História do Sporting Clube da Covilhã
Tayob
Terça, 11 Fevereiro 2020 00:00

O moçambicano Tayob chegou ao futebol português, já com 30 anos de idade, através do Sporting da Covilhã, sendo uma das aquisições do nosso clube para a época 1976/1977, que se encontrava a competir na Zona Centro da 2ª Divisão Nacional, com proveniência do SC Lourenço Marques (actual CD Maxaquene). Na única temporada em que representou o emblema serrano, o avançado Tayob participou em 23 jogos oficiais, nos quais rubricou seis golos, ajudando desta forma a equipa covilhanense a alcançar o 4º lugar no escalão secundário. Tayob rumou depois ao Académico de Viseu, que ajudou a subir à 1ª Divisão Nacional, envergando ainda a camisola do GD Mangualde, onde contribuiu para a ascensão à 2ª Divisão Nacional, e do Santacombadense. Que recordações permanecem das actuações de Tayob no onze serrano?

Actualizado em Terça, 11 Fevereiro 2020 10:53
 
UD Vilafranquense 1 SC Covilhã 0
Domingo, 09 Fevereiro 2020 00:00

O Sporting Clube da Covilhã não conseguiu conquistar qualquer ponto na deslocação ao terreno da União Desportiva Vilafranquense, com o resultado a ser estabelecido através de um golo madrugador de Rafael Furlan, que fixou o 1-0 no marcador do Estádio Municipal de Rio Maior logo aos 6 minutos de jogo.

Na luta pela manutenção na LigaPro, a formação ribatejana entrou muito bem nesta partida, que assinalava a estreia de Armando Evangelista no seu comando técnico, e deu o primeiro sinal de perigo aos 2 minutos, quando Ulisses rematou forte ao lado das redes serranas. No entanto, aos 6 minutos, os locais tiveram a pontaria mais afinada, visto que na sequência de uma jogada de Wilson, a bola sobrou para Furlan atirar certeiro em zona frontal, assinando aquele que seria o único tento do encontro. O conjunto covilhanense procurou inverter o rumo do jogo e procurou o empate, porém, sem apresentar argumentos demasiado problemáticos para a defensiva do Vilafranquense, que nem chegou a ver a baliza de Josviaki em sérios perigos. Mesmo com a partida numa situação de equilíbrio foram os anfitriões que proporcionaram trabalho ao guarda-redes Carlos Henriques, que foi obrigado a duas intervenções atentas para manter a diferença mínima até ao tempo de descanso. Ao intervalo: 1-0.

Na segunda parte, o onze dirigido por Daúto Faquirá surgiu com outra dinâmica e conseguiu ser superior no jogo, contudo, continuando a revelar dificuldades em terrenos atacantes, o que fazia com que o guardião Josviaki não tivesse muito trabalho. Com a entrada de Gui, os visitantes mostraram outra capacidade rematadora, pois, o n.º 80 por duas vezes fez a redonda passar perto da baliza local. A pressão covilhanense em busca da igualdade abriu espaços para o contra ataque do emblema de Vila Franca de Xira, que teve oportunidades para aumentar a contagem, mas sem sucesso na hora de finalizar as jogadas. Já nos instantes finais, os serranos ameaçaram alcançar o desejado golo do empate, porém, Josviaki esteve em grande plano e rubricou uma defesa que valeu a vitória, pois, o árbitro Tiago Martins deu o encontro como concluído quase de imediato. O Sporting da Covilhã está agora a sete pontos da zona de promoção à 1ª Liga, recebendo no próximo domingo o Académico de Viseu em jogo a contar para a 21ª jornada do campeonato.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de jogo: https://www.ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20192020/ligapro/20/4

Actualizado em Domingo, 09 Fevereiro 2020 17:50
 
Pedro Delgado
Quarta, 05 Fevereiro 2020 00:00

Depois de completar os escalões de formação no Sporting CP, Pedro Delgado teve a sua estreia a nível sénior no UD Rio Maior, onde permaneceu durante duas épocas, antes de ser apresentado como reforço do Sporting da Covilhã para a temporada 1982/1983. Pedro Delgado actuava preferencialmente no sector intermediário e esteve duas épocas no nosso clube, tendo envergado a camisola serrana em 47 jogos oficiais, nos quais apontou três golos, sempre com o emblema covilhanense a disputar a Zona Centro da 2ª Divisão Nacional. Pedro Delgado jogou depois por diversas equipas de Norte a Sul de Portugal, nomeadamente, Torreense, GD Peniche, Vasco da Gama de Sines, Vianense, SC Lamego, Mirense, Mogadourense, UD Rio Maior, Bucelenses e Alhandra SC, deixando certamente memórias das suas exibições com o equipamento covilhanense… 

Actualizado em Quarta, 05 Fevereiro 2020 09:45
 
SC Covilhã 1 UD Oliveirense 0
Segunda, 03 Fevereiro 2020 00:00

Kukula pressionado por dois adversários

Após duas jornadas seguidas sem vencer, o Sporting Clube da Covilhã voltou a sentir o gosto de uma vitória nesta partida com a União Desportiva Oliveirense, com o único golo do encontro a ser apontado pelo cabo-verdiano Kukula aos 70 minutos, que converteu correctamente um pontapé de penálti.

O onze covilhanense apresentou-se em campo com Carlos Henriques na baliza, acompanhado na defensiva por Tiago Moreira, Brendon, Jaime Simões e Agostinho Soares, estando o meio campo entregue a Filipe Cardoso, Rodrigo Martins, Gilberto e Jean Batista, ficando Mica Silva no apoio directo ao avançado Kukula. A fase inicial deste jogo revelou-se pouco atractiva para os espectadores, visto que a bola andou quase sempre na zona intermediária, o que permitiu que Carlos Henriques e Coelho fossem tendo uma noite tranquila na defesa das suas balizas. O primeiro lance de perigo aconteceu apenas aos 27 minutos, quando na sequência de um canto, Jaime cabeceou para Brendon rematar para intervenção muito difícil de Coelho. Esta acção acabou por ser uma excepção em toda a primeira parte, pois a monotonia regressou quase de imediato à partida e prolongou-se até ao tempo de descanso, somente com uma ténue quebra aos 42 minutos, em que Paraíba atirou por alto na área serrana. Ao intervalo: 0-0.

A etapa complementar parecia seguir no mesmo sentido, algo que só foi invertido aos 59 minutos, quando Oliveira viu o cartão vermelho por derrubar Mica, que ficaria isolado diante de Coelho, o que levou o árbitro Sérgio Guelho a decidir-se por deixar a formação visitante redmuzida a dez unidades. Os serranos pressionaram então em busca do golo e assinaram uma séria ameaça aos 68 minutos, com Kukula a cabecear para defesa de Coelho, sobrando a redonda para a recarga do avançado local ainda raspar na barra. No entanto, o tento covilhanense não demorou a ser uma realidade, visto que aos 70 minutos foi assinalado um castigo máximo por Michael Douglas cortar com o braço uma iniciativa do recém entrado Gui, sendo devidamente concretizado por Kukula para alegria dos adeptos serranos. Mesmo em inferioridade numérica, a Oliveirense teve uma boa reacção e só não festejou o empate porque Jaime desviou para canto o remate rasteiro de Filipe Gonçalves aos 79 minutos. Contudo, a vantagem anfitriã não voltaria a sofrer tão evidente ameaça, pertencendo mesmo aos comandados de Daúto Faquirá as melhores ocasiões para mexer no marcador, pois, Rodrigo António, em duas situações, e Mica, numa, estiveram perto de dilatar a diferença, mas a eficácia de Coelho e a má pontaria impediram esse objectivo, ficando o resultado final em 1-0. Estes três pontos colocam o Sporting da Covilhã no 4º lugar da LigaPro, seguindo-se uma deslocação ao terreno do Vilafranquense no próximo domingo.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de jogo: https://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20192020/ligapro/19/8

Actualizado em Terça, 04 Fevereiro 2020 09:58
 
Isima
Terça, 28 Janeiro 2020 00:00

Isima chegou ao futebol português para representar Os Belenenses, que na altura militava na Zona Sul da 2ª Divisão Nacional, jogando depois pelo União da Madeira no mesmo escalão. As exibições de Isima no meio campo dos azuis do Restelo e no onze madeirense chamaram a atenção do Vitória de Guimarães, que contratou o médio nigeriano para actuar na principal divisão do futebol nacional. Depois de uma época no emblema vimaranense, Isima rumou ao Sporting da Covilhã na temporada 1985/1986, com o nosso clube acabado de chegar à 1ª Divisão Nacional. Isima participou somente em sete partidas oficiais com a camisola serrana, numa época em que a formação covilhanense não escapou à descida de divisão, apesar de algumas boas exibições ao longo do campeonato, como por exemplo na vitória por 2-0 sobre o FC Porto no Estádio Santos Pinto, precisamente um jogo em que o médio nigeriano foi titular. Tal como o emblema covilhanense, também Isima regressou ao escalão secundário, agora para jogar pelo Estrela da Amadora e depois pelo CD Cova da Piedade. Que recordações ficaram de Isima com as cores serranas?

Actualizado em Terça, 28 Janeiro 2020 09:49
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 7 de 191
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 2128732