SC Covilhã 0 Real SC 0
Domingo, 26 Novembro 2017 00:00

Gilberto pressiona Kikas

Pela primeira vez na história do futebol português, Sporting Clube da Covilhã e Real Sport Clube encontraram-se num jogo oficial, que não vai deixar muitas saudades aos espectadores que se deslocaram ao Estádio José Santos Pinto, visto que a partida teve pouca emoção e o nulo acaba por ser um resultado adequado ao que se passou dentro das quatro linhas.

A formação serrana apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por João Dias, Zarabi, Joel e Paulo Henrique, ficando Gilberto e Diarra mais recuados no meio campo, com Fatai, Índio e Reinildo no apoio ao avançado Erivelto. Este encontro até começou com um lance digno de registo, porque logo no minuto inaugural, Cazonatti cabeceou para uma defesa de Igor Rodrigues a dois tempos, contudo, depressa a partida se arrastou para características monótonas, que são muito boas para os apaixonados pelas questões tácticas, mas pouco apelativas para quem gosta de emoção no jogo. Com os sectores defensivos a superiorizarem-se claramente às iniciativas atacantes, tornou-se necessário aguardar pelos instantes finais da primeira parte para voltarmos a ver acções perigosas para as balizas: aos 40 minutos, Erivelto cruzou da direita para Índio surgir na cara do guardião Tom, só não fazendo golo devido a uma derradeira intervenção de um opositor; e aos 44 minutos, Abou Touré possibilitou o cabeceamento de Vinicius (o melhor marcador do campeonato) para boa defesa de Igor Rodrigues.

Índio sente a oposição de Vasco Coelho

A etapa complementar revelou duas equipas mais rematadoras, com Marcos Barbeiro a atirar para intervenção segura de Igor Rodrigues, respondendo os serranos através de um remate de Reinildo para um também seguro Tom. Aos 65 minutos, o conjunto de Massamá-Queluz teve uma boa oportunidade para inaugurar o marcador, quando na sequência de um canto, a bola sobrou para o desvio de Cazonatti, que apenas foi travado pelos excelentes reflexos do guarda-redes Igor Rodrigues. O treinador José Augusto, que continua sem perder na prova (três vitórias e cinco empates) com as cores covilhanenses, foi mexendo no seu conjunto e o certo é que os locais estiveram mais pressionantes no último quarto de hora, com o recém-entrado Adul Seidi a cabecear torto em plena área visitante aos 82 minutos. No derradeiro lance do encontro, Erivelto ainda tentou a sua sorte de longe, mas a bola saiu à figura de Tom, que segurou um ponto para o Real SC. O Covilhã não conseguiuassim ganhar o jogo, no entanto, elevou para oito o número de jornadas consecutivas sem perder, o que é sempre motivo de saliência, seguindo-se uma deslocação ao terreno do Cova da Piedade no próximo domingo.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20172018/ledmanligapro/14/3

Actualizado em Segunda, 27 Novembro 2017 10:02
 

Comentar


Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1303486