História do Sporting Clube da Covilhã
Fernando Ribeiro
Quarta, 26 Setembro 2012 00:00

Fernando Ribeiro, também conhecido no mundo do futebol por Nando, exerceu várias funções no Sporting da Covilhã, desde praticante das camadas jovens a treinador principal, passando por treinador-adjunto e técnico dos escalões de formação. Das várias épocas em que Nando representou o emblema serrano, queremos destacar duas: em 1994/1995, Nando começou a temporada como técnico da equipa sénior, na altura a militar na 3ª Divisão Nacional, mas já com o campeonato a decorrer chegou o treinador Costa Almeida, no entanto, seria novamente Nando a comandar a formação covilhanense na fase decisiva da temporada, conseguindo o 2º lugar na Série C, após luta intensa com o Arrifanense, e consequente subida à 2ª Divisão B; em 1995/1996, Nando assumiu o comando técnico após a saída de Isidro Beato nas primeiras jornadas, alcançando uma sucessão de resultados positivos que levaram o Sporting da Covilhã à liderança da Zona Centro da 2ª Divisão B, mas na parte final da temporada Nando ficou como treinador-adjunto de Vieira Nunes, com a ascensão à 2ª Divisão de Honra a ser garantida na última jornada, através de um nulo no terreno do SL Fanhões, suficiente para suplantar a Naval na tabela classificativa. Nando continua a exercer a actividade de treinador, tendo passado por diversos clubes, onde certamente deixou bastantes memórias…

Actualizado em Quarta, 26 Setembro 2012 08:57
 
SC Covilhã 1 FC Arouca 1
Domingo, 23 Setembro 2012 00:00

Gilberto avança com a bola

A Segunda Liga continua a disputar-se a alta velocidade e vai já na 7ª jornada, com o Sporting Clube da Covilhã a empatar a uma bola na recepção ao Futebol Clube de Arouca, sendo os dois golos apontados na primeira parte, com os locais a recuperarem da desvantagem em pouco tempo.

Os serranos apresentaram-se em campo num esquema de 1x3x4x1x2, com Jorge Baptista na baliza, estando à sua frente Edgar, Gaspar e Ricardo Rocha, ficando a zona intermediária entregue a Dani Matos, Gilberto, Nené e Pimenta, com Tarcísio mais perto dos avançados Carlos Manuel e Fabrício. O jogo teve um início pouco movimentado, em que os locais tentaram assumir o controlo do meio campo, porém, os visitantes nunca deixaram desequilibrar o encontro, embora os serranos tenham criado um ou outro lance mais complicado para a defensiva adversária. No entanto, na primeira acção de grande perigo do jogo, o Arouca inaugurou o marcador aos 24 minutos, tendo tudo começado num remate de Kovacevic que obrigou Jorge Baptista a uma bela defesa para canto, na sequência do qual Idris cabeceou para o fundo das malhas covilhanenses. Contudo, a vantagem forasteira não foi muito duradoura, visto que aos 27 minutos, Gilberto solicitou Dani Matos na direita, que cruzou para o cabeceamento certeiro de Fabrício, que assim devolveu a igualdade ao encontro. O Arouca não tremeu com o tento sofrido e assinou dois lances de protagonismo para Jorge Baptista, com o guardião serrano a estar em grande plano perante as iniciativas de Kovacevic e Joeano. O Covilhã também teve a sua oportunidade para liderar o marcador aos 40 minutos, mas Dani Matos cabeceou torto diante do guarda-redes Serginho. Ao intervalo: 1-1.

 

Edgar perante a oposição de João Vicente

Para a segunda parte, o treinador Filipe Moreira trocou Carlos Manuel por João Rodrigues, mas a formação mais perigosa nesta fase foi o Arouca, principalmente num lance protagonizado por João Vicente aos 61 minutos, em que, mais uma vez, Jorge Baptista esteve bem na defesa da sua baliza. A resposta serrana não se fez esperar, conseguindo duas jogadas problemáticas para as redes visitantes: aos 68 minutos, Ricardo Rocha integrou-se no ataque e atirou para uma intervenção de classe de Serginho; e aos 73 minutos, um cruzamento de Dani Matos foi desviado por João Rodrigues, com a bola a passar muito perto do poste. Este lance marcou o fim de emoção na partida, porque o empate não voltaria a estar seriamente em causa, apesar do empenho dos jogadores e de algumas acções mais mexidas. Com este ponto, o Sporting da Covilhã permanece sensivelmente na mesma posição na tabela classificativa, deslocando-se na próxima jornada ao terreno do Trofense.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://www.lpfp.pt/segunda_liga/pages/jogo.aspx?epoca=20122013&jornada=7&jogo=7705

Actualizado em Segunda, 24 Setembro 2012 09:25
 
Marítimo B 2 SC Covilhã 0
Quarta, 19 Setembro 2012 01:00

A deslocação ao terreno do Marítimo B assinalou o regresso do Sporting Clube da Covilhã às derrotas, visto que os madeirenses celebraram um golo em cada uma das partes do encontro e ficaram com os três pontos em disputa, regressando os serranos ao continente de mãos a abanar.

Este jogo teve uma fase inicial caracterizada pelo equilíbrio, embora com a formação serrana a demonstrar maior ambição, mas foi preciso esperar pelo minuto 22 para surgir o primeiro lance perigoso, quando após um bom trabalho de Carlos Manuel, Fabrício atirou junto ao poste diante do guardião Ricardo Ferreira. Contudo, e apesar da ligeira supremacia visitante, foi o Marítimo B que inaugurou o marcador aos 26 minutos, com Ytalo a aparecer sozinho na zona de finalização e a aproveitar para festejar. A reacção covilhanense não se fez esperar, porém, seriam os locais a estar mais perto de novo tento aos 36 minutos, com Ytalo a tentar repetir o feito, mas desta vez rematando por cima perante o guarda-redes Jorge Baptista. Os comandados de Filipe Moreira tinham maior tempo de posse de bola, mas revelavam neste período muitas dificuldades em ultrapassar a defensiva madeirense. Ao intervalo: 1-0.

Para a etapa complementar, o Covilhã regressou claramente apostado em inverter o rumo dos acontecimentos, mas continuando a apresentar poucos argumentos para levar a melhor sobre a organização adversária, embora Fabrício ainda tivesse protagonizado duas jogadas merecedoras de maior atenção por parte da equipa local. Quem não precisou de atacar muito para marcar o segundo golo foi o Marítimo B, que aumentou a contagem aos 68 minutos por intermédio de André Ferreira, com um remate forte fora do alcance de Jorge Baptista, fixando assim o resultado final em 2-0. Os serranos sentiram bastante este tento, ficando logo a ideia de que o jogo estava resolvido, apesar de uma ou outra tentativa para minimizarem os estragos. No entanto, até final da partida apenas merece registo a expulsão de Sérgio Marakis, no período de compensação, por falta dura sobre Pimenta, deixando os insulares em inferioridade numérica nos derradeiros instantes do jogo. Com este desaire, o Sporting da Covilhã permanece na segunda metade da tabela classificativa, voltando a jogar para o campeonato no próximo domingo, ao receber o Arouca no Complexo Desportivo. 

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://www.lpfp.pt/segunda_liga/pages/jogo.aspx?epoca=20122013&jornada=6&jogo=7687

Actualizado em Quarta, 19 Setembro 2012 16:59
 
Kaloga
Quarta, 19 Setembro 2012 00:00

Kaloga, natural do Mali, representou o Sporting Clube da Covilhã na época 1987/1988, emprestado pelo Sporting CP, que o havia contratado pelas suas boas exibições ao serviço do Stade Malien, sendo internacional A por aquele país africano. Nessa temporada, os serranos militaram na 1ª Divisão Nacional, então constituída por vinte equipas, mas não escaparam ao último lugar da tabela classificativa e consequente regresso ao escalão secundário, tendo Kaloga envergado a camisola covilhanense em seis partidas. Kaloga jogava preferencialmente no meio campo, revelando bom toque de bola, sendo essa a principal marca que o maliano deixou nos adeptos serranos, até porque se tratou de uma época que foi muito complicada para o nosso emblema, resultante também do elevado número de descidas de divisão previsto no principal escalão do futebol português. Que outras recordações existem de Kaloga?

Actualizado em Quarta, 19 Setembro 2012 08:57
 
SC Covilhã 4 CD Cinfães 0
Domingo, 16 Setembro 2012 00:00

Filipe Fernandes tenta conquistar a bola a Gomes

No regresso ao histórico Estádio Municipal José Santos Pinto, o Sporting Clube da Covilhã brindou os seus adeptos com uma goleada por 4-0 sobre o Clube Desportivo de Cinfães, garantindo assim a passagem à próxima eliminatória da Taça de Portugal.

Os locais apresentaram-se em campo num esquema de 1x3x4x1x2, com Igor Araújo na baliza, estando à sua frente Edgar, Gaspar e Ricardo Rocha, ficando a zona intermediária entregue a Dani Matos, Gilberto, Filipe Fernandes e Paulo Grilo, com Tarcísio mais perto dos avançados João Rodrigues e Fabrício. O jogo não podia ter começado melhor para a formação serrana, que logo aos 3 minutos fez mexer o marcador por intermédio de João Rodrigues, desviando com êxito um cruzamento de Dani Matos na direita. Contudo, o Cinfães não ficou demasiado afectado com o tento sofrido, reagindo com um lance perigoso aos 12 minutos, em que uma boa intervenção de Igor Araújo impediu o sucesso do cabeceamento de Vítor Silva. O Covilhã percebeu que a partida ainda não estava resolvida, mas conseguindo caminhar nesse sentido ao aumentar a contagem aos 22 minutos, quando Fabrício foi derrubado na área visitante, originando uma grande penalidade que o próprio converteu no segundo golo local. O encontro entrou numa fase mais calma, apenas merecendo destaque mais uma defesa atenta de Igor Araújo aos 43 minutos, desta vez a remate do ex-covilhanense Gomes. Ao intervalo: 2-0.

Gui é travado em falta

O segundo tempo teve um início movimentado, visto que o Cinfães procurou reduzir a desvantagem, mas encontrando pela frente um Covilhã que ainda não estava satisfeito, por isso, surgiram algumas acções mais delicadas junto de ambas as balizas. Perante este cenário, foram os locais que dilataram a diferença aos 54 minutos, quando na sequência de um canto, Paulo Grilo cruzou para o desvio de cabeça de Edgar. O resultado final seria estabelecido aos 67 minutos pelo recém-entrado Moreira, que concluiu correctamente a jogada desenvolvida por João Rodrigues e Gilberto, fixando assim o desfecho em 4-0. Porém, os serranos ainda tiveram outras oportunidades de golo até final da partida, mas aí assumiu protagonismo o guardião Leo Pinheiro, ao defender as tentativas de João Rodrigues e Paulico. O Sporting da Covilhã alcançou desta forma o terceiro triunfo consecutivo sem consentir golos, sempre em competições diferentes, voltando aos jogos da Segunda Liga na próxima quarta-feira, com a deslocação ao terreno do Marítimo B.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Actualizado em Segunda, 17 Setembro 2012 11:46
 
<< Início < Anterior 151 152 153 154 155 156 157 158 159 160 Seguinte > Final >>

Pág. 159 de 189
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 2093359