História do Sporting Clube da Covilhã
Roqui
Quarta, 02 Novembro 2011 00:00

Honorato Lopes Rodrigues ficou conhecido no mundo futebolístico por Roqui, um cabo-verdiano que começou por demonstrar o seu talento em terras lusitanas ao serviço do Sporting CP, tendo ingressado no Sporting da Covilhã em 1947/1948, cumprindo quatro temporadas com a nossa camisola. Roqui jogava a defesa direito e na primeira época no clube serrano contribuiu para a subida à 1ª Divisão, algo inédito até àquele momento, complementada com a conquista do campeonato nacional da 2ª Divisão, que garantiu a posse da famosa Taça “O Século”. Roqui envergou as cores covilhanenses em 64 jogos na 1ª Divisão, tendo assinado um golo, mas também efectuou boas exibições na Taça de Portugal, com destaque para a temporada 1948/1949, em que o SC Covilhã apenas foi derrotado nas Meias Finais pelo Atlético CP. Que outras memórias possuem de Roqui?

Actualizado em Quarta, 02 Novembro 2011 10:06
 
Atlético CP 0 SC Covilhã 0
Domingo, 30 Outubro 2011 00:00

Wang Gang esteve muito perto do golo 

Na deslocação ao terreno do Atlético Clube de Portugal, actual comandante da Liga Orangina, o Sporting Clube da Covilhã somou o terceiro jogo consecutivo sem perder para o campeonato e sem sofrer qualquer golo, visto que o resultado final ficou em branco.

Devido às obras no Estádio da Tapadinha, a formação de Alcântara utiliza o Estádio José Gomes (Amadora) na recepção aos seus adversários, mas isso não tem impedido um excelente desempenho na prova. E foi o Atlético que entrou melhor na partida, conseguindo alguns cantos e livres que obrigaram a defensiva serrana a redobrada atenção, no entanto, após o quarto de hora, o Covilhã tomou conta do jogo e delineou uma sucessão de lances perigosos: aos 17 minutos, Dominic cabeceou torto em posição muito favorável; aos 26 minutos, Zezinho atirou para uma intervenção atenta de Caleb; aos 28 minutos, Wang Gang passa mesmo pelo guardião adversário, mas depois rematou contra um defensor local; e aos 37 minutos, Gégé permitiu nova defesa de Caleb, agora na sequência de um livre. O domínio visitante não teve consequências no marcador, motivando o Atlético a sacudir a pressão contrária e a responder com uma acção digna de registo aos 41 minutos, quando Leandro Pimenta cruzou da esquerda para um desvio de Joel que não passou muito longe da própria baliza. Ao intervalo: 0-0.

Barreira serrana manteve o nulo

Para a segunda parte, o Atlético voltou muito forte e empurrou os serranos para zonas mais recuadas, por isso, foi com naturalidade que as redes de Nuno Santos estiveram em perigo, principalmente aos 55 minutos, com um cabeceamento de Tiago Caeiro, e aos 59 minutos, com um remate do recém entrado Zézinho para defesa do guarda-redes forasteiro. Porém, os comandados de Tulipa não se amedrontaram e demonstraram que também queriam a vitória, elaborando duas jogadas bastante ameaçadoras para a baliza local, visto que aos 66 minutos, Wang Gang rematou um pouco por cima diante de Caleb, e aos 73 minutos, Dominic atirou rasteiro para uma grande defesa de Caleb, que assim impossibilitou os festejos dos adeptos covilhanenses. Mesmo sem golos, o encontro estava bastante animado, tendo pertencido ao Atlético as derradeiras ocasiões para quebrar o nulo, pois, aos 75 minutos, Nuno Santos parou bem um cabeceamento de Stéphane, e aos 82 minutos, Hugo López rematou contra a barreira num livre indirecto em plena grande área serrana. O apito final de Hugo Pacheco sentenciou o 0-0 como resultado final, permitindo ao Sporting da Covilhã somar 11 pontos ao fim da 8ª jornada, sabendo-se que na próxima semana receberá o Desportivo das Aves, numa partida que também terá transmissão televisiva na SportTV.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Nelson Ferreira.

Ficha de Jogo:

http://www.lpfp.pt/liga_orangina/pages/jogo.aspx?epoca=20112012&jornada=8&jogo=7144

Actualizado em Segunda, 31 Outubro 2011 10:57
 
Pinheiro
Terça, 25 Outubro 2011 09:46

Pinheiro concluiu os escalões de formação nas camadas jovens do FC Porto, passando depois por Trofense, Dragões Sandinenses, Lixa e Famalicão, até ser contratado pelo Sporting da Covilhã para a época 2002/2003. Nessa temporada, os serranos alcançaram pela primeira vez a manutenção na 2ª Divisão de Honra, com Pinheiro a ocupar o lado esquerdo da defesa em quase todos os jogos, tendo assinado um golo nesse campeonato, que a equipa covilhanense viria a terminar no 11º lugar. O bom desempenho de Pinheiro com as cores serranas possibilitou-lhe a transferência para a 1ª Divisão, visto que passou a representar o Paços de Ferreira, prosseguindo depois a carreira em clubes como Caniçal, Amarante e Vila Meã, onde ainda joga na 3ª Divisão. Que outras recordações existem de Pinheiro?

Actualizado em Terça, 25 Outubro 2011 15:17
 
SC Covilhã 2 Portimonense SC 0
Sexta, 21 Outubro 2011 09:08

Gégé cabeceia para o 2-0

No dia em que se festejaram os 141 anos da elevação da Covilhã a cidade, também o Sporting Clube da Covilhã teve motivos para celebrar, visto que derrotou o Portimonense Sporting Clube por 2-0, com golos assinados por Dani Matos e Gégé na primeira parte.

Os serranos apresentaram-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, estando a baliza entregue a Nuno Santos, acompanhado na defensiva por Zezinho, Gégé, Ricardo Rocha e Joel, ficando Gabi e Milton na zona mais recuada do meio campo, com Wang Gang, Dani Matos e Fofana no apoio ao ponta de lança Dominic. Os locais começaram a partida com tendências rematadoras, pois, Milton e Gabi procuraram cedo alcançar as redes algarvias, mas o Portimonense soube responder com perigo, visto que aos 4 minutos, o remate de Simy passou muito perto da baliza de Nuno Santos. No entanto, o Covilhã demonstrava ser a melhor equipa nesta fase e inaugurou o marcador aos 6 minutos, com Dani Matos a atirar para uma intervenção incompleta de Goda, aproveitando depois a respectiva recarga para provocar os festejos dos adeptos covilhanenses
em dia de feriado municipal. Os visitantes tentaram reagir à desvantagem, contudo, foram os comandados de Tulipa que estiveram perto de novo tento aos 18 minutos, quando Dominic rematou para Ricardo Pessoa substituir o seu guarda-redes na linha de baliza. Porém, cerca da meia hora, os algarvios tomaram conta do jogo e só não
alcançaram a igualdade porque Nuno Santos esteve em grande nas redes serranas, primeiro, opondo-se com categoria ao isolado Simy, depois, com uma defesa de classe a remate de Ben Traoré. Apesar destas ameaças, o Portimonense não conseguiu marcar e acabou mesmo por sofrer o segundo tento aos 41 minutos, com Joel a cobrar um canto na direita para o cabeceamento certeiro de Gégé, que assim colocou o resultado em duas bolas de diferença. Ao intervalo: 2-0.

Dani Matos perante um opositor

Para o segundo tempo, o técnico forasteiro teve que trocar de guarda-redes, entrando Ivo Gonçalves para o lugar de Goda, mas no foi o ataque que esteve em maior destaque, numa tentativa de alterar o rumo dos acontecimentos. Aos 49 minutos, Simy introduziu a bola na baliza local, mas já tinha sido assinalada posição de fora de jogo pelo árbitro Bruno Paixão, enquanto aos 52 minutos, Ben Traoré cabeceou ligeiramente por alto após um pontapé de canto. Estas foram as ameaças mais sérias ao resultado, porque a partir daí as tentativas visitantes nunca levaram uma direcção demasiado perigosa. Mesmo dominando o encontro neste período, o Portimonense jamais conseguiu colocar em causa a vantagem adversária, que até poderia ter sido reforçada aos 83 minutos, quando num rápido contra ataque, Fofana isolou Milton, que atirou à malha lateral diante do guardião opositor. Com este triunfo, o Sporting da Covilhã soma agora dez pontos após sete jornadas da Liga Orangina, seguindo-se uma deslocação ao Atlético, que terá transmissão televisiva na SportTV.

Texto: Eugénio Lopes.
Ficha de Jogo: http://www.lpfp.pt/liga_orangina/pages/jogo.aspx?epoca=20112012&jornada=7&jogo=7124

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Resumo: José Cavaca - Provideo> http://www.youtube.com/watch?v=L-lLgV6eA3o

Actualizado em Sexta, 21 Outubro 2011 11:03
 
Tonho
Quarta, 19 Outubro 2011 09:01

António Mariano de Araújo notabilizou-se no mundo do futebol como Tonho, um avançado brasileiro que assinou pelo Sporting da Covilhã na época 1957/1958, depois de passagens por Sport Recife, Santa Cruz e Universidad Central (clube de Caracas onde se sagrou campeão nacional da Venezuela e melhor marcador da prova). No emblema serrano, Tonho deu seguimento à sua veia goleadora e ajudou os covilhanenses a vencer o campeonato nacional da 2ª Divisão, após acesa disputa com o Vitória de Guimarães. Apesar de garantido o regresso ao principal escalão do futebol português, Tonho não continuou no SC Covilhã, visto que ingressou no Belenenses, onde seria figura de destaque durante três temporadas (com a conquista de uma Taça de Portugal), representando depois o Lusitano de Évora e o Olhanense. Tonho esteve apenas uma época no nosso clube, mas certamente que deixou importantes memórias…

Actualizado em Quarta, 19 Outubro 2011 09:21
 
<< Início < Anterior 151 152 153 154 155 156 157 158 159 160 Seguinte > Final >>

Pág. 153 de 163
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1550708