SC Covilhã 2 FC Porto B 1
Domingo, 29 Outubro 2017 00:00

João Dias pressiona Tony Djim

O Sporting Clube da Covilhã atravessa um grande momento de forma e somou a terceira vitória consecutiva na Ledman LigaPro, desta vez sobre a equipa B do Futebol Clube do Porto por 2-1, com os golos locais a terem a assinatura do brasileiro Índio (aos 10 e aos 75 minutos), num jogo que marcou o regresso das cores serranas a um renovado Estádio José Santos Pinto.

O conjuto covilhanense apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por João Dias, Gerson, Joel e Paulo Henrique, ficando Gilberto e Diarra mais recuados no meio campo, com Fatai, Índio e Reinildo no apoio ao avançado Erivelto. Esta partida começou muito movimentada, revelando duas equipas com mente no triunfo, não sendo necessário aguardar muito tempo para a mexida inaugural no marcador, pois, aos 10 minutos, Fatai cruzou na direita para o toque certeiro de Índio, que provocou o primeiro momento de alegria para as hostes serranas. Em resposta ao tento sofrido, os jovens "dragões" assumiram o controlo da bola, porém, pela frente encontraram um Covilhã bem organizado e que não permitiu qualquer lance perigoso junto da sua baliza até perto do final da primeira parte, sendo mesmo os anfitriões a perturbarem o guardião Diogo Costa aos 16 minutos, que foi obrigado a uma defesa segura a remate de Gilberto. Aos 45+2 minutos, verificou-se então a única ameaça portista às redes covilhanenses nesta etapa inicial, quando Bruno Costa rematou um pouco ao lado após um livre lateral. Ao intervalo: 1-0.

SC Covilhã já jogou no renovado Estádio José Santos Pinto

Depois do período de descanso, o FC Porto B exerceu maior pressão sobre o sector defensivo adversário, alcançando o golo da igualdade aos 54 minutos, com Fede Varela a rubricar um forte remate de fora da área. Os visitantes não demoraram a procurar novo êxito e sentiu-se que o onze caseiro passava por algumas dificuldades, porém, o cenário alterou-se a meio do segundo tempo, quando o treinador José Augusto (que continua sem perder em representação do emblema serrano no campeonato) operou duas substituições que deram outra dinâmica à equipa, colocando em campo Djikiné e Amadu Turé. Os serranos subiram de rendimento e Índio deixou um aviso aos 70 minutos, em que apontou um livre directo para boa intervenção de Diogo Costa. No entanto, aos 75 minutos, Índio levou a melhor sobre o guarda-redes nortenho, atirando para o fundo das malhas a passe de Reinildo, que ganhou bem a bola a um opositor. O público serrano vibrava com o 2-1, seguindo-se instantes de ansiedade devido à postura dos azuis e brancos em busca do empate, contudo, até foram os locais que estiveram perto de novos festejos aos 87 minutos, com Fatai a progredir pela direita para proporcionar mais uma defesa a Diogo Costa. O derradeiro apito do árbitro Sérgio Piscarreta garantiu os três pontos para as cores serranas, que assim subiram para a zona intermédia da classificação e elevaram para cinco o número de encontros seguidos sem conhecer a derrota, numa série que será testada na deslocação ao terreno do comandante da prova, o Académico de Viseu, já na quarta-feira, onde se espera que os adeptos covilhanenses marquem presença para apoiarem a sua tão esforçada equipa. 

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20172018/ledmanligapro/11/2

Actualizado em Segunda, 30 Outubro 2017 10:01
 

Comentar


Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1289638