História do Sporting Clube da Covilhã
SC Covilhã 0 CD Feirense 2
Sábado, 27 Fevereiro 2021 00:00

Léo Cá progride com a bola

Perante uma arbitragem polémica de João Malheiro Pinto, o Sporting Clube da Covilhã foi derrotado por 0-2 pelo Clube Desportivo Feirense no Estádio Santos Pinto, terminando assim uma sequência de três jogos sempre a pontuar, o que também significa o primeiro desaire de Bizarro no comando técnico do nosso clube.

A partida teve um começo movimentado, com uma formação serrana mais perigosa, criando dois lances dignos de registo em poucos instantes: aos 3 minutos, Gleison assinou uma boa jogada indivídual, mas depois esbarrou na oposição do guardião Bruno Brígido; e no minuto seguinte, Bernardo Martins atirou para uma defesa eficaz de Brígido. A reacção do Feirense foi mais visível aos 18 minutos, quando um livre cobrado por Feliz na esquerda obrigou o guarda-redes Léo Navacchio a afastar a redonda da sua baliza. Aos 25 minutos surgiram os primeiros protestos locais com o árbitro, visto que Gleison foi empurrado na área forasteira, no entanto, João Malheiro Pinto não entendeu haver motivo para castigo máximo. Com o progredir da primeira parte, o emblema de Santa Maria da Feira assumiu o seu estatuto de candidato à subida e delineou uma série de acções problemáticas para a defensiva serrana: aos 28 minutos, um passe de Marcus colocou a redonda disponível para Feliz rematar para uma intervenção muito complicada de Léo Navacchio; aos 35 minutos, um livre directo de João Tavares levou a bola a passar a escassos centímetros da baliza covilhanense; e aos 45 minutos, após duas boas defesas de Léo, o árbitro considerou que a gritaria de Mica era merecedora de pontapé de penálti num lance com David Santos, o que originou a indignação das hostes locais, porém, João Malheiro Pinto não voltou atrás na decisão e Fabrício Simões aproveitou para adiantar o Feirense no marcador.

No período complementar, os pupilos de Bizarro procuraram evitar a derrota, mas as suas intenções sofreram forte contrariedade aos 55 minutos, visto que a bola rematada pelo nigeriano Marcus teve um desvio decisivo na defensiva local e só parou no fundo das redes de Léo, aumentando desta forma a diferença no "placard". Mesmo assim, o Covilhã não desistiu do seu esforço e volvidos alguns instantes foi o guardião Brígido que impediu o êxito do remate de Gleison, impossibilitando assim a redução da desvantagem local. Com o passar do tempo, o jogo foi ficando mais controlado pelos visitantes, com o onze covilhanense a construir somente mais uma iniciativa perigosa, quando aos 80 minutos, o brasileiro Wendel atirou ao lado em posição favorável para fazer melhor, o que deixou o resultado final em 0-2. O Sporting da Covilhã volta a competir na quarta-feira, dia em que receberá o Académico de Viseu no Estádio Santos Pinto.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de jogo: https://www.ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20202021/ligaportugalsabseg/22/3

Actualizado em Sábado, 27 Fevereiro 2021 17:12
 
António Simões dos Reis
Terça, 23 Fevereiro 2021 00:00

António Simões dos Reis nasceu na vila o Tortosendo a 01 de Dezembro de 1920, tendo iniciado o seu percurso futebolístico no SL Tortosendo, rumando depois ao SL Castelo Branco, antes de ingressar no Sporting da Covilhã na temporada 1940/1941. António Simões dos Reis envergou a camisola serrana durante oito épocas e jogava no meio campo, recuando mais tarde para o sector defensivo, sendo sempre Campeão Distrital com as nossas cores, que naquele tempo servia de acesso às provas nacionais. Na sua última época no conjunto covilhanense, António Simões dos Reis ajudou o nosso clube a conquistar o título de Campeão Nacional da 2ª Divisão, que garantiu a inédita subida ao escalão primodivisionário. Que recordações permanecem das exibições de António Simões dos Reis com o emblema serrano?

Actualizado em Terça, 23 Fevereiro 2021 09:35
 
Varzim SC 1 SC Covilhã 2
Segunda, 22 Fevereiro 2021 00:00

Passados mais de três meses, o Sporting Clube da Covilhã voltou a conhecer o sabor de uma vitória na Segunda Liga, com um êxito que foi alcançado no terreno do Varzim Sport Club por 1-2, onde a nossa equipa conseguiu uma preciosa vantagem de duas bolas durante a primeira parte.

Entrou muito bem no jogo a formação serrana, que no quarto de hora inaugural assinou dois golos: aos 12 minutos, na sequência de um canto, o guardião Ricardo Nunes afastou a bola para um remate espectacular de Gilberto de fora da grande área, assinando assim o primeiro tento visitante; e aos 15 minutos, Jean Felipe cruzou da direita para Enoh atirar certeiro para as redes locais, alargando desta forma a vantagem covilhanense no marcador. A resposta varzinista não demorou a surgir por Agdon, mas Tiago Moreira teve uma intervenção providencial para evitar que a bola entrasse na baliza de Léo Navacchio. A restante etapa inicial foi bem controlada pelo onze serrano, que não permitiu mais ameaças sérias às suas redes, o que possibilitou a manutenção da diferença de dois tentos para o período de descanso.

O segundo tempo começou da pior maneira para os comandados de Bizarro, que logo nos momentos iniciais viram o Varzim a reduzir a desvantagem por intermédio de Luís Pedro, que foi eficaz após um cruzamento de Fatai na sequência de um canto. Este golo motivou bastante o conjunto poveiro, que fez o Covilhã passar por muitas dificuldades durante algum tempo, valendo as excelente defesas de Léo Navacchio para impedir o empate, principalmente aos 48 minutos, a remate de André Leão, e aos 62 minutos, em dose dupla a iniciativas dos jogadores locais. Pelo meio, os serranos também importunaram o guarda-redes Ricardo, que foi obrigado a uma intervenção para evitar o sucesso do remate de Bernardo Martins. Aos 68 minutos, novo lance perigoso na área forasteira, com Patrick a ficar perto de encostar a redonda na baliza adversária, mas os serranos não demoraram a responder em contra ataque, com Enoh a rematar um pouco por cima das redes nortenhas. Os instantes finais foram de grande pressão varzinista, porém, a defensiva covilhanense esteve em bom plano e conseguiu segurar a vantagem até ao derradeiro apito do árbitro Cláudio Pereira. O treinador José Bizarro permanece assim sem perder no comando técnico do Sporting da Covilhã, tendo colocado um ponto final na série de nove partidas consecutivas sem os serranos vencerem no campeonato, conseguindo agora uma diferença mais visível para a zona de despromoção, antes da recepção ao Feirense no próximo sábado.

Texto: Eugénio Lopes

Ficha de jogo: https://www.ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20202021/ligaportugalsabseg/21/8

Actualizado em Segunda, 22 Fevereiro 2021 20:52
 
SC Covilhã 2 CD Mafra 2
Quinta, 18 Fevereiro 2021 00:00

Filipe Cardoso cabeceia para o primeiro golo serrano

Ainda não foi neste jogo que o Sporting Clube da Covilhã regressou aos triunfos, visto que não foi além de um empate a duas bolas diante do Clube Desportivo de Mafra, estando até muito perto de ser derrotado, porque o golo que salvou um ponto foi obtido em cima dos 90 minutos.

Com o vento e a chuva a marcarem presença no Estádio Santos Pinto, o primeiro momento de felicidade pertenceu à formação visitante aos 8 minutos, quando após um canto na esquerda, a bola sobrou para o cabeceamento oportuno de Rodrigo Martins, que assim colocou o Mafra na dianteira do marcador. Perante o tento sofrido, os comandados de Bizarro tiveram de correr em busca de outro resultado, mas revelaram mais uma vez grandes dificuldades no sector atacante, não desenhando qualquer jogada de evidente perigo para as redes forasteiras. As bolas paradas assumiam o maior protagonismo no encontro e foi desta forma que a equipa covilhanense chegou à igualdade aos 41 minutos, com Gleison a cobrar um canto na direita para Filipe Cardoso cabecear com êxito e fixar o 1-1 para o tempo de descanso.

A segunda parte começou com lances problemáticos junto das duas balizas, porém, o conjunto serrano apresentava-se mais dinâmico e com capacidade para importunar seriamente os adversários, como aconteceu aos 59 minutos, em que Enoh atirou para uma grande defesa de Carlos Henriques. Aos 62 minutos foi Léo Cá que assinou uma bela iniciativa, que só pecou na direcção do remate, ao acertar na malha exterior da baliza mafrense. E com a partida a revelar sinal mais para o onze serrano, foi o Mafra que se voltou a adiantar no "placard" aos 76 minutos, com Andrezinho a rubricar um remate forte e colocado para as redes locais. Cenário complicado para os anfitriões, que não demoraram a procurar uma realidade diferente da derrota, estando perto de garantir esse objectivo em duas situações: aos 83 minutos, na sequência de um livre, a redonda cabeceada por Jaime foi devolvida pelo poste; e aos 89 minutos, o guardião Carlos Henriques conseguiu evitar que a bola chegasse à cabeça de Enoh quase em cima da linha de baliza. O prémio para o esforço covilhanense surgiu em cima dos 90 minutos, com André Almeida a cabecear para o 2-2 num pontapé de canto apontado por Gleison na direita. Passados alguns instantes, o árbitro Hugo Silva apitou para o final do jogo, com o Sporting da Covilhã a somar o nono encontro seguido sem uma vitória na Segunda Liga, continuando assim numa zona difícil da tabela classificativa, sendo a próxima partida no campo do Varzim SC, precisamente um dos emblemas que está atrás dos serranos.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de jogo: https://www.ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20202021/ligaportugalsabseg/13/7

Actualizado em Quinta, 18 Fevereiro 2021 14:58
 
Amian
Terça, 16 Fevereiro 2021 00:00

O costa-marfinense Amian chegou ao futebol português na época 2010/2011 para envergar a camisola do Sporting da Covilhã, tendo oportunidade de jogar na 2ª Liga ainda com idade para o escalão júnior. Na temporada seguinte, o jovem Amian continuou a demonstrar as suas qualidades, quer a extremo, quer a defesa lateral, actuando no campeonato, na Taça de Portugal e na Taça da Liga, mas sem o protagonismo desejado rumou ao Anadia FC, regressando ao emblema serrano na época 2013/2014. Amian não foi muito utilizado nesta segunda passagem pelo nosso clube, acrescentando apenas mais nove jogos pela equipa covilhanense, o que elevou para 21 o total de partidas em que participou pela formação serrana. A carreira de Amian prosseguiu depois por CDR Moimenta da Beira, Lusitano de Vildemoínhos, AD Nogueirense, SC Praiense, FC Vizela e Varzim SC. Que recordações guardam de Amian com o emblema covilhanense?

Actualizado em Terça, 16 Fevereiro 2021 09:40
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 1 de 201
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 2274956