História do Sporting Clube da Covilhã
FC Penafiel 2 SC Covilhã 0
Domingo, 27 Janeiro 2013 00:00

 

Apesar do bom futebol praticado, o Sporting Clube da Covilhã sofreu a terceira derrota consecutiva na Segunda Liga, desta vez na deslocação ao terreno do Futebol Clube de Penafiel, num jogo em que os anfitriões festejaram um golo em cada uma das partes do encontro.

Os serranos deram sinais positivos logo na fase inicial da partida, não tendo problemas em jogar no meio campo contrário e conseguindo um lance perigoso aos 12 minutos, em que a intervenção de um defensor local evitou o sucesso do remate de Tarcísio. No entanto, foi o Penafiel que inaugurou o marcador aos 22 minutos, quando Buba empurrou um opositor na sua grande área, provocando um castigo máximo que foi convertido em golo por Sérgio Organista. O Covilhã não demorou a reagir e esteve perto da igualdade aos 33 minutos, porém, o remate de Tarcísio passou um pouco ao lado das redes defendidas por Coelho. A formação orientada por Fanã estava claramente a procurar inverter o rumo dos acontecimentos, contudo, foram os locais que ameaçaram dilatar a diferença aos 39 minutos, valendo as excelentes defesas de Jorge Baptista perante Aldair e Rui Miguel para manter a desvantagem mínima. Ao intervalo: 1-0.

Para a segunda parte, novamente os forasteiros instalados em terrenos ofensivos, mas também com resposta perigosa dos penafidelenses, como aconteceu aos 51 minutos, em que Ferreira atirou para boa intervenção de Jorge Baptista. No entanto, os covilhanenses tinham o empate em perspectiva e delinearam duas acções muito delicadas para as hostes locais, com o guardião Coelho a assumir enorme protagonismo nos remates de Nené, aos 59 minutos, e de Pimenta, aos 61 minutos, garantindo assim a vantagem local no “placard”. Aos 64 minutos surgiu o golpe fatal nas aspirações visitantes, visto que na sequência de um livre, Rafa rematou para o 2-0, contando ainda com um desvio num defensor serrano. Com duas bolas de diferença, o Covilhã não desistiu de lutar por um desfecho positivo, mas a má direcção dos seus remates e a atenção do guarda-redes Coelho não permitiram qualquer alteração no resultado. Com mais este desaire, os serranos permanecem em zona perigosa da tabela classificativa, sabendo-se que no próximo domingo têm mais uma deslocação pela frente, agora a Lisboa para defrontarem o Atlético.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://www.lpfp.pt/segunda_liga/pages/jogo.aspx?epoca=20122013&jornada=25&jogo=7640

Actualizado em Domingo, 27 Janeiro 2013 18:24
 
SC Covilhã 1 Sporting B 2
Quarta, 23 Janeiro 2013 01:00

Tarcísio tenta controlar a bola

O Sporting Clube da Covilhã voltou a complicar as contas da manutenção na Segunda Liga ao ser derrotado por 1-2 pelo Sporting B, somando assim a segunda derrota consecutiva e desperdiçando a oportunidade de alargar a vantagem pontual para os lugares que ditam a descida de divisão. Os serranos apresentaram-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Jorge Baptista na baliza e um quarteto defensivo formado por Gilberto, Buba, Gaspar e Paulo Grilo, jogando à sua frente Edgar e Carlos Manuel, ficando Gui, Tarcísio e Pimenta no apoio ao ponta de lança Moreira. Num relvado afectado pelas condições meteorológicas que se têm feito sentir, foi o Covilhã que entrou melhor na partida, conseguindo um lance perigoso logo aos 2 minutos, em que uma boa defesa de Victor Golas impediu o êxito do remate de Moreira. No entanto, o golo serrano acabou mesmo por surgir aos 17 minutos, quando um remate rasteiro de Pimenta só parou no fundo das malhas do emblema lisboeta. O Sporting B reagiu ao tento sofrido e alcançou a igualdade aos 25 minutos, com Bruma a solicitar Arias na direita para este bater o guardião Jorge Baptista através de um remate cruzado. O jogo caminhou então para uma fase menos interessante, é certo que com muito empenho dos jogadores, mas sem jogadas que fizessem perigar o empate, tornando o encontro bastante monótono. Ao intervalo: 1-1.

 

Gui procura fugir a Kikas

Para o segundo tempo, o treinador Fanã tentou dar outra dinâmica à zona central do meio campo, colocando aí Paulico, mas apesar de um Covilhã com mais posse de bola, os lances não tinham evolução na área decisiva, revelando mesmo maiores dificuldades de adaptação ao relvado, sucedendo-se as escorregadelas. Os visitantes apostavam essencialmente no contra ataque e aos 69 minutos chegaram a introduzir a bola nas redes locais por Betinho, mas o lance já estava interrompido por fora de jogo. Com a partida a decorrer sem grande emoção, eis que surge o segundo golo lisboeta aos 82 minutos, quando na sequência de um livre lateral, o guarda-redes Jorge Baptista socou a bola, que caprichosamente tomou a direcção da sua baliza, com o árbitro assistente de Paulo Baptista a considerar que ultrapassou a linha, apesar do esforço do azarado guardião serrano e da sua contestação ao envolvimento de Juary no lance, mas o certo é que o marcador passou a assinalar o 1-2 que seria resultado final. Os covilhanenses ainda procuraram a igualdade integrando o defesa central Buba em terrenos atacantes, porém, o Sporting B revelou-se consistente na defesa e procurou aproveitar o avanço contrário para aumentar a contagem, que esteve perto de acontecer aos 90+3 minutos por Nii Plange, do qual foi impedido pela excelente defesa de Jorge Baptista. Com este desaire, o Covilhã não conseguiu alargar a diferença para a zona de descida de divisão, seguindo-se duas partidas como visitante, começando já no domingo, com uma deslocação ao terreno do Penafiel.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://www.lpfp.pt/segunda_liga/pages/jogo.aspx?epoca=20122013&jornada=24&jogo=7616

Actualizado em Quinta, 24 Janeiro 2013 10:49
 
Reynolds
Quarta, 23 Janeiro 2013 00:00

Manuel Martins ficou conhecido nos meios futebolísticos por Reynolds, um madeirense natural do Funchal que teve destaque ao serviço do Sporting CP, antes de chegar ao Sporting da Covilhã na temporada 1935/1936. Reynolds era um avançado de técnica apurada e especialista na cobrança de grandes penalidades, tendo ajudado os serranos a conquistarem diversos títulos de campeão da Beira Baixa, o que dava acesso aos grupos da 2ª Divisão Nacional que disputavam o lugar de subida à principal escalão do futebol português. Numa dessas disputas, Reynolds e companheiros estiveram quase a levar o Sporting da Covilhã à 1ª Divisão Nacional na época 1938/1939, em que esse objectivo somente não foi alcançado devido à derrota com o Carcavelinhos na final da divisão secundária. Reynolds representou o emblema covilhanense durante dez temporadas, exercendo também a função de treinador/jogador durante alguns períodos. Que outras memórias existem de Reynolds?

Actualizado em Terça, 19 Fevereiro 2013 10:41
 
UD Oliveirense 3 SC Covilhã 2
Sábado, 19 Janeiro 2013 00:00

Ainda não foi nesta jornada que o Sporting Clube da Covilhã alcançou a primeira vitória como visitante, embora tenha estado perto de tal objectivo no terreno da União Desportiva Oliveirense, visto que esteve em vantagem até aos 84 minutos, mas dois golos locais nos derradeiros instantes impediram os festejos dos comandados de Fanã.

Numa partida condicionada pelo tempo adverso, foram os serranos que entraram melhor no jogo, visto que logo aos 3 minutos, uma acção desenvolvida por Moreira ficou muito perto do sucesso. Porém, o encontrou caminhou depois para uma fase equilibrada, com muita luta na zona intermediária, embora apresentando uma Oliveirense mais rematadora, mas sem incomodar seriamente o guardião Jorge Baptista. O relógio avançava então tranquilamente, até que aos 33 minutos, e na sequência de uma falha de um defensor local, Fabrício conseguiu dar a melhor direcção ao lance e colocou os covilhanenses na frente do marcador. A reacção caseira não surgiu e foram mesmo os visitantes que causaram problemas ao guarda-redes João Pinho, que aos 37 minutos foi obrigado a uma boa intervenção para evitar o êxito de um cruzamento/remate de Nené. Ao intervalo: 0-1.

Na etapa complementar, a Oliveirense procurou alterar o rumo dos acontecimentos e alcançou o empate aos 56 minutos, quando Luís Barry atirou para o fundo das redes serranas. A situação ficou mais complicada para o Covilhã no minuto seguinte, pois, Nené viu o vermelho directo por falta dura sobre um adversário e deixou a formação visitante reduzida a dez jogadores. No entanto, foi já em inferioridade numérica que os serranos passaram novamente para a dianteira do marcador, visto que aos 68 minutos, Fabrício foi derrubado pelo guarda-redes João Pinho, originando uma grande penalidade devidamente convertida pelo próprio Fabrício. Os locais pressionaram em busca do sucesso, mas os covilhanenses revelaram-se organizados e pareciam ter o jogo controlado, até que tudo mudou em poucos instantes para satisfação da Oliveirense: aos 84 minutos, numa jogada algo confusa, Banjai cabeceou para a igualdade; e aos 86 minutos, o árbitro Rui Costa considerou que Luís Barry foi puxado na área serrana e assinalou um castigo máximo, que Rui Lima aproveitou para fixar o resultado em 3-2. Apesar de um esforço final, o Covilhã regressou mesmo às derrotas depois de três jogos consecutivos pontuar, esperando-se que possa voltar a sorrir já na próxima quarta-feira, quando receber o Sporting B para a 24ª jornada da Segunda Liga.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo:

http://www.lpfp.pt/segunda_liga/pages/jogo.aspx?epoca=20122013&jornada=23&jogo=7596

Actualizado em Segunda, 21 Janeiro 2013 10:32
 
Jorge Tavares
Terça, 15 Janeiro 2013 10:33

Jorge Tavares iniciou a carreira de futebolista nos escalões jovens do Oriental, mas as qualidades reveladas possibilitaram-lhe a transferência para o Sporting CP, onde concluiu o processo de formação. Na época 1985/1986, o emblema lisboeta emprestou Jorge Tavares ao Sporting da Covilhã, tendo actuado em oito partidas da 1ª Divisão Nacional, numa temporada em que o nosso clube não conseguiu evitar o regresso ao escalão secundário, apesar de alguns resultados interessantes entre os maiores do futebol português, mas que foram insuficientes para alcançar a manutenção. Jorge Tavares jogava preferencialmente como extremo, tendo depois prosseguido a actividade em diversos clubes, como Torres Novas, Marialvas, Seixal FC e Atlético do Cacém, existindo certamente várias recordações das suas exibições, nomeadamente das velozes arrancadas pelos flancos…

Actualizado em Quarta, 16 Janeiro 2013 10:01
 
<< Início < Anterior 151 152 153 154 155 156 157 158 159 160 Seguinte > Final >>

Pág. 154 de 192
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 2143002