História do Sporting Clube da Covilhã
CD Cova da Piedade 1 SC Covilhã 0
Domingo, 03 Dezembro 2017 00:00

Depois de oito jogos sempre a pontuar na Ledman LigaPro, o Sporting Clube da Covilhã não conseguiu conquistar qualquer ponto no terreno do Clube Desportivo da Cova da Piedade, sofrendo a primeira derrota na prova na era José Augusto ao comando técnico da equipa, num resultado que ficou definido por um pontapé de penálti apontado por Cleo aos 81 minutos.

O emblema covilhanense apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por João Dias, Zarabi, Joel e Paulo Henrique, ficando Gilberto e Diarra mais recuados no meio campo, com Fatai, Raul Almeida e Reinildo no apoio ao avançado Erivelto. Os serranos entraram bem no jogo e estiveram perto de inaugurar o marcador aos 6 minutos, quando o remate de Fatai apenas foi travado por Tiago Lima Pereira sobre a linha de baliza, quando o guardião Pedro Alves já estava batido. O Covilhã continuou mais empreendedor na partida, mas sem voltar a criar um lance de grande perigo para as redes locais na primeira parte, isto perante um conjunto piedense que sentiu dificuldades no processo ofensivo, beneficiando somente de uma acção digna de registo aos 40 minutos, quando o chinês Yuhao Liu atirou para um desvio traiçoeiro em Zarabi que fez a bola passar próxima da baliza visitante. Ao intervalo: 0-0.

Para o segundo tempo, o treinador Bruno Ribeiro reforçou o ataque com o brasileiro Cleo, que logo aos 47 minutos rematou para uma boa intervenção de Igor Rodrigues para canto, na sequência do qual, a redonda foi até aos pés de Evaldo, que atirou para outra grande defesa de Igor Rodrigues. Este recomeço muito forte do Cova da Piedade foi bem revertido pela equipa covilhanense, que aos 59 minutos também levou o perigo até à baliza adversária, valendo o corte de um defensor piedense para impedir o remate triunfal do recém-entrado Índio. O jogo revelava-se intenso, mas sem demasiada emoção, com o protagonismo a estar reservado para as bolas paradas, que passaram a estar na origem dos lances mais mediáticos, até que aos 81 minutos surgiu o único golo da partida, com o árbitro Carlos Espadinha a considerar que Joel cometeu falta sobre Ballack, apontando um castigo máximo para Cleo fixar o marcador em 1-0. Os derradeiros instantes do jogo foram de sinal mais para os serranos, que instalaram-se no meio campo contrário em busca do empate, porém, o Cova da Piedade esteve coeso a defender e segurou a magra vantagem. Este desfecho deixa o Sporting da Covilhã apenas a um ponto dos lugares de descida, desejando-se que possa regressar às vitórias já na próxima jornada, quando receber o União da Madeira no Estádio José Santos Pinto.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20172018/ledmanligapro/15/6

Actualizado em Domingo, 03 Dezembro 2017 22:08
 
Zé Salcedas
Terça, 28 Novembro 2017 00:00

Zé Salcedas finalizou as camadas jovens no Sporting da Covilhã e ascendeu a sénior na época 1986/1987, tendo integrado o plantel serrano que conquistou o título nacional da 2ª Divisão e garantiu a subida ao mais alto escalão do futebol português. O jovem Zé Salcedas actuava preferencialmente a defesa central e, apesar da forte concorrência para a posição, ainda envergou a camisola serrana em três partidas oficiais: na última jornada do campeonato, com o nosso clube já vencedor da Zona Centro, na visita ao Estrela de Portalegre; e nos dois jogos com o Atlético do Cacém numa emocionante eliminatória da Taça de Portugal, em que os covilhanenses só conseguiram o apuramento no prolongamento do encontro de desempate no Estádio José Santos Pinto. A carreira de Zé Salcedas prosseguiu depois por diversos emblemas da nossa região, em concreto, Teixosense, UD Belmonte, Cariense, AD Guarda, GD Vales do Rio e AD São Romão, deixando certamente várias recordações das suas actuações… 


Actualizado em Terça, 28 Novembro 2017 09:38
 
SC Covilhã 0 Real SC 0
Domingo, 26 Novembro 2017 00:00

Gilberto pressiona Kikas

Pela primeira vez na história do futebol português, Sporting Clube da Covilhã e Real Sport Clube encontraram-se num jogo oficial, que não vai deixar muitas saudades aos espectadores que se deslocaram ao Estádio José Santos Pinto, visto que a partida teve pouca emoção e o nulo acaba por ser um resultado adequado ao que se passou dentro das quatro linhas.

A formação serrana apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por João Dias, Zarabi, Joel e Paulo Henrique, ficando Gilberto e Diarra mais recuados no meio campo, com Fatai, Índio e Reinildo no apoio ao avançado Erivelto. Este encontro até começou com um lance digno de registo, porque logo no minuto inaugural, Cazonatti cabeceou para uma defesa de Igor Rodrigues a dois tempos, contudo, depressa a partida se arrastou para características monótonas, que são muito boas para os apaixonados pelas questões tácticas, mas pouco apelativas para quem gosta de emoção no jogo. Com os sectores defensivos a superiorizarem-se claramente às iniciativas atacantes, tornou-se necessário aguardar pelos instantes finais da primeira parte para voltarmos a ver acções perigosas para as balizas: aos 40 minutos, Erivelto cruzou da direita para Índio surgir na cara do guardião Tom, só não fazendo golo devido a uma derradeira intervenção de um opositor; e aos 44 minutos, Abou Touré possibilitou o cabeceamento de Vinicius (o melhor marcador do campeonato) para boa defesa de Igor Rodrigues.

Índio sente a oposição de Vasco Coelho

A etapa complementar revelou duas equipas mais rematadoras, com Marcos Barbeiro a atirar para intervenção segura de Igor Rodrigues, respondendo os serranos através de um remate de Reinildo para um também seguro Tom. Aos 65 minutos, o conjunto de Massamá-Queluz teve uma boa oportunidade para inaugurar o marcador, quando na sequência de um canto, a bola sobrou para o desvio de Cazonatti, que apenas foi travado pelos excelentes reflexos do guarda-redes Igor Rodrigues. O treinador José Augusto, que continua sem perder na prova (três vitórias e cinco empates) com as cores covilhanenses, foi mexendo no seu conjunto e o certo é que os locais estiveram mais pressionantes no último quarto de hora, com o recém-entrado Adul Seidi a cabecear torto em plena área visitante aos 82 minutos. No derradeiro lance do encontro, Erivelto ainda tentou a sua sorte de longe, mas a bola saiu à figura de Tom, que segurou um ponto para o Real SC. O Covilhã não conseguiuassim ganhar o jogo, no entanto, elevou para oito o número de jornadas consecutivas sem perder, o que é sempre motivo de saliência, seguindo-se uma deslocação ao terreno do Cova da Piedade no próximo domingo.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20172018/ledmanligapro/14/3

Actualizado em Segunda, 27 Novembro 2017 10:02
 
Sérgio Barbosa
Terça, 21 Novembro 2017 00:00

Sérgio Barbosa começou a jogar futebol federado no SC Linda-a-Velha, mas as suas qualidades em terrenos atacantes possibilitaram-lhe o ingresso nos juvenis do Estrela da Amadora, onde concluiu os escalões de formação. Para cumprir o seu primeiro ano a nível sénior, Sérgio Barbosa rumou ao Sporting da Covilhã na temporada 1989/1990, encontrando-se o nosso clube a disputar a Zona Centro da 2ª Divisão Nacional. Foi uma época complicada para Sérgio Barbosa e colegas, visto que o conjunto covilhanense começou o campeonato com duas derrotas e foi afastado logo na 1ª eliminatória da Taça de Portugal pelo SL Nelas (na altura a militar no Distrital da Associação de Futebol de Viseu), com a temporada a terminar com um 10º lugar no escalão secundário, o que impediu a participação serrana na edição inaugural da 2ª Divisão de Honra. Sérgio Barbosa regressou na época seguinte ao emblema estrelista, que teve oportunidade de representar na 1ª Divisão Nacional, algo que repetiu no Campomaiorense, jogando ainda noutros clubes a nível nacional, nomeadamente, Ovarense, FC Penafiel, Portimonense, CD Mafra e Pinhalnovense. Que outras lembranças existem das exibições de Sérgio Barbosa?

Actualizado em Terça, 21 Novembro 2017 09:39
 
Jorge Quadros
Terça, 14 Novembro 2017 00:00

O guarda-redes Jorge Quadros assinou pelo Sporting da Covilhã na época 1984/1985, tendo sido contratado à Naval 1º de Maio, numa altura em que o emblema figueirense tinha acabado de descer à 3ª Divisão Nacional. Jorge Quadros envergou a camisola serrana apenas uma temporada, mas sem ter efectuado qualquer jogo oficial, visto que a baliza covilhanense esteve sempre defendida por Martins. Contudo, Jorge Quadros nunca perderá o mérito de ter integrado um grupo de grande sucesso para as cores serranas, pois, para além de garantir a subida à 1ª Divisão Nacional (1º lugar na Zona Centro do escalão secundário), este plantel alcançou as Meias Finais da Taça de Portugal (eliminação pelo SL Benfica no Estádio da Luz), sendo uma temporada de referência para todos os adeptos do nosso clube. Que memórias ficaram de Jorge Quadros entre os apoiantes serranos?

Actualizado em Terça, 14 Novembro 2017 10:02
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 2 de 145
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1303481