História do Sporting Clube da Covilhã
Julinho
Terça, 16 Outubro 2018 00:00

Júlio Sérgio Dibiase, mais conhecido por Julinho, nasceu em São Paulo (Brasil) a 19 de Setembro de 1953. Iniciou a sua carreira nas camadas jovens do Flamengo, onde foi campeão júnior, um êxito que voltou a saborear na equipa principal do emblema rubro-negro em 1974, juntamente com o famoso Zico. Em 1976, Julinho transferiu-se para o Atlético Mineiro, em que foi campeão estadual, passando depois pela Venezuela, onde jogou pelo Clube Deportivo Portugués. Regressado ao Brasil, e quando estava na Associação Desportiva Niterói, Julinho recebeu um convite do treinador José Domingos para ingressar no Sporting da Covilhã, onde permaneceu apenas na época 1980/1981, na qual foi considerado o melhor jogador da época e marcador da equipa. Julinho era um extremo esquerdo que espalhava magia com os seus dribles, aparecendo muitas vezes como finalizador. Realizou no clube serrano 25 jogos e marcou oito golos no campeonato, enquanto na Taça de Portugal efectuou três jogos. Na época seguinte assinou pelo União de Coimbra, regressando depois ao Brasil. Que recordações ficaram das exibições de Julinho?

Actualizado em Terça, 16 Outubro 2018 08:43
 
Mário Jorge Figueira
Terça, 09 Outubro 2018 00:00

Mário Jorge Figueira terminou o percurso formativo nos juniores do Recreio de Águeda, estreando-se no patamar sénior no ADCR Oiã, um emblema com presença habitual no campeonato distrital da Associação de Futebol de Aveiro. A chegada de Mário Jorge ao Sporting da Covilhã verificou-se através da Universidade da Beira Interior e teve lugar na época 1994/1995, com o nosso clube a disputar a Série C da 3ª Divisão Nacional. Mário Jorge jogava preferencialmente a meio campo, tendo participado em 15 encontros oficiais com a camisola serrana, nos quais apontou um golo (no empate 2-2 com o Mealhada no Estádio José Santos Pinto), contribuindo assim para a subida do conjunto covilhanense à 2ª Divisão B, em virtude do 2º lugar alcançado no final do campeonato. Na temporada seguinte, Mário Jorge regressou à sua região de origem para prosseguir a carreira por vários clubes, concretamente, ADCR Oiã, Recreio de Águeda, LAAC e AD Valonguense. Que lembranças permanecem de Mário Jorge na formação serrana?

Actualizado em Terça, 09 Outubro 2018 08:41
 
SC Covilhã 0 FC Penafiel 0
Sábado, 06 Outubro 2018 00:00

Rick Sena pressionado por Luís Dias

O Sporting Clube da Covilhã elevou para quatro o número de jogos consecutivos sem conseguir vencer na Ledman LigaPro, embora nesta jornada tenha alcançado um ponto, resultante do nulo registado na recepção ao Futebol Clube de Penafiel, isto, numa partida sem demasiados motivos de interesse.

O conjunto covilhanense apresentou-se em campo com Vítor São Bento na baliza, acompanhado na defensiva por Gilberto, Jaime Simões, João Cunha e Henrique Gomes, com o meio campo ocupado por Rafael Vieira, Caio Quiroga e Makouta, ficando o ataque entregue a Adriano Castanheira, Rick Sena e Onyeka. A fase inicial da partida revelou uma formação forasteira com uma postura mais atacante, assumindo a maior parte das iniciativas de jogo, porém, sem conseguir elaborar lances de perigo junto das redes locais, visto que a defensiva serrana demonstrou sempre muita atenção. Do lado dos comandados de Dito, o foco estava ligado para as acções de contra ataque, como aconteceu aos 11 minutos, em que Adriano tentou surpreender o guardião José Costa com um remate inesperado. Depois de tanto procurar a área contrária, somente aos 26 minutos é que o Penafiel assinou uma jogada digna de registo, pois, Ludovic surgiu em boa posição e atirou para uma intervenção eficaz do guarda-redes São Bento. Os momentos finais da primeira parte foram mais movimentados e a emoção cresceu, com Rick Sena a rematar para uma grande defesa de José Costa, respondendo o experiente Pires com um desvio contra um defensor local na pequena área.

Makouta procura escapar a Tiago Ronaldo

Na etapa complementar, o Covilhã teve uma forte entrada e ameaçou inaugurar o marcador logo aos 46 minutos, quando o remate de Makouta sofreu um desvio num defesa penafidelense e foi directo ao poste da baliza visitante. Volvidos alguns minutos, os serranos voltaram a criar perigo, agora com Rick Sena a acertar nas malhas laterais após um cruzamento de Makouta. A pouco e pouco, o Penafiel equilibrou a partida, no entanto, foi novamente o emblema covilhanense a estar perto do golo aos 67 minutos, quando na sequência de uma jogada confusa, a bola sobrou para Onyeka rematar para boa intervenção de José Costa. Com as substituições operadas pelo treinador Armando Evangelista, os penafidelenses voltaram a tomar conta do encontro e a redonda passou a rondar mais a baliza anfitriã, como num remate ao lado rubricado por Vasco Braga e num cabeceamento por alto de Luís Pedro. A derradeira tentativa dos visitantes conquistarem os três pontos aconteceu aos 88 minutos, com Yuri a atirar de longe para defesa segura de São Bento, que assim garantiu o 0-0 como resultado final, selado com o último apito do árbitro Manuel Mota. Com esta igualdade, o Sporting da Covilhã permanece na zona baixa da tabela classificativa, somando apenas um ponto nas derradeiras quatro jornadas, resultante de um empate e três derrotas, desejando-se que possa vencer quando regressar o campeonato, que vai estar parado nos próximos dois fins de semana.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20182019/ledmanligapro/6/3

Actualizado em Segunda, 08 Outubro 2018 08:57
 
Janício
Terça, 02 Outubro 2018 00:00

O cabo-verdiano Janício salientou-se pelas suas actuações com a camisola do CDAB Tarrafal, onde justificou a atenção do futebol português, nomeadamente, do Estrela da Amadora, que o contratou para defesa direito na época 2001/2002. No entanto, Janício não chegou a efectuar qualquer jogo no emblema estrelista, rumando depois ao Torreense, no qual voltou a estar em bom nível, ao ponto de ser recrutado pelo Vitória de Setúbal, tendo actuado quatro temporadas consecutivas na 1ª Liga e ajudado a conquistar a Taça da Liga. Depois do clube sadino, Janício optou pelo campeonato do Chipre, no qual brilhou durante três épocas ao serviço do Anorthosis Famagusta. Em 2013/2014, o internacional AA por Cabo Verde assinou pelo Sporting da Covilhã a meio da temporada, tendo participado em 11 partidas oficiais pelos serranos, com Janício e colegas a conseguirem a permanência na 2ª Liga. O ponto final na carreira de Janício seria colocado no Pinhalnovense, onde jogou duas épocas no Campeonato de Portugal. Que outras memórias existem das arrancadas de Janício no corredor direito?

Actualizado em Terça, 02 Outubro 2018 08:49
 
FC Cesarense 1 SC Covilhã 2 (após prolongamento)
Domingo, 30 Setembro 2018 00:00

O Sporting Clube da Covilhã necessitou de prolongamento para afastar o Futebol Clube Cesarense na 2ª eliminatória da Taça de Portugal, visto que no final dos noventa minutos o empate a uma bola era o resultado, que somente foi alterado aos 113 minutos através de um golo apontado por Rick Sena, que assim colocou o nosso clube na próxima ronda da competição.

Os momentos iniciais do jogo foram prometedores, com ambas as formações a protagonizarem lances de perigo, surgindo o tento inaugural aos 16 minutos para o Cesarense, numa jogada finalizada com um cabeceamento oportuno de Chapinha. Os covilhanenses tentaram uma reacção imediata à desvantagem no marcador, mas pela frente encontraram um conjunto muito empolgado e apostado em demonstrar a qualidade competitiva do terceiro escalão do futebol português, por isso, o guardião Raphael Mello apenas teve trabalho complicado num remate de Adriano Castanheira. Posteriormente, o brasileiro Deivison chegou a introduzir a bola nas redes locais, porém, o lance foi anulado pelo árbitro Rui Oliveira devido a fora de jogo. Ao intervalo: 1-0.

Para a segunda parte, os pupilos de Dito regressaram com uma dinâmica diferente e a bola passou a perturbar mais o sector defensivo do emblema local, com o empate a ser uma realidade aos 72 minutos, com o recém-entrado Onyeka a atirar certeiro após Deivison ter acertado na barra. Pensou-se que o Covilhã continuaria a dominar em busca do triunfo, contudo, o encontro não foi bem nesse sentido, visto que as duas equipas tiveram oportunidades para garantir o golo da vitória, que só não aconteceu devido às boas intervenções dos guarda-redes Raphael Mello e Vítor São Bento, provocando desta forma a necessidade de prolongamento. Aos 90 minutos: 1-1.

No tempo extra, quer Onyeka, quer Chapinha, ameaçaram mexer no "placard", mas tal somente aconteceria aos 113 minutos, quando o nigeriano Onyeka assinou uma acção que permitiu a Rick Sena a conclusão desejada pelos serranos para o 1-2. O conjunto local ainda procurou chegar ao empate que possibilitasse o desempate por pontapés da marca de penálti, porém, os covilhanenses revelaram segurança na defesa de preciosa vantagem, que foi definitivamente selada pelo último apito do árbitro. O Sporting da Covilhã fica agora a aguardar o sorteio da 3ª eliminatória, que será disputada preferencialmente no terceiro fim de semana de Outubro.

Texto: Eugénio Lopes.

Actualizado em Domingo, 30 Setembro 2018 20:00
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 1 de 160
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1516725