História do Sporting Clube da Covilhã
Carlos Carneiro
Quinta, 08 Novembro 2012 00:00

O site História SCC entrevistou desta vez Carlos Carneiro, que foi emprestado ao Sporting da Covilhã a meio da temporada 1997/98, mas ainda a tempo de assinar 9 golos que quase valiam a ascensão à 2ª Divisão de Honra, perdida para a Naval 1º Maio na última jornada, após uma igualdade no terreno do Elvas. Carlos Carneiro continuou na Covilhã para a temporada seguinte e desta vez o emblema serrano subiu mesmo de escalão, com o contributo de 10 golos e inúmeras assistências do avançado nortenho. O jogador regressou depois ao Paços de Ferreira, passando também por outros clubes do mais alto escalão do futebol nacional, como Vitória de Guimarães e Gil Vicente, e campeonatos estrangeiros, sendo actualmente director desportivo do Paços de Ferreira.

Carlos Carneiro é o actual diretor desportivo do FC Paços de Ferreira 

1 - Como é que ingressou no SC Covilhã?

O meu ingresso no SC Covilhã deveu-se ao Sr. António Jesus, que tinha sido meu treinador na época anterior no Paços de Ferreira e por quem eu tinha uma grande admiração. Ele fez-me o convite para ir para o Sporting da Covilhã e eu disse logo que sim, porque tinha gostado muito de trabalhar com ele.

2 - Quais os principais momentos que passou no SC Covilhã?

Passei muitos momentos especiais no Sporting da Covilhã. O mais negativo foi aquele último jogo em Elvas, na época 97/98, em que não foi conseguida a subida. O mais positivo foi contra a Ovarense na época 98/99, que nos deu a subida de divisão.

3 - O SC Covilhã terá sido uma rampa de lançamento importante para a sua carreira?

Foi sem dúvida uma rampa de lançamento na minha carreira, porque quando saí de Paços de Ferreira para o SC Covilhã, era lá visto como um miúdo da casa, mas quando regressei do SC Covilhã já me viam como um reforço, por isso, foi sem dúvida importantíssimo!

Carlos Carneiro era um avançado de grande qualidade

 

4 – Na época 1997/98, o SC Covilhã ficou a dois pontos da Naval e não consegue a subida à Liga de Honra, apesar de ser o melhor ataque do campeonato com 66 golos. Foi uma grande desilusão?

Quando terminou o jogo em Elvas foi sem dúvida o momento mais triste da minha carreira, parecia que não era real… quando o árbitro apitou no final do jogo eu nem queria acreditar.

5 - Acompanha actualmente o SC Covilhã?

Sim, claro que acompanho, porque foi sem dúvida um clube que ficou marcado para sempre na minha vida e um clube no qual fiz muitos e bons amigos, não só no clube, como na cidade. Foi sem dúvida uma excelente experiência.

 

6 - Qual a sua actividade no presente?

 

Exerço a função de diretor desportivo no Paços de Ferreira.

 

7 - Que gostaria de referir que não foi mencionado anteriormente?

Agradecer às pessoas da Covilhã tudo o que me proporcionaram e que fizeram por mim, porque tiveram um contributo muito importante na minha carreira desportiva e no meu crescimento como ser humano. Fui sem dúvida muito feliz nesse clube, um obrigado grande.

Carlos Carneiro ajudou os serranos a subir à 2ª Liga

 


 

Actualizado em Quinta, 08 Novembro 2012 10:03
 
Sérgio Rebordão
Quarta, 07 Novembro 2012 00:00

Sérgio Rebordão, natural da Covilhã, iniciou a actividade futebolística nas camadas jovens da AD Estação, mas as suas capacidades levaram-no até ao FC Porto, onde concluiu os escalões de formação. Ao nível sénior, Sérgio Rebordão representou Dragões Sandinenses, Machico, Olhanense, AD Estação, Académica B e Benfica e Castelo Branco, antes de chegar ao Sporting da Covilhã na época 2005/2006, tendo efectuado boas exibições no centro da defesa, embora o emblema serrano não tenha conseguido a manutenção na 2ª Liga, devido à redução de equipas nos campeonatos profissionais. Na temporada seguinte, Sérgio Rebordão envergou a camisola da Lusitânia, mas regressou à formação covilhanense em 2007/2008, tendo ajudado o clube a subir à 2ª Liga, após um dramático desempate por pontapés de grande penalidade com o Olivais e Moscavide. Com a subida de divisão, Sérgio Rebordão permaneceu no Sporting da Covilhã, no entanto, foi pouco utilizado e saiu no final da temporada para o Penamacorense. Que outros momentos recordam de Sérgio Rebordão?

Actualizado em Quarta, 07 Novembro 2012 10:21
 
CD Feirense 1 SC Covilhã 0
Domingo, 04 Novembro 2012 00:00

O Sporting Clube da Covilhã não conseguiu dar sequência ao triunfo da passada jornada, visto que foi derrotado pela margem mínima no terreno do Clube Desportivo Feirense, permitindo assim a aproximação deste adversário na tabela classificativa.

Os locais entraram na partida com um ligeiro ascendente e revelando maior vocação rematadora, tendo inaugurado o marcador aos 16 minutos, quando Carlos Fonseca atirou muito colocado para o fundo das redes visitantes. O Feirense galvanizou-se com a vantagem e assinou dois lances em que ameaçou aumentar a contagem: aos 18 minutos, só uma grande defesa de Jorge Baptista impediu o êxito de Pires; e aos 21 minutos, na sequência de um canto, a bola ainda bateu no poste da baliza serrana. Com o decorrer do tempo, o Covilhã foi olhando mais para as redes adversárias e delineou duas situações de perigo: aos 24 minutos, num livre indirecto na área local, Samuel Araújo atirou para as mãos de Marcos; e aos 28 minutos, o remate de Paulo Grilo passou a escassos centímetros da baliza. Os instantes finais da primeira parte foram disputados essencialmente na zona intermediária, com o resultado a salvo de qualquer mexida. Ao intervalo: 1-0.

Apesar de algum movimento, a fase inicial do segundo tempo não teve momentos dignos de realce, por isso, foi necessário esperar pelo minuto 63 para uma acção emocionante, quando Gaspar cabeceou por cima após um canto. Os covilhanenses foram acreditando na igualdade, que esteve perto de acontecer em dois lances: primeiro, aos 72 minutos, num cabeceamento de Fabrício que passou muito próximo das redes locais; depois, aos 81 minutos, num remate de Carlos Manuel às malhas laterais. Os derradeiros minutos do jogo foram de intensa pressão serrana, embora com o Feirense a responder em contra ataque, mas sem consequência no “placard”, ficando assim os três pontos na contabilidade da formação local. Deseja-se que este regresso do Sporting da Covilhã às derrotas seja apenas momentâneo, como tal, nada melhor que alcançar um triunfo sobre o SC Braga B já na próxima jornada, em partida a realizar no Complexo Desportivo.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo:

http://www.lpfp.pt/segunda_liga/pages/jogo.aspx?epoca=20122013&jornada=12&jogo=7811

Actualizado em Domingo, 04 Novembro 2012 17:23
 
Beto Ferreira
Quarta, 31 Outubro 2012 00:00

Beto Ferreira começou a praticar futebol nas camadas jovens do Belenenses, tendo concluído os escalões de formação no Sporting CP (segundo ano de juvenil e juniores), passando depois pelos seniores de Beira-Mar (que militava então na 1ª Divisão Nacional), Oliveira do Bairro e Viseu e Benfica e Pampilhosa, até chegar ao Sporting da Covilhã na temporada 1979/1980. Beto Ferreira esteve duas épocas ao serviço dos serranos, jogando preferencialmente como médio, contribuindo com as suas exibições para que os covilhanenses fizessem dois campeonatos tranquilos na Zona Centro da 2ª Divisão Nacional, alcançando um 7º e um 8º lugar na tabela classificativa, sob a orientação técnica de José Domingos. Beto Ferreira prosseguiu depois a sua carreira futebolística no Alba, tendo depois continuado ligado à modalidade como treinador, orientando Beira-Mar (juniores), Alba, Pessegueirense, Valonguense, Mourisquense e Gafanha. Actualmente, Beto Ferreira dá sequência à sua paixão pelo futebol como responsável e treinador dos veteranos do Beira-Mar. Que recordações deixou Beto Ferreira entre os apoiantes serranos?

Actualizado em Quarta, 31 Outubro 2012 09:59
 
SC Covilhã 1 CD Santa Clara 0
Domingo, 28 Outubro 2012 00:00

Ricardo Rocha vai fazer o único golo do jogo

Depois de cinco jornadas sem vencer, o Sporting Clube da Covilhã voltou a saborear um triunfo na Segunda Liga, visto que derrotou o Clube Desportivo Santa Clara pela margem mínima, fruto do golo apontado por Ricardo Rocha aos 34 minutos.

Os serranos apresentaram-se em campo num esquema de 1x3x5x2, com Jorge Baptista na baliza, estando à sua frente Ricardo Rocha, Gaspar e Samuel Araújo, ficando a zona intermediária entregue a Dani Matos, Edgar, Paulo Grilo, Pimenta e Gui, jogando Tarcísio e Moreira no ataque. A equipa comandada por Filipe Moreira (a cumprir castigo) não demorou a assumir o controlo da partida, conseguindo o primeiro lance de perigo aos 10 minutos, em que valeu aos açorianos a intervenção de André Simões já com o guardião Hélder Godinho batido. O Covilhã passava mais tempo no meio campo adversário, criando esporadicamente uma ou outra acção mais delicada para os opositores, como aconteceu aos 23 minutos, quando Moreira ficou muito próximo de desviar para a baliza visitante um cruzamento de Paulo Grilo. Após estas ameaças, o golo serrano acabou mesmo por surgir aos 34 minutos, com Dani Matos a apontar um livre na esquerda, que levou a bola até ao toque final de Ricardo Rocha, colocando assim os locais na liderança do marcador. O Santa Clara não teve qualquer reacção perigosa e o jogo perdeu algum interesse até ao período de descanso. Ao intervalo: 1-0.

Gui luta pela bola com Godinho

Na segunda parte, os forasteiros instalaram-se em terrenos mais ofensivos, ficando os covilhanenses a aguardar um contra ataque oportuno, como se verificou aos 49 minutos, em que Moreira apareceu diante do guarda-redes Hélder Godinho, mas não conseguindo acertar na baliza. O encontro passou a ser de sentido único, com o Santa Clara a procurar chegar ao empate, contudo, a defensiva serrana não perdeu organização e foi aguentando a pressão, embora muitas vezes de forma pouco vistosa, recorrendo ao pontapé para a frente, o que provocou desagrado em alguns adeptos locais. O certo é que apenas os livres de Porcellis trouxeram problemas ao guardião Jorge Baptista: o primeiro aos 59 minutos, num remate para Jorge Baptista segurar; o segundo já aos 89 minutos, com a bola ainda a tocar na parte superior da barra, depois de ter sido desviada na barreira. Com muito sofrimento e muito empenho, o derradeiro apito do árbitro Duarte Gomes selou o regresso dos serranos aos triunfos, colocando assim um ponto final numa série de cinco jornadas sem êxitos, num campeonato que continua na próxima semana com a deslocação ao terreno do Feirense.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo:

http://www.lpfp.pt/segunda_liga/pages/jogo.aspx?epoca=20122013&jornada=11&jogo=7793

Actualizado em Segunda, 29 Outubro 2012 10:22
 
<< Início < Anterior 151 152 153 154 155 156 157 158 159 160 Seguinte > Final >>

Pág. 156 de 189
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 2093348