História do Sporting Clube da Covilhã
Tonho
Quarta, 19 Outubro 2011 09:01

António Mariano de Araújo notabilizou-se no mundo do futebol como Tonho, um avançado brasileiro que assinou pelo Sporting da Covilhã na época 1957/1958, depois de passagens por Sport Recife, Santa Cruz e Universidad Central (clube de Caracas onde se sagrou campeão nacional da Venezuela e melhor marcador da prova). No emblema serrano, Tonho deu seguimento à sua veia goleadora e ajudou os covilhanenses a vencer o campeonato nacional da 2ª Divisão, após acesa disputa com o Vitória de Guimarães. Apesar de garantido o regresso ao principal escalão do futebol português, Tonho não continuou no SC Covilhã, visto que ingressou no Belenenses, onde seria figura de destaque durante três temporadas (com a conquista de uma Taça de Portugal), representando depois o Lusitano de Évora e o Olhanense. Tonho esteve apenas uma época no nosso clube, mas certamente que deixou importantes memórias…

Actualizado em Quarta, 19 Outubro 2011 09:21
 
SC Lamego 1 SC Covilhã 4
Segunda, 17 Outubro 2011 08:52

Na deslocação ao terreno do Sporting Clube de Lamego, que milita na série B da 3ª Divisão Nacional, o Sporting Clube da Covilhã carimbou a passagem à 4ª Eliminatória da Taça de Portugal de forma categórica, assinando um triunfo por esclarecedor 1-4.
Os covilhanenses começaram cedo a dominar a partida, conseguindo logo três cantos consecutivos, seguidos de dois lances em que ameaçaram passar para a frente do marcador, visto que aos 8 minutos, Fofana rematou ao poste, e aos 11 minutos, a bola chegou mesmo a entrar nas redes locais, mas o árbitro Paulo Baptista anulou a jogada por suposta irregularidade. No entanto, os festejos visitantes não demoraram a ser uma realidade, porque aos 19 minutos, um passe de Fofana isolou Gui, que atirou para o fundo da baliza de Márcio, colocando assim o Covilhã em vantagem no “placard”. O Lamego não esboçou qualquer reacção perigosa e os serranos foram controlando o jogo, conseguindo aumentar a contagem aos 38 minutos por Dani Matos, que depois de receber a bola de Gui, passou pelo guardião adversário e atirou com êxito. No minuto seguinte, o resultado só não ficou mais desnivelado devido a uma boa intervenção de Márcio, que evitou o sucesso da iniciativa de Fofana. Ao intervalo: 0-2.
Para a segunda parte, o técnico local Jorge Febras operou duas substituições e a sua formação revelou-se mais dinâmica, estando perto de reduzir a diferença aos 47 minutos, quando Filipe Sorrilha atirou torto em posição privilegiada após um canto. Contudo, a esperança do Lamego em discutir a eliminatória ruiu completamente aos 52 minutos, pois, uma falha defensiva deixou a bola à mercê de Fofana, que rematou cruzado para as redes defendidas por Márcio, dilatando ainda mais a vantagem covilhanense. O encontro caminhou para uma fase mais calma, mas o Covilhã continuou a ser superior no relvado do Estádio dos Remédios e foi sem surpresa que aumentou a diferença para quatro tentos aos 77 minutos, com Wang Gang a insistir no lance e a atirar certeiro. Porém, o resultado final não ficou logo definido, visto que aos 89 minutos, os jogadores do Sporting de Lamego viram o seu esforço premiado com um golo, beneficiando de uma grande penalidade por infracção manual de um forasteiro, sendo correctamente transformada por Rafael Silva para o 1-4. O Sporting da Covilhã segue assim para a próxima eliminatória da Taça de Portugal, ficando a aguardar o opositor a definir pelo sorteio a realizar brevemente.

Texto: Eugénio Lopes.

Actualizado em Segunda, 17 Outubro 2011 08:59
 
Fanã
Quarta, 12 Outubro 2011 10:27

Fernando Pires é conhecido nos meios futebolísticos por Fanã, tendo sido treinador adjunto do Farense durante quase uma década, no tempo do técnico espanhol Paco Fortes, no entanto, a partir de 1999/2000 deu outro rumo à sua carreira e passou a exercer a função de treinador principal, orientando Louletano, Olhanense e Ovarense, antes de chegar ao comando do Sporting da Covilhã em 2004/2005. A época nos serranos ficou marcada pelo sucesso, visto que a equipa treinada por Fanã venceu a Zona Centro da 2ª Divisão B após uma disputa interessante com Mafra e Académico de Viseu, mas um triunfo sobre a Oliveirense (2-0 no Estádio Santos Pinto) resolveu a questão a favor dos covilhanenses na penúltima jornada do campeonato, garantindo o regresso à 2ª Liga. Apesar da subida de escalão, Fanã não continuou no Sporting da Covilhã, partindo para uma carreira a nível internacional, onde tem treinado em clubes de países como Omã, Kuwait e Emirados Árabes Unidos (actualmente ao serviço do Hatta Club), num ciclo quebrado apenas para orientar o Gondomar em 2009/2010. Na época 2012/2013, Fanã voltou a treinar a formação serrana, sendo contratado para o lugar do técnico Filipe Moreira após a 15ª jornada, mas os resultados não fizeram o nosso clube deixar a zona perigosa da 2ª Liga, o que fez com que o treinador algarvio não concluísse a época no emblema covilhanense. Que outras recordações existem de Fanã?

Actualizado em Quinta, 06 Fevereiro 2014 11:43
 
Vítor Firmino
Terça, 04 Outubro 2011 09:18

Vítor Firmino envergou a camisola do Sporting da Covilhã na época 1999/2000, tendo sido contratado ao União da Madeira. Nessa temporada, os serranos militaram na 2ª Divisão de Honra, com Vítor Firmino a assinar boas exibições e a festejar a obtenção de três golos, no entanto, a equipa acabou por não garantir a permanência nesse escalão. Na Taça de Portugal, os covilhanenses ainda eliminaram o Fornos de Algodres, com Vítor Firmino a apontar um golo, e o Varzim, mas foram afastados da prova pelo Rio Ave. O avançado Vítor Firmino prosseguiu depois a carreira por diversos emblemas, como por exemplo, Freamunde, Estrela de Portalegre, Benfica e Castelo Branco, Loures e O Elvas, onde encerrou a actividade de futebolista. Que outras memórias existem de Vítor Firmino?

 

Actualizado em Terça, 04 Outubro 2011 15:05
 
SC Covilhã 1 CD Santa Clara 0
Segunda, 03 Outubro 2011 08:57

Wang Gang avança com a bola

Contrariamente ao que tem sido habitual nas anteriores recepções ao Clube Desportivo Santa Clara, o Sporting Clube da Covilhã conseguiu (finalmente!) sair vencedor do jogo, fruto de um golo apontado pelo chinês Wang Gang aos 64 minutos.
A formação serrana apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Nuno Santos na baliza, acompanhado na defensiva por Zézinho, Aníbal Capela, Ricardo Rocha e Joel, ficando Milton e Gabi à sua frente, com Wang Gang, André Sousa e Fofana no apoio ao ponta de lança Pedro Ribeiro. O Covilhã entrou na partida de forma perigosa, visto que logo no minuto inicial, Pedro Ribeiro cabeceou para uma intervenção atenta de Stefanovic. No entanto, o jogo acabou por caminhar para características monótonas, sendo quase sempre disputado em terrenos intermediários, embora com uma ou outra jogada merecedora de atenção por parte dos guarda-redes, com maior destaque para o minuto 16, em que Fofana atirou para defesa de Stefanovic, e para o minuto 28, em que Sylvestre cabeceou para Nuno Santos segurar. Perante este cenário, nem foi de estranhar que o nulo fosse o resultado no final da primeira parte. Ao intervalo: 0-0.

Fofana pressionado por Nelson

Na etapa complementar, o encontro começou por manter a tendência lenta e pouco interessante, o que levou os treinadores a operarem algumas substituições na tentativa de alterar o rumo dos acontecimentos, com Tulipa a revelar-se mais feliz na opção de trocar André Sousa por Dani Matos aos 62 minutos, visto que o jogador recém entrado esteve na origem do único golo da partida. Decorria o minuto 64, quando Fofana colocou a bola em Dani Matos, que rubricou um belo pormenor técnico e atirou para defesa complicada de Stefanovic, sobrando a redonda para a recarga vitoriosa de Wang Gang, que cabeceou para o fundo das redes e provocou a alegria dos adeptos locais. A reacção dos açorianos não se fez esperar e assinaram três lances em que ameaçaram a igualdade: aos 70 minutos, em plena área, Paulo Grilo atirou para intervenção de Nuno
Santos; aos 71 minutos, Moreira rematou um pouco por cima da baliza serrana; e aos 76 minutos, de novo Moreira a acertar nas malhas laterais. Depois destes sustos, o Covilhã concentrou-se na sua missão defensiva e não permitiu mais ocasiões aos visitantes, tendo mesmo rubricado, perto do final do jogo, duas jogadas em que esteve próximo de aumentar a vantagem com remates de Gui e de Milton, que passaram a escassos centímetros das redes defendidas por Stefanovic. O derradeiro apito do árbitro Rui Costa assinalou o regresso do Sporting da Covilhã aos triunfos, conquistando três pontos que permitem sair da zona de despromoção da Liga Orangina, numa altura em que o campeonato vai parar duas semanas devido aos compromissos da Selecção Nacional e à Taça de Portugal.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.
Ficha de Jogo: http://www.lpfp.pt/liga_orangina/pages/jogo.aspx?epoca=20112012&jornada=6&jogo=7108

Resumo: José Cavaca - Provideo

 

Actualizado em Segunda, 03 Outubro 2011 09:17
 
<< Início < Anterior 181 182 183 184 185 186 187 188 189 190 Seguinte > Final >>

Pág. 185 de 194
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 2157036