais em que participou, merecendo saliência os três tentos assinados em cerca de meia hora na eliminatória da Taça de Portugal com a equipa transmontana do Morais FC, num encontro finalizado com 0-5 favorável às cores covilhanenses. A meio da temporada, Beré foi envergar a camisola do Arouca, jogando posteriormente por vários clubes de Portugal, em concreto, Boavista, um regresso ao Tondela, Famalicão, Vilaverdense, Cesarense, Salgueiros, Tirsense e Pasteleira, onde continua a actuar no Campeonato Distrital da Associação de Futebol do Porto. Que lembranças existem de Beré entre os apoiantes do nosso clube?

Actualizado em Terça, 28 Março 2017 09:20
 
Mané
Terça, 21 Março 2017 00:00

Manuel Chaves Freitas ficou conhecido entre os adeptos do futebol por Mané, um avançado que iniciou a carreira nos escalões de formação do Estrela de Portalegre, tendo ascendido ao patamar sénior naquele emblema alentejano. Posteriormente, Mané representou São Romão, Gouveia, Oliveira do Bairro e Famalicão, antes de assinar pelo Sporting da Covilhã na temporada 1988/1989. Mané veio encontrar uma equipa serrana acabada de descer da 1ª Divisão Nacional, mas o desejo de um rápido regresso ao principal escalão do futebol português não foi prolongado, porque a meio do campeonato a diferença pontual para o futuro vencedor da Zona Centro da 2ª Divisão Nacional, o Feirense, já era significativa, com os covilhanenses a concluírem a prova no 6º lugar. Mané foi utilizado quase sempre a partir do banco de suplentes, não tendo terminado a época na agremiação serrana, prosseguindo depois a carreira por diversos clubes nacionais, nomeadamente, Esposende, Marinhense, Marrazes, Vilarense, Régua, Alcanenense, um regresso ao Gouveia, Souropires e Rebordosa. Que outras memórias permanecem de Mané?

Actualizado em Terça, 21 Março 2017 09:59
 
SC Covilhã 1 AD Fafe 1
Domingo, 19 Março 2017 00:00

Djikiné pressionado por Samu

Volvidos quase 30 anos, o Sporting Clube da Covilhã voltou a receber a Associação Desportiva de Fafe para disputa de uma partida oficial, num jogo que terminou com um empate a uma bola, sendo a sexta igualdade da formação covilhanense nas últimas sete jornadas da Ledman LigaPro, cinco registadas de forma consecutiva, continuando assim com uma margem pontual não muito confortável para os lugares de liguilha e de descida de divisão.

O emblema serrano apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por Mike, Zarabi, Sambinha e Marcílio, ficando Djikiné e Diarra mais recuados no meio campo, com Ponde, Chaby e Harramiz no apoio ao avançado Erivelto. A fase inicial revelou-se algo lenta, apesar de um lance de relativo perigo logo aos 4 minutos, em que Pedro Pereira ganhou posição na área local e rematou para defesa de Igor Rodrigues. No entanto, a espera por nova acção digna de registo prolongou-se até aos 23 minutos, quando Chaby atirou para uma intervenção de Ricardo Fernandes a dois tempos. De resto, o jogo foi quase sempre pouco interessante de acompanhar, com um Covilhã com mais iniciativa atacante, mas sem capacidade de empurrar o adversário para terrenos recuados e de criar sérias dificuldades ao sector defensivo visitante. Já o Fafe, foi acreditando mais no contra ataque após a meia hora e ameaçou colorir o marcador aos 36 minutos, com Digas a atirar ao lado em plena área covilhanense, após um cruzamento de Pedro Pereira na direita.Contudo aos 45 minutos, o conjunto minhoto chegou mesmo ao golo, visto que o árbitro Pedro Vilaça assinalou um pontapé de penálti por falta de Igor Rodrigues sobre Digas, que o goleador Alan Jr. converteu exemplarmente para alegria dos cerca de 300 adeptos forasteiros presentes no Estádio José Santos Pinto. Ao intervalo: 0-1.

Erivelto vai perder o confronto com Daniel Materazzi

Na segunda parte, os comandados de Filipe Gouveia apresentaram-se mais dinâmicos e estiveram perto do empate aos 54 minutos, com Ponde a efectuar um cruzamento traiçoeiro que obrigou o guardião Ricardo Fernandes a um desvio para canto. O tão procurado tento da igualdade acabou por surgir aos 63 minutos, com Chaby a apontar um canto na esquerda para a acção oportuna de Harramiz, que desta forma rubricou o seu nono golo no campeonato. O público local estava entusiasmado e puxava pela equipa, que ameaçou passar para a dianteira do "placard" aos 79 minutos, com Ponde a rematar contra um defesa minhoto muito perto da baliza, na sequência de uma jogada bastante confusa na área visitante. No entanto, aos 84 minutos, o pensamento serrano na vitória sofreu uma forte contrariedade, pois, Marcílio cometeu uma falta sobre Pedro Pereira e foi expulso por acumulação de cartões amarelos. Em inferioridade numérica, o Covilhã teve que estar mais atento a um Fafe apostado em levar o triunfo, mas sem perder de vista a baliza contrária, porém, e apesar de tentativas de ambas as partes, o jogo não teve mais golos e o 1-1 foi mesmo o resultado final. Quando faltam jogar nove jornadas da prova, o Sporting da Covilhã dispõe de algum avanço sobre a zona indesejada da classificação, mas a margem de erro está a ficar reduzida, principalmente por não terem sido aproveitados estes despiques com equipas aflitas para um salto pontual que permitisse uma recta final de campeonato mais descansada, mas vamos acreditar que uma vitória chegará já na próxima jornada, em que os serranos actuam no terreno do Cova da Piedade.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20162017/ledmanligapro/33/7

Actualizado em Segunda, 20 Março 2017 10:23
 
FC Vizela 1 SC Covilhã 1
Quarta, 15 Março 2017 00:00

Como tem sido habitual nas últimas jornadas da Ledman LigaPro, o Sporting Clube da Covilhã voltou a estar muito perto de conquistar os três pontos, mas um golo sofrido nos derradeiros instantes do jogo, em concreto aos 88 minutos, impediu que fosse alcançado esse objectivo no terreno do Futebol Clube de Vizela, com o conjunto covilhanense a somar o quarto empate consecutivo na prova, porém, sem saborear qualquer derrota em seis rondas seguidas.

A formação serrana entrou nesta partida de forma bem perigosa, visto que logo nos momentos iniciais, Harramiz surgiu isolado diante do guardião Pedro Albergaria, só que o seu remate passou ao lado da baliza local. Um começo tão prometedor não originou um jogo movimentado na primeira meia hora, com a bola a ser disputada a maior parte do tempo na zona intermediária, provocando uma tarde descansada para ambos os guarda-redes. O encontro ganhou animação depois dos 30 minutos, até porque o Covilhã revelou-se mais esclarecido no ataque, principalmente nas arrancadas de Medarious, que aos 33 minutos reclamou ter sido derrubado na área minhota, contudo, o árbitro João Pinheiro não considerou existir motivo para castigo máximo. No entanto, aos 35 minutos, um pontapé de penálti foi mesmo assinalado a favor das cores serranas, pois, o inevitável Medarious sofreu falta de Pedro Albergaria, com a conversão a pertencer a Erivelto, que aproveitou para colocar os covilhanenses na dianteira do marcador. O Vizela procurou responder ao tento sofrido, mas sem qualquer lance de verdadeiro perigo para as redes visitantes. Ao intervalo: 0-1.

Na segunda parte esperava-se uma equipa vizelense apostada no ataque, porém, não foi isso que aconteceu nos primeiros momentos, pertencendo mesmo ao Covilhã uma boa oportunidade para ampliar a diferença aos 49 minutos, quando Chaby cruzou para o cabeceamento de Erivelto levar a bola um pouco por cima da baliza anfitriã. Com o avançar do relógio, o Vizela acelerou o ritmo de jogo em busca da igualdade, mas pela frente encontrou uma defensiva serrana muito organizada e que não possibilitou grandes ocasiões de golo aos locais até ao último quarto de hora. Com a partida aparentemente controlada, o cenário mudou após a entrada de Prince Bonkat no conjunto minhoto, que veio agitar o ataque minhoto, com o nigeriano a protagonizar uma acção perigosa aos 77 minutos, quando rematou por alto em boa posição para ter sucesso. O tento do empate acabou por ser uma realidade aos 88 minutos, com um cruzamento de Magique a ser cabeceado com êxito por Carlos Fortes, que também foi colocado em campo no segundo tempo, fixando assim o 1-1 como resultado final. O emblema serrano ainda procurou chegar ao golo da vitória nos poucos minutos disponíveis para jogar, mas sem sucesso, apesar de alguns pontapés de canto e de um remate de Medarious. O Sporting da Covilhã volta a actuar no domingo, ao receber o Fafe no Estádio José Santos Pinto, desejando-se que seja a partida que marque o regresso aos triunfos, até para que a margem pontual para os lugares de liguilha e de descida não seja ameaçada.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20162017/ledmanligapro/32/2

Actualizado em Quarta, 15 Março 2017 17:34
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 8 de 138
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1236405