História do Sporting Clube da Covilhã
Isaurindo
Quarta, 23 Maio 2012 00:00

Isaurindo começou a revelar os seus dotes na defesa das redes no Lusitano FC de Vila Real de Santo António, onde foi figura de destaque durante várias épocas, ficando conhecido pelo “homem de borracha”. Isaurindo foi contratado pelo Sporting da Covilhã na temporada 1951/1952, onde apesar da baixa estatura, demonstrou uma impressionante elasticidade, defendendo a baliza serrana durante três épocas na 1ª Divisão Nacional, ajudando à conquista de um 6º, de um 7º e de um 10º lugar. Isaurindo envergou as cores covilhanenses em jogos do principal escalão, mas também participou em partidas da Taça de Portugal, com os serranos a serem eliminados consecutivamente nos Quartos de Final, respectivamente por SL Benfica e Vitória de Guimarães. Isaurindo regressaria depois a terras algarvias, agora para representar o Farense, tendo certamente deixado as mais diversas recordações entre os apaixonados do futebol…

Actualizado em Quarta, 23 Maio 2012 08:57
 
Alemão
Quarta, 16 Maio 2012 00:00

Desta vez, o nosso site recuou até à década de Setenta, entrevistando o brasileiro Alemão, um jogador com características atacantes que deliciou os adeptos serranos com excelentes exibições, fazendo parte de uma equipa que garantiu a subida à 2ª Divisão Nacional e que rubricou uma carreira espectacular na Taça de Portugal.

Alemão está radicado em Paredes, onde tem uma clínica de massagens de recuperação juntamente com o filho

1 - Como é que ingressou no SC Covilhã?

Em 1971, iniciei a minha carreira de futebolista em Portugal pelo Beira-Mar. Indiquei o jogador Babá em 1972 à direcção do Beira-Mar, o qual fez contrato nesse ano. Em 1974, eu e o Babá fomos levar dois jogadores que mandei vir do Brasil (o Baixa e o Paulinho) para ingressarem no Covilhã, mas só o Baixa fez contrato com o clube. Nesse ano, o Sr. Manuel Pintassilgo estava muito nervoso porque a equipa do Covilhã não correspondia e precisava de uma equipa para subir. Eu disse-lhe “se o senhor quiser que eu vá para a equipe, eu vou.” A resposta do Sr. Manuel Pintassilgo foi “o Sr. já está no SC Covilhã, só se o dinheiro não valer, é o presente que eu vou dar ao clube.” E assim, em 1974, o Covilhã pagou ao Beira-Mar 500 contos por um empréstimo de 2 anos pelo Alemão, muito dinheiro naquele tempo. Eu e o Babá fizemos contrato nesse ano pelo Covilhã e fomos campeões.

2 - Quais os principais momentos que passou no SC Covilhã?

- Foi ser campeão;

- A amizade e união da equipa;

- O apoio da direcção;

- Sem desconsiderar ninguém, saliento o grande Capitão Prata, o homem que defendeu as pessoas de fora, mesmo sendo da terra.

- Ficar em 4º lugar na Taça de Portugal, na época 74-75, eliminados pelo Boavista, apenas no prolongamento.

3 - A equipa de 1974/75 fez uma época brilhante, onde venceu a Serie B da terceira divisão. Era uma equipa de outros patamares?

Era sim senhor uma grande equipa, com grandes jogadores. Praticamente fomos campeões antecipados, estavamos com muitos pontos de difirença das outras equipas.

Alemão brilhou no SC Covilhã nos anos Setenta

4 – Nesta mesma época o SCC conseguia a fantástica marca de 103 golos, era um ataque demolidor?

Era um ataque muito forte, não havia hipótese. Os grandes goleadores como o Bites, Fazenda, o Betinho, o Babalito, o Pinto, o Óscar e eu (Alemão) com 46 Golos pelo campeonato, e outros que não me recordo agora.

5 - Acompanha actualmente o SC Covilhã?

Acompanho sempre o Covilhã, como também o Beira-Mar e o Paredes.

6 - Qual a sua actividade no presente?

Actualmente, sou Massagista de Recuperação. Tenho uma Clínica onde trabalho com o meu filho, Joaquim Ramos de Souza Filho. Pode-se visitar no nosso site: www.alemaoefilho.com.

7 - Que gostaria de referir que não foi mencionado anteriormente?

Gostaria de referir que dos vários clubes portugueses em que joguei, o SC Covilhã é o único que actualmente presta homenagem aos antigos jogadores que fizeram a história do Clube, realizando um encontro anual para o efeito, o que é de louvar. A todas as pessoas do Concelho da Covilhã, das Aldeias e da Cidade, o meu muito obrigado pelo apoio, mas um obrigado muito especial para o meu amigo Prata. “Quando subo a Serra da Estrela e estou descendo, sei que que estou entrando na Covilhã, estou a entrando no Paraíso...”. Obrigado.

Alemão progride com a bola entre os adversários

 

 

 

Actualizado em Quarta, 16 Maio 2012 11:03
 
Piteira
Segunda, 14 Maio 2012 00:00

Piteira completou a sua formação futebolística no Desportivo de Beja, mas não demorou a assumir protagonismo na equipa sénior, ao ponto de ser posteriormente contratado pelo Campomaiorense, onde chegou a jogar na 1ª Divisão Nacional. Seguiram-se passagens por Imortal, Felgueiras e Marco, antes de Piteira ingressar no Sporting da Covilhã em 2000/2001, onde esteve somente uma temporada, mas deixando boa impressão, quer a defesa central, quer no meio campo, com destaque para alguns golos que apontou, ajudando os serranos a lutar pela subida à 2ª Divisão de Honra, que seria perdida para a Oliveirense. Piteira prosseguiu a carreira na Sanjoanense, Imortal, Castrense, Desportivo de Beja e Odemirense, optando depois pela função de treinador, já com títulos conquistados em terras alentejanas. Que outras recordações existem de Piteira?

Actualizado em Segunda, 14 Maio 2012 21:25
 
Moreirense FC 1 SC Covilhã 1
Domingo, 13 Maio 2012 00:00

 

O empate no terreno do Moreirense Futebol Clube não foi suficiente para o Sporting Clube da Covilhã garantir a manutenção na Liga Orangina, apesar de até ter estado em vantagem no marcador durante a primeira parte, mas essa situação foi pouco duradoura, visto que o golo local não demorou a surgir.

Os minhotos, a precisarem de vencer para festejarem a subida de escalão, entraram muito fortes no jogo e criaram perigo logo aos 5 minutos, quando Bruno Moreira atirou por cima em posição favorável. No entanto, cerca do quarto de hora, os serranos colocaram calma na partida e até ameaçaram as redes nortenhas aos 17 minutos, quando um livre apontado por Fofana obrigou Ricardo Ribeiro a não segurar a bola, que sobrou para a recarga torta de Zezinho. O encontro estava tão movimentado, que num lance aos 23 minutos, Bruno Moreira proporcionou uma boa defesa a Nuno Santos, surgindo de imediato um contra ataque visitante, em que Fofana passou pelo guardião Ricardo Ribeiro e inaugurou o marcador, originando fortes festejos nos covilhanenses presentes em Moreira de Cónegos. Contudo, a alegria forasteira durou pouco tempo, pois, praticamente no lance seguinte, o Moreirense alcançou o empate numa acção muito confusa na sequência de um canto. A formação local galvanizou-se ainda mais com o golo obtido e rubricou duas jogadas em que esteve perto de virar o resultado a seu favor: aos 37 minutos, novamente Bruno Moreira a atirar para uma grande intervenção de Nuno Santos; e aos 41 minutos, foi Joel que incomodou o cabeceamento de Wagner, fazendo com que a bola fosse pela linha de fundo. Ao intervalo: 1-1.

Após o período de descanso, o Moreirense regressou mais forte e elaborou jogadas complicadas para o sector mais recuados dos opositores, com destaque para os lances protagonizados por Wagner, Bruno Moreira e Fábio Espinho, porém, a boa actuação de Nuno Santos e a pontaria pouco afinada dos locais fizeram perdurar a igualdade. A meio da etapa complementar, o Covilhã acreditou que podia chegar ao tento salvador, merecendo saliência dois lances: aos 65 minutos, Dani Coelho rematou para defesa oportuna de Ricardo Ribeiro, recargando de cabeça por alto; e aos 67 minutos, atirou um pouco por cima em plena área. Ao caminhar para o final, o jogo foi perdendo emoção, parecendo que ambas as formações estavam satisfeitas com o empate, aguardando somente pelo último apito do árbitro Pedro Proença, que definiu o 1-1 como desfecho final, o que permitiu os festejos locais pela subida de divisão e que garantiu ao Covilhã o penúltimo lugar, que não permite para já a manutenção.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://www.lpfp.pt/liga_orangina/pages/jogo.aspx?epoca=20112012&jornada=30&jogo=7253

Actualizado em Domingo, 13 Maio 2012 20:06
 
Pinto Dias
Quarta, 09 Maio 2012 00:00

Pinto Dias iniciou a carreira de futebolista nos juvenis do Sporting da Covilhã, tendo ascendido ao plantel sénior na época 1967/1968, onde se manteve quase toda a década de Setenta, com excepção das temporadas em que esteve ao serviço do Santacruzense e do Covilhã e Benfica. Pinto Dias jogava a avançado e ajudou o emblema serrano a duas subidas ao escalão secundário: em 1970/1971, após o triunfo no Torneio de Competência com Fafe, Sanjoanense e Vizela; e em 1974/1975, depois do 1º lugar conquistado na Série B da 3ª Divisão, tendo apenas perdido o título nacional para a União de Santarém, na final disputada em Leiria. Diga-se que essa temporada também ficou marcada pelo bom desempenho na Taça de Portugal, em que a equipa de Pinto Dias e restantes colegas somente foi eliminada nos Oitavos de Final pelo Boavista, que haveria de vencer a competição. Pinto Dias envergou a camisola serrana até 1977/1978, representando depois outros clubes da região, como AD Fundão, SC Barco, São Romão e Tortosendo e Benfica, permanecendo certamente outras memórias das suas exibições…

Actualizado em Quarta, 09 Maio 2012 08:54
 
<< Início < Anterior 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150 Seguinte > Final >>

Pág. 142 de 165
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1577331