História do Sporting Clube da Covilhã
SC Covilhã 0 UD Oliveirense 1
Domingo, 01 Abril 2012 00:00

Filipe Fernandes perante a pressão adversária

O Sporting Clube da Covilhã deu nesta jornada um forte passo atrás nas suas aspirações de manutenção, visto que a derrota caseira, pela margem mínima com a União Desportiva Oliveirense, empurrou o emblema serrano para o último lugar da Liga Orangina, quando faltam disputar cinco rondas.

Os locais apresentaram-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Araújo na baliza, acompanhado na defensiva por Dani Coelho, Gégé, Ricardo Rocha e Joel, tendo à sua frente Filipe Fernandes e Gabi, libertando Jorge Chula, Pimenta e Fofana para o apoio ao ponta de lança Pedro Ribeiro. O jogo até nem começou mal para a formação de Tulipa, pois, logo no minuto inaugural, Pimenta rematou por alto em plena área, como que a querer colocar o adversário em sentido, porém, os visitantes não se amedrontaram e responderam com perigo aos 10 minutos, em que somente uma saída atenta de Igor Araújo impediu a felicidade de Clemente. O início tão prometedor não teve a devida sequência, com a partida a caminhar para uma fase muito monótona, algo normal quando a bola raramente sai da zona intermediária. A sonolência instalada apenas foi quebrada aos 34 minutos e logo com um golo da Oliveirense, com Rui Lima a atirar rasteiro para o fundo das redes serranas, festejando assim o único tento do encontro. O Covilhã não esboçou qualquer reação digna desse nome, por isso, a vantagem adversária nem foi colocada em causa até ao tempo de descanso. Ao intervalo: 0-1.

Pedro Ribeiro e Diego em luta nas alturas

Para a segunda parte, Tulipa fez entrar Dani Matos para terrenos ofensivos, mas o certo é que o Covilhã continuou sem ideias para ultrapassar a defensiva opositora, numa tendência que se verificou mesmo após a chamada de Dominic para alargar a frente de ataque. A Oliveirense foi segurando o resultado favorável sem grandes problemas, apesar dos locais recorrerem a diversas soluções, como foi a entrada de André Sousa para organizar jogo a meio campo. Os covilhanenses tiveram o mérito de não baixarem os braços e quase que eram premiados nos instantes finais, curiosamente, após a chegada da trovoada, porque nessa altura tiveram dois lances em que o empate pairou no ar, mas as intervenções do guardião Bruno Vale não permitiram que os três pontos fugissem da contabilidade visitante, com a partida a terminar com o desfecho de 0-1. O Covilhã somou assim a segunda derrota consecutiva, descendo à última posição da tabela classificativa, com dois pontos de atraso em relação ao lugar que garante a manutenção, por isso, apenas uma vitória no terreno do Freamunde na próxima jornada poderá fazer com que as contas fiquem um pouco mais sorridentes para as cores serranas.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://www.lpfp.pt/liga_orangina/pages/jogo.aspx?epoca=20112012&jornada=25&jogo=7169

Resumo: José Cavaca - Provideo

 

Actualizado em Segunda, 02 Abril 2012 11:09
 
Cremildo
Quarta, 28 Março 2012 00:00

Cremildo, natural de Moçambique, terminou a formação futebolística no SL Benfica, tendo depois transitado para o Sporting da Covilhã, onde apenas jogou na temporada 1974/1975. Cremildo atuava essencialmente a médio direito, mas também fazia outras posições no meio campo e no ataque, realizando grandes exibições ao serviço dos serranos, que nessa época venceram a Série B da 3ª Divisão e estiveram muito perto do título nacional, visto que só foram derrotados pela União de Santarém na final. O protagonismo da formação onde pontificava Cremildo estendeu-se à Taça de Portugal, onde o Sporting da Covilhã eliminou Pinhelenses, Fafe, Régua e Olhanense, caindo somente nos Oitavos de Final perante o Boavista, que haveria de conquistar o troféu. Cremildo prosseguiu depois a carreira em clubes como Beira-Mar, União de Leiria e Paços de Ferreira, deixando certamente outras memórias…

Actualizado em Quarta, 28 Março 2012 09:06
 
CD Aves 1 SC Covilhã 0
Domingo, 25 Março 2012 00:00

O Sporting Clube da Covilhã regressou às derrotas na Liga Orangina, embora tudo tenha feito para não sair derrotado do estádio do Clube Desportivo das Aves, mas a pontaria pouco afinada e uma excelente exibição do guardião opositor impossibilitaram um resultado diferente.

O encontro teve um início interessante, principalmente porque os serranos não revelaram grandes receios na abordagem ao jogo, conseguindo dois lances de perigo para as redes locais em poucos instantes, visto que aos 9 minutos, Pedro Ribeiro não acertou na baliza adversária por muito pouco, e aos 11 minutos, Jorge Chula obrigou Marafona a uma boa intervenção. No entanto, com o avançar do relógio, o Desportivo das Aves foi crescendo de rendimento, começando a causar alguns problemas à defensiva forasteira, que conseguiu adiar o golo inaugural até aos 35 minutos, quando Pedro Pereira assinou um remate de belo efeito que só parou no fundo da baliza de Igor Araújo. O Covilhã ainda tentou reagir à desvantagem, mas sem grande impacto até ao tempo de descanso. Ao intervalo: 1-0.

Para a segunda parte, os covilhanenses regressaram claramente apostados em inverter o resultado e por duas vezes estiveram perto de marcar: aos 46 minutos, Dani Coelho atirou para uma grande defesa de Marafona; e aos 51 minutos, um desvio de Pedro Ribeiro foi devolvido pelo poste, para desespero dos adeptos serranos. Os visitantes acreditaram sempre num desfecho positivo e empurraram os locais para terrenos recuados, mas o Aves demonstrou porque não perde há catorze jornadas e luta para subir de divisão, contando com um guarda-redes em grande plano. E foi precisamente Marafona que segurou a vantagem local aos 84 minutos, quando efetuou uma defesa de classe num livre apontado por Dominic, impedindo assim os serranos de conquistarem um ponto precioso para a luta pela manutenção na Liga Orangina. Apesar do esforço forasteiro, o 1-0 foi mesmo o resultado final desta partida, o que deixa o Sporting da Covilhã em zona de descida, assumindo primordial importância a receção à Oliveirense na próxima jornada.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://www.lpfp.pt/liga_orangina/pages/jogo.aspx?epoca=20112012&jornada=24&jogo=7157

Actualizado em Domingo, 25 Março 2012 16:52
 
Dr. Alexandre de Quental Calheiros Veloso
Quinta, 22 Março 2012 23:11

 Alexandre_de_Quental_Calheiros_Veloso

Nasceu na freguesia da Lageosa do Mondego (Celorico da Beira) em 20.01.1895. Formou-se em direito e voltou para a Covilhã para junto do seu pai (Dr. José António de Faria Veloso) para trabalhar como advogado. Casou-se em 1921 com D. Idalina Ranito Pessoa. Teve dois filhos. Em 1924 ocupa o cargo de presidente do Sporting Clube da Covilhã, onde permanece durante dois anos. Deu inicio ás terraplanagens do campo de futebol da palmatória. O clube ainda disputava os campeonatos regionais. Foi o segundo Presidente da História do Sporting Clube da Covilhã.

Em 25 de Julho de 1934 toma posse como Presidente da Câmara Municipal da Covilhã, onde adota várias medidas importantes no desenvolvimento da cidade. Em Outubro de 1934, regulamentou o descanso semanal no concelho da Covilhã. Dinamizou as Festas da Cidade da Covilhã, organizadas pela altura da Feira de São Tiago. Aprovou prémios aos melhores alunos das Escolas Campos Melo e ao Liceu Heitor Pinto.

Deixa a Câmara Municipal e em 1939 faz a sua estreia como deputado no parlamento. Em 1945 toma posse como Provedor da Santa Casa da Misericórdia, onde colabora no estudo do futuro Hospital da Covilhã. Em 1957 pede transferência para Lisboa. Faleceu a 17 de Fevereiro de 1984 com 89 anos.

Texto: Miguel Saraiva



Actualizado em Quinta, 22 Março 2012 23:32
 
José Carlos Caetano
Quarta, 21 Março 2012 00:00

José Carlos Caetano passou dos juniores aos seniores do Sporting da Covilhã na temporada 1984/1985, tendo permanecido no plantel principal até à época 1989/1990, numa fase em que o clube esteve em alta no panorama futebolístico nacional, com destaque para duas presenças na 1ª Divisão (uma delas garantida após a conquista do título de Campeão Nacional da 2ª Divisão) e uma participação nas Meias Finais da Taça de Portugal. Apesar de bastante jovem, e mesmo não sendo o habitual titular, José Carlos teve a oportunidade de defender a baliza serrana em dois jogos na 1ª Divisão, sempre em substituição de um colega no decorrer da partida, tendo participado num encontro em cada uma das últimas épocas covilhanenses no principal escalão (1985/1986 e 1987/1988). Que outras recordações existem de José Carlos Caetano?

Actualizado em Quarta, 21 Março 2012 09:51
 
<< Início < Anterior 151 152 153 154 155 156 157 158 159 160 Seguinte > Final >>

Pág. 154 de 174
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1742259