História do Sporting Clube da Covilhã
Jacinto João
Quarta, 29 Agosto 2012 00:00

Jacinto João começou a carreira a defender a baliza das camadas jovens do Salgueiros, mas as suas aptidões proporcionaram-lhe um lugar no plantel sénior do emblema portuense durante várias temporadas, antes de representar clubes como Belenenses, Académica, Paços de Ferreira e Beira-Mar, onde o Sporting da Covilhã o foi contratar para a época 1985/1986. Jacinto João esteve apenas uma temporada com as cores serranas, que na altura militavam na 1ª Divisão Nacional, tendo defendido as nossas redes em 12 jogos. Contudo, a época não foi nada fácil para o experiente Jacinto João e respectivos companheiros, visto que não conseguiram evitar o 16º lugar da tabela classificativa, com a consequente descida à divisão secundária. Jacinto João continuaria a sua actividade em diversos emblemas, como por exemplo, Leixões, União da Madeira, Olhanense, Oliveirense e Felgueiras. Que outras memórias existem de Jacinto João?

Actualizado em Quarta, 29 Agosto 2012 09:02
 
SC Covilhã 0 FC Penafiel 1
Domingo, 26 Agosto 2012 00:00

Gilberto tenta passar por Rafa

Ao fim de quatro jornadas, o Sporting Clube da Covilhã continua sem vencer na Segunda Liga, visto que nesta ronda somou a segundo desaire consecutivo, desta vez ao ser derrotado pelo Futebol Clube de Penafiel por 0-1, fruto do golo apontado por Robson aos 35 minutos.

Os serranos apresentaram-se em campo num esquema de 1x3x4x1x2, com Jorge Baptista na baliza, estando à sua frente Edgar, Gaspar e Ricardo Rocha, ficando a zona intermediária entregue a Dani Matos, Gilberto, Nené e Paulo Grilo, com Carlos Manuel mais perto dos avançados Moreira e Fabrício. O encontro esteve animado desde do apito inicial, não demorando a surgirem acções perigosas junto de ambas as balizas, pois, aos 5 minutos, Fabrício acertou na barreira defensiva visitante, e no minuto seguinte, Mbala ficou a escassos centímetros das redes covilhanenses. Durante alguns momentos, o Covilhã conseguiu um ligeiro ascendente, passando a jogar mais tempo no meio campo contrário e delineando duas jogadas de perigo, mas Fabrício não estava de pontaria afinada, quer com o pé, quer com a cabeça. Aos 35 minutos verificou-se o lance decisivo do jogo, quando uma intervenção infeliz de Ricardo Rocha colocou a bola em Mbala, que diante de Jorge Baptista efectuou um passe atrasado para o remate vitorioso de Robson. A reacção local não se fez esperar e com uma acção bastante polémica, visto que Fabrício foi empurrado na grande área opositora, mas o árbitro João Capela não assinalou o respectivo castigo máximo. Com os nervos a imperarem no Complexo Desportivo, o jogo foi-se arrastando até ao período de descanso. Ao intervalo: 0-1.

Carlos Manuel pressionado por Thiago Pereira

Para a segunda parte, o treinador Filipe Moreira colocou Milton no meio campo, derivando Gilberto para a ala direita, no entanto, foi o Penafiel que regressou dos balneários de forma perigosa, rubricando uma sucessão de lances em que esteve próximo de aumentar a contagem: aos 48 minutos, um desvio de cabeça de Mbala obrigou Jorge Baptista a uma boa defesa; aos 49 minutos, o movimentado Mbala rematou cruzado para nova intervenção de categoria de Jorge Baptista; e aos 51 minutos, um cabeceamento de Rafa foi devolvido pela barra, com Jorge Baptista a assumir protagonismo na recarga feita pelo mesmo jogador. Passada esta fase complicada, os serranos equilibraram o jogo, até pela entrada de Filipe Fernandes para a zona intermediária, merecendo também referência o facto de Paulo Grilo ter assumido a cobrança de bolas paradas, que passaram a criar maiores problemas à defensiva contrária. Contudo, os penafidelenses continuaram a apresentar soluções perigosas e aos 72 minutos, Gabriel atirou cruzado para mais uma boa defesa de Jorge Baptista. Aos 75 minutos, o técnico Filipe Moreira prescindiu do defensor Gaspar e alargou a frente de ataque com Adriano Castanheira, com a equipa a conseguir alguma supremacia, ameaçando alcançar a igualdade em duas ocasiões: aos 81 minutos, e na sequência de um canto, o remate de Filipe Fernandes só não deu golo porque encontrou um adversário sobre a linha de baliza; e aos 90+4 minutos, Adriano Castanheira, em posição favorável, atirou fraco para as mãos de Coelho, que assim segurou o resultado em 0-1. Com este desaire, o Sporting da Covilhã permanece sem qualquer triunfo no campeonato, desejando-se que possa terminar este ciclo na próxima jornada, quando receber o Atlético no Complexo Desportivo.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://www.lpfp.pt/segunda_liga/pages/jogo.aspx?epoca=20122013&jornada=4&jogo=7639

Actualizado em Segunda, 27 Agosto 2012 11:21
 
Manuel Augusto Rodrigues Pintassilgo
Sábado, 25 Agosto 2012 00:43

 

Manuel_Rodrigues_Pintassilgo

Manuel Augusto Rodrigues Pintassilgo nasceu na Covilhã á 11 de Janeiro de 1930. Industrial de lanifícios foi casado com D. Maria do Carmo Pintassilgo e teve dois filhos (Drª Maria Manuela Pintassilgo e o Sr.Carlos Pintassilgo).

Fez parte de várias direções do Sporting Clube da Covilhã desde os anos 50 até a década de setenta. Em 1957 foi o delegado ao jogo na final do Jamor, no jogo contra o SL Benfica, acompanhando sempre a nossa equipa e o nosso treinador (Dr.Tavares da Silva).

Destacou-se ainda como grande mentor de várias campanhas, como presidente da comissão de empreendimentos do Sporting da Covilhã (composta por vinte e seis pessoas entre sócios e diretores), que tiveram como objetivo a compra do primeiro autocarro do clube, tendo sido comprado em 18.10.1963 pelo preço de 295.200$00. O autocarro tinha capacidade para 22 pessoas e teve a benção do Padre Morgadinho, sendo sua madrinha de batismo a filha de Manuel Pintassilgo, a menina Maria Manuela Pintassilgo.

Manuel Pintassilgo Integrou varias comissões de festas e de apoio em situações de crises financeiras, tendo assumido no início dos anos 70, nas direções presididas por José de Sousa Gaspar, importante ação na constituição dos planteis do Sporting Clube da Covilhã, sendo o principal responsável pela contratação de jogadores como Alemão, Betinho, Bábá e outros, assumindo da sua conta pessoal alguma parte dos salários dos jogadores.

Foi nomeado sócio Honorário do Sporting Clube da Covilhã, tendo sido sem dúvida um dos grandes nomes da história do clube, assumindo sempre a sua paixão pelo emblema serrano nos momentos em que o clube mais precisou. Faleceu em Lisboa no dia 10 de Janeiro de 2003.

Autor – Carlos Miguel Saraiva



 
Sporting B 2 SC Covilhã 1
Quarta, 22 Agosto 2012 01:00

A 3ª jornada da Segunda Liga trouxe o primeiro sabor da derrota ao Sporting Clube da Covilhã, que até esteve vencer no terreno do Sporting B, mas permitindo depois a reviravolta no “placard”, num encontro em que os covilhanenses terminaram o encontro apenas com nove jogadores.

Os serranos voltaram a entrar num jogo com pontaria afinada, visto que logo aos 8 minutos, Gilberto inaugurou o marcador através de um remate que contou com primordial colaboração do guarda-redes Golas. O Covilhã ficou mais motivado com o golo obtido e aos 14 minutos ameaçou aumentar a contagem, mas desta vez Golas estava mais atento e defendeu para canto o remate de Fabrício. A pouco e pouco, os locais foram reagindo à desvantagem e acabaram mesmo por igualar a partida aos 22 minutos, com Betinho a atirar certeiro para o fundo das redes de Jorge Baptista. O Sporting B parecia estar a subir de rendimento, mas os serranos não se deixaram dominar e o equilíbrio não abandonou o Estádio Municipal de Rio Maior. Ao intervalo: 1-1.

Os covilhanenses regressaram dos balneários com maior dinâmica e aos 50 minutos construíram um lance bastante perigoso, com Carlos Manuel a atirar para uma boa defesa de Golas, sobrando a bola para a recarga do mesmo Carlos Manuel, que viu um defensor local impedir o golo sobre a linha de baliza. Contudo, a ambição serrana sofreu uma forte contrariedade aos 56 minutos, quando o árbitro Vasco Santos mostrou o vermelho directo a Tarcísio, ficando os visitantes em inferioridade numérica e gerando um acréscimo de nervos, que levaram também à expulsão do treinador adjunto Quim Rodrigues volvidos alguns instantes. O Sporting B não demorou a dominar o encontro, mas os comandados de Filipe Moreira não perderam organização defensiva e impediram situações delicadas para as suas redes até aos 83 minutos, altura em que um bom trabalho de Diego Rubio colocou a formação lisboeta a vencer por 2-1. O Covilhã ainda procurou o empate, mas um cabeceamento de Ricardo Rocha ao lado e uma boa intervenção de Golas numa acção de João Rodrigues não possibilitaram tal objectivo. Praticamente no final do encontro verificaram-se mais duas expulsões, agora uma para cada equipa, com vermelho directo para João Rodrigues e Pedro Mendes. Foi a primeira derrota dos serranos na Segunda Liga, desejando-se que este desaire seja revertido na próxima jornada, que tem agendada a recepção ao Penafiel no Complexo Desportivo.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://www.lpfp.pt/segunda_liga/pages/jogo.aspx?epoca=20122013&jornada=3&jogo=7615

Actualizado em Quarta, 22 Agosto 2012 21:19
 
Mariano Amaro
Terça, 21 Agosto 2012 00:00

Mariano Amaro foi um jogador emblemático do Belenenses (onde foi campeão nacional da 1ª Divisão e venceu uma Taça de Portugal) e da Selecção Nacional (envergando a camisola das quinas em 19 jogos) nas décadas de trinta e de quarenta, mas foi como treinador que o seu destino se cruzou com o Sporting da Covilhã na época 1961/1962, proveniente da formação angolana do Negaje. O sucesso de Mariano Amaro como técnico não foi o mesmo como futebolista, o que também se aplicou à sua passagem pelo emblema serrano, visto que nessa temporada não foi garantida a permanência na 1ª Divisão Nacional, com os covilhanenses a ocuparem o penúltimo lugar da tabela classificativa, apenas à frente do Salgueiros, o que ditou a descida ao escalão secundário. Mariano Amaro treinou diversos clubes nacionais, como por exemplo, Vitória de Guimarães, Torreense, Oriental e Elvas, entre outros, tendo certamente deixado recordações entre os amantes do nosso futebol…


Actualizado em Terça, 06 Novembro 2012 15:12
 
<< Início < Anterior 151 152 153 154 155 156 157 158 159 160 Seguinte > Final >>

Pág. 152 de 180
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1875799