História do Sporting Clube da Covilhã
Paulo Henrique
Terça, 01 Janeiro 2019 00:00

O brasileiro Paulo Henrique estreou-se no futebol português com a camisola do Vitória de Guimarães, pelo qual chegou a actuar na 1ª Liga na época 2008/2009, mas a sua juventude e pouca utilização originou o empréstimo ao Sporting da Covilhã a meio dessa temporada. No emblema serrano, Paulo Henrique não conseguiu ser um titular indiscutível no sector intermediário da equipa, mas ainda participou em alguns jogos da 2ª Liga, dando o seu contributo para um tranquilo 7º lugar na classificação final. Na temporada seguinte, o Vitória SC optou por novo empréstimo de Paulo Henrique, agora ao Varzim SC, também a militar na divisão secundária, mas concluído o campeonato o médio regressou ao Brasil, onde representou diversos clubes, jogando neste momento no Inter de Lages do Campeonato Catarinense. Que recordações permanecem de Paulo Henrique com a camisola serrana? 


Actualizado em Terça, 01 Janeiro 2019 18:26
 
Nuno Gomes
Terça, 25 Dezembro 2018 00:00

O defesa central Nuno Gomes começou a jogar futebol federado no Beira Mar de Almada, mas depressa rumou aos iniciados do Sporting CP, onde concluiu os escalões de formação e somou internacionalizações por Portugal desde dos sub-15 aos sub-18. A estreia a nível sénior foi no Lourinhanense, na altura clube-satélite dos leões de Lisboa, representando depois FC Felgueiras, Campomaiorense (na 1ª Divisão Nacional), Desportivo de Chaves, Varzim SC e União de Leiria (também na 1ª Divisão), antes de ser apresentado como reforço do Sporting da Covilhã para a época 2010/2011. Nuno Gomes participou em 21 encontros oficiais (2ª Liga, Taça de Portugal e Taça da Liga) com a camisola serrana, ajudando o nosso clube a alcançar a permanência no escalão secundário após emocionante despique com o emblema varzinista. Antes de colocar um ponto final na actividade futebolística, Nuno Gomes ainda actuou duas temporadas no Chipre, uma ao serviço do Akritas, a outra no AE Kouklion. Que memórias ficaram de Nuno Gomes no centro da defensiva covilhanense?

Actualizado em Quarta, 26 Dezembro 2018 09:51
 
FC Porto B 3 SC Covilhã 0
Sábado, 22 Dezembro 2018 00:00

Tal como na época passada, o Sporting Clube da Covilhã foi derrotado por 3-0 no terreno da equipa B do Futebol Clube do Porto, somando desta forma o sexto jogo consecutivo sem vencer na Ledman LigaPro, o que origina a permanência no indesejado último lugar da classificação.

Esta partida teve um início equilibrado, com ambas as equipas a aproximarem-se das balizas adversárias, verificando-se o golo inaugural aos 9 minutos, quando Chidozie apontou um livre directo para defesa do guardião Vítor São Bento, mas com a bola a sobrar para a recarga triunfal de Romário Baró. Os comandados de Filó sentiram o tento sofrido e permitiram que fosse o conjunto azul e branco a ameaçar dilatar a diferença em duas situações: primeiro, num cabeceamento de Marius um pouco ao lado das redes serranas; depois, numa boa iniciativa de João Pedro que só foi travada por uma excelente intervenção de São Bento. Nos instantes finais da primeira parte, o Covilhã subiu de rendimento e delineou um lance perigoso aos 45 minutos, em que Bonani apareceu em boa posição para fazer golo, no entanto, permitiu a acção de um opositor antes de rematar à baliza portista. Curiosamente, na jogada seguinte foi o FC Porto B que rubricou o segundo tento da manhã na conversão de um pontapé de penálti por Marius, resultante de uma falta de Jaime sobre Gleison, que foi devidamente sancionada pelo árbitro João Matos. Ao intervalo: 2-0.

No segundo tempo, a formação covilhanense teve de apostar tudo no ataque em busca de discutir os pontos do jogo e Deivison não demorou a dar sinal de perigo num cabeceamento ao lado, mas a melhor oportunidade para os serranos reduzirem a desvantagem aconteceu aos 59 minutos, quando Adriano Castanheira rematou rasteiro para uma grande intervenção do guarda-redes Diogo Costa. Os visitantes continuaram a acreditar que a partida não estava perdida, mas o certo é que não conseguiram o golo que permitiria maior motivação para esse objectivo, como por exemplo aos 73 minutos, em que Mica atirou em plena área local contra um adversário. Mais concretizadores revelaram-se os pupilos de Rui Barros, que aos 77 minutos fixaram o resultado em 3-0 por intermédio de Rúben Macedo, ao cabecear com êxito um cruzamento de Yahaya na direita. Ao onze forasteiro não restou mais do que acabar o encontro com dignidade, procurando minimizar os números evidenciados pelo marcador, embora sem sucesso. Este desaire deixa a missão serrana no campeonato mais complicada, com apenas 10 pontos ao fim de 14 jornadas, sendo uma média muito pobre para quem quer alcançar a manutenção na Segunda Liga, desejando-se que possa começar a ser invertida na recepção ao SC Braga B no início de Janeiro.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20182019/ledmanligapro/13/6

Actualizado em Sábado, 22 Dezembro 2018 16:38
 
Jorge Nuno Couto
Terça, 18 Dezembro 2018 00:00

Jorge Nuno, também conhecido nos meios futebolísticos por Couto, cumpriu os escalões de formação no FC Porto, FC Infesta, Gondomar SC e Leixões SC, chegando ao Sporting da Covilhã na época 2006/2007, proveniente dos juniores do emblema gondomarense. O jovem Jorge Nuno encontrou o conjunto serrano a disputar a Série C da 2ª Divisão B e não conseguiu ser influente no meio campo da equipa, tendo participado em poucos encontros, numa temporada em que os covilhanenses não foram além do 4º lugar da tabela classificativa, bem distantes do promovido CD Fátima. Na época seguinte, Jorge Nuno regressou ao norte do país e jogou por diversos emblemas, em concreto, AD São Pedro da Cova, GD Bragança, SC Mirandela, AC Vila Meã, CD Sobrado, UD Valonguense e Custóias FC. Que lembranças existem das actuações de Jorge Nuno com o emblema covilhanense?

Actualizado em Terça, 18 Dezembro 2018 10:03
 
SC Covilhã 2 FC Arouca 2
Domingo, 16 Dezembro 2018 00:00

Mica Silva muito pressionado por Didi

Ainda não foi nesta jornada que o Sporting Clube da Covilhã conseguiu voltar aos triunfos na Ledman LigaPro e deixar o último lugar da classificação, pois, a recepção ao Futebol Clube de Arouca saldou-se por uma igualdade a duas bolas, numa partida que teve emoção até ao seu final.

O emblema covilhanense apresentou-se no Estádio José Santos Pinto com Vítor São Bento na baliza, acompanhado na defensiva por Gilberto, Jaime Simões, Zarabi e Agostinho Soares, com o meio campo ocupado por Rodrigues, Makouta e Mica Silva, ficando o ataque entregue a Adriano Castanheira, Bonani e Deivison. Este jogo teve um golo madrugador para o conjunto visitante, visto que aos 7 minutos o angolano Malele rematou certeiro a passe de Adílio, provocando os primeiros festejos nas hostes arouquenses. A resposta local esteve quase a ser na mesma medida, só que a acção de Deivison foi desviada para canto pelo guardião Stefanovic. O Covilhã bem se esforçou por chegar ao empate, no entanto, acabou por estar próximo de sofrer novo tento aos 29 minutos, quando Fábio Fortes atirou por alto em posição favorável para ser feliz. Contudo, seria mesmo o conjunto serrano a festejar no minuto seguinte a igualdade, em que Adriano assinou um grande remate de pé esquerdo e recebeu os merecidos aplausos do plateia covilhanense. O jogo continuou a revelar duas equipas a procurar o triunfo e não faltaram ameaças a outras mexidas no marcador: aos 34 minutos, um livre directo apontado por Kiko possibilitou uma boa intervenção a São Bento; aos 41 minutos, Adriano cruzou para Deivison ficar muito perto de desviar a bola para as redes forasteiras; aos 42 minutos, São Bento opôs-se com valentia à iniciativa de Adílio; e aos 45 minutos, Didi fez a redonda bater na parte superior da barra da baliza serrana. Ao intervalo: 1-1.

A etapa complementar apresentou um Arouca muito rápido e bastante perturbador para a defensiva da equipa de Filó, dando sinal de perigo logo aos 48 minutos, quando Fábio Fortes chegou ligeiramente atrasado ao cruzamento de Malele. Porém, e apesar desta postura visitante, foi o emblema covilhanense que passou para a frente do "placard" aos 53 minutos, com a bola bombeada por Zarabi a isolar Bonani diante de Stefanovic, com o brasileiro a ser eficaz na conclusão. O Arouca não alterou a sua postura e aos 60 minutos esteve perto do empate por Adílio, mas o seu cabeceamento somente não teve sucesso devido à presença de Zarabi sobre a linha de baliza. O Covilhã passava por algumas dificuldades, todavia, uma ou outra saída para o ataque também merecem saliência, como por exemplo aos 69 minutos, em que Makouta atirou para uma boa intervenção de Stefanovic. Na jogada seguinte, o Arouca fixou o resultado em 2-2 pelo inevitável Malele, que cabeceou correctamente um cruzamento de Kiko. O encontro continuou interessante de acompanhar até ao derradeiro apito do árbitro Pedro Vilaça, com ambos os conjuntos em pleno esforço para alcançarem a tão desejada vitória, destacando-se dois lances em que o golo podia ter acontecido: aos 86 minutos, um cabeceamento de Arteaga passou por cima das redes anfitriãs; e aos 90+4 minutos, um livre de Adriano ficou a escassos centímetros do êxito. Com cinco jogos consecutivos sem vencer, o Sporting da Covilhã permanece na "lanterna vermelha" do campeonato, seguindo-se uma deslocação ao terreno do FC Porto B na manhã do próximo sábado.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20182019/ledmanligapro/12/6

Actualizado em Segunda, 17 Dezembro 2018 10:09
 
<< Início < Anterior 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 Seguinte > Final >>

Pág. 11 de 174
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1743576