História do Sporting Clube da Covilhã
Rosato
Quarta, 14 Dezembro 2011 00:00

Rosato, natural de Buenos Aires (Argentina), iniciou a carreira no Lanús, transferindo-se depois para o Doc Sud, mas voltando ao clube de origem antes de assinar pelo Sporting da Covilhã na época 1951/1952, dando início a quatro temporadas a representar a formação serrana. Rosato jogava a médio esquerdo e revelou sempre grande visão colectiva, participando em 77 jogos pelos covilhanenses na 1ª Divisão, nos quais rubricou quatro golos, ajudando a bons desempenhos da equipa nesse escalão, com destaque para o 6º lugar de 1951/1952. Também na Taça de Portugal, Rosato esteve em bom plano, contribuindo para duas presenças consecutivas do nosso emblema nos Quartos de Final da competição, mas eliminações perante SL Benfica e Vitória de Guimarães impediram maior protagonismo na prova. Que outras memórias permanecem de Rosato?

Actualizado em Terça, 13 Dezembro 2011 18:50
 
SC Covilhã 2 SC Freamunde 1
Domingo, 11 Dezembro 2011 00:00

 

 

Fofana cruza perante a oposição de Tarcísio

Depois de quatro jogos sem festejar um golo e sem vencer na Liga Orangina, o Sporting Clube da Covilhã conseguiu nesta jornada acabar com essa série negativa, visto que alcançou um triunfo por 2-1 sobre o Sport Clube Freamunde, com todos os tentos apontados no segundo tempo.

Os serranos entraram em campo num esquema de 1x4x3x3, com a baliza entregue a Nuno Santos, acompanhado na defesa por Dani Coelho, Gégé, Ricardo Rocha e Joel, sendo a zona intermediária composta por Idris, Gabi e André Sousa e o ataque por Wang Gang, Dominic e Fofana. O encontro teve um início muito lento, o que facilitou a missão dos sectores mais recuados, por isso, os lances de perigo foram uma raridade na primeira parte, havendo apenas a mencionar as seguintes acções: aos 15 minutos, um remate de rasteiro de Dani Coelho passou perto da baliza visitante; e aos 29 minutos, André Sousa obrigou Tó Figueira a boa defesa para canto, na sequência do qual, Wang Gang rematou para nova intervenção do guardião do Freamunde. Apesar de alguma superioridade covilhanense, a velocidade esteve quase sempre afastada da partida e o jogo chegou ao período de descanso com um nulo e sem grandes motivos de interesse. Ao intervalo: 0-0.

Dominic pressiona o guardião Tó Figueira

Tudo mudou na segunda parte, visto que o Covilhã regressou de pontaria afinada e fez dois golos em curto espaço de tempo: aos 47 minutos, Fofana conduziu bem a bola e rematou rasteiro fora do alcance de Tó Figueira, proporcionando os primeiros festejos dos adeptos locais; e aos 50 minutos, na cobrança de um livre directo, o alemão Dominic atirou de forma superior para o fundo das redes forasteiras, aumentando a alegria do público presente no Complexo Desportivo. O Freamunde não demorou a reagir e logo com perigo, pois, aos 58 minutos, a bola rematada por Marco Matias ainda bateu na parte superior da barra da baliza de Nuno Santos. Porém, os serranos organizaram-se em defesa do resultado e não permitiram ameaças sérias à sua vantagem, continuando bastante coesos após as entradas de Filipe Fernandes, Gui e Aníbal Capela, mas não se esqueceram de contra atacar, com Wang Gang a assinar uma bela jogada aos 88 minutos, finalizada com um remate à malha lateral. No entanto, o que parecia mais do que decidido, complicou-se em cima dos 90 minutos, visto que o árbitro Manuel Mota marcou uma grande penalidade por pretensa infracção de Gégé, que viu o cartão vermelho por acumulação de amarelos, num lance muito contestado pelos serranos, que ainda viram o técnico Tulipa ser expulso do banco de suplentes. Na conversão do castigo máximo, Bock colocou o resultado em 2-1, que seria o desfecho final, apesar das derradeiras tentativas do Freamunde em busca do empate. Terminado o sofrimento dos últimos instantes, os locais puderam celebrar o regresso às vitórias, somando três pontos que permitem uma ascensão na tabela classificativa e uma aproximação ao opositor da próxima jornada, que tem agendada uma deslocação a Penafiel.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://www.lpfp.pt/liga_orangina/pages/jogo.aspx?epoca=20112012&jornada=11&jogo=7188

Resumo: José Cavaca - Provideo

 

Actualizado em Segunda, 12 Dezembro 2011 10:44
 
Túbia
Quarta, 07 Dezembro 2011 00:00

O angolano João Paulo Arsena Ribeiro ficou conhecido no mundo do futebol por Túbia, um extremo direito que chegou ao Sporting da Covilhã na temporada 2000/2001, tendo sido contratado ao Feirense após passagens por Boavista, Desportivo das Aves, União de Leiria e Sporting de Espinho. Na época inaugural ao serviço dos serranos, Túbia contribuiu para que a equipa estivesse na luta pelo 1º lugar na Zona Centro da 2ª Divisão B, no entanto, a subida de divisão acabaria por ser conquistada pela Oliveirense. Contudo, na temporada seguinte esse objectivo foi mesmo alcançado após intensa disputa com SC Pombal, com Túbia a ser elemento fundamental em algumas partidas, ajudando o emblema serrano a ascender à 2ª Divisão de Honra, com o jogo decisivo a ser realizado em Odivelas perante um grande número de adeptos covilhanenses. Túbia envergou a camisola serrana durante duas épocas e certamente que deixou outras recordações…

Actualizado em Terça, 06 Dezembro 2011 18:14
 
SC Covilhã 0 CD Trofense 0
Domingo, 04 Dezembro 2011 00:00

Dominic diante do guardião Trigueira 

Em jogo antecipado da 13ª jornada da Liga Orangina, o Sporting Clube da Covilhã não foi além de um nulo na recepção ao Clube Desportivo Trofense, somando assim a quinta partida consecutiva sem festejar um golo, contabilizando nesse registo também uma eliminatória da Taça de Portugal.
Os serranos apresentaram-se em campo num esquema de 1x4x3x3, com Nuno Santos na baliza, acompanhado na defensiva por Dani Coelho, Gégé, Ricardo Rocha e Joel, ficando o meio campo entregue a Idris, Gabi e Dani Matos, com as tarefas atacantes sob a responsabilidade de Wang Gang, Dominic e Fofana. O encontro até começou com alguma dinâmica, surgindo o primeiro lance de perigo aos 8 minutos, quando Wang Gang atirou rasteiro para boa defesa de Trigueira, ao que respondeu o Trofense aos 14 minutos, com Feliz a proporcionar uma intervenção de grande dificuldade a Nuno Santos. No entanto, o avançar do relógio trouxe a sonolência ao Complexo Desportivo, que só não foi total devido aos cânticos das claques locais, por isso, foi com naturalidade que não se verificou qualquer acção digna de registo, salientando-se apenas algumas arrancadas do chinês Wang Gang que não tiveram sequência perigosa.

Wang Gang rodeado de adversários

Após o intervalo, a formação orientada por Tulipa apareceu um pouco mais rápida, mas foi algo sem demasiada duração, sendo necessário esperar pelo minuto 65 para acontecer uma jogada interessante, porém, Dominic não acertou na bola diante de Trigueira. O Trofense estava mais preocupado em segurar o empate, embora tenha conseguido três cantos consecutivos, como que a demonstrar que também poderia chegar ao triunfo. Com as entradas de Gui e André Sousa, o Covilhã subiu de rendimento e passou a jogar mais perto das redes visitantes, porém, os defensores adversários e o guardião Trigueira impediram o tento local. O público covilhanense desesperava e pedia a entrada de mais um avançado, neste caso Pedro Ribeiro, algo que somente aconteceu aos 88 minutos, curiosamente, uns momentos antes de Reguila introduzir a bola na baliza serrana, mas o árbitro assistente deu indicação de fora de jogo ao juiz Hugo Miguel e o lance foi anulado. O Covilhã nunca desistiu de procurar a vitória, que esteve quase a acontecer aos 90+3 minutos, quando uma espectacular defesa de Trigueira impediu o sucesso do remate de Joel. O jogo terminou nos instantes seguintes, com o 0-0 a perdurar como resultado final, sabendo-se que o Sporting da Covilhã voltará a actuar perante o seu público na próxima jornada, ao receber desta vez o Freamunde.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://www.lpfp.pt/liga_orangina/pages/jogo.aspx?epoca=20112012&jornada=13&jogo=7220

Resumo: José Cavaca - Provideo

 

Actualizado em Segunda, 05 Dezembro 2011 10:28
 
Diamantino
Quarta, 30 Novembro 2011 00:00

Diamantino iniciou a carreira de futebolista nos juniores do Estoril-Praia, onde ainda jogou pelos seniores antes de surgir a transferência para o Sporting da Covilhã na época 1948/1949, tendo representado o emblema serrano durante quatro temporadas. Diamantino jogava preferencialmente a médio direito, rubricando belas exibições ao serviço dos covilhanenses, participando em 89 jogos e assinando 3 golos na 1ª Divisão, contribuindo assim para o bom desempenho do clube nesse patamar competitivo, com destaque para o 6º lugar obtido em três épocas consecutivas. Também na Taça de Portugal se verificou algum protagonismo logo na temporada inicial de Diamantino ao serviço do Sporting da Covilhã, visto que apenas a derrota com o Atlético nas Meias Finais impediu um êxito maior. As actuações pelos serranos permitiram que Diamantino fosse contratado pelo Belenenses, onde continuou a ser um atleta de eleição. Que outras memórias permanecem de Diamantino?

Actualizado em Terça, 29 Novembro 2011 18:39
 
<< Início < Anterior 141 142 143 144 145 146 147 148 149 150 Seguinte > Final >>

Pág. 146 de 158
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1502992