História do Sporting Clube da Covilhã
SC Covilhã 1 FC Arouca 0
Sábado, 30 Setembro 2017 00:00

Índio pressiona Bruno Alves

Depois de cerca de um mês e meio sem qualquer vitória, o Sporting Clube da Covilhã aproveitou a recepção ao Futebol Clube de Arouca para voltar a saborear um triunfo, com o golo apontado pelo brasileiro Índio aos 25 minutos a fazer toda a diferença na conquista dos três pontos, que permitem ao nosso emblema ascender lugares na tabela classificativa.

A formação serrana apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por João Dias, Zarabi, Joel e Paulo Henrique, ficando Djikiné e Gilberto mais recuados no meio campo, com Fatai, Índio e Hudson no apoio ao avançado Erivelto. Este jogo teve uma fase inicial marcada pelo equilíbrio e por uma quase inexistência de lances perigosos, visto que os sectores mais recuados tiveram supremacia sobre as iniciativas atacantes das duas equipas. Este cenário apenas foi quebrado aos 25 minutos, quando um contra ataque conduzido por Fatai levou a bola até Erivelto, que efectuou o passe para o desvio triunfal de Índio, originando uma onda de festejos no Complexo Desportivo. O tento serrano teve o condão de agitar a partida, o que possibilitou acções de maior interesse do ponto de vista emotivo, começando numa iniciativa de Erivelto que fez a redonda ameaçar as redes defendidas por Bracali. O Arouca também procurou mais as redes locais, merecendo destaque o lance ocorrido aos 42 minutos, em que Ericson cabeceou por cima da baliza adversária, não evitando assim a vantagem covilhanense para o tempo de descanso. Ao intervalo: 1-0.

Igor Rodrigues domina nas alturas

Para a segunda parte, o treinador visitante, Miguel Leal, operou duas substituições no seu onze, no entanto, foram os anfitriões que se apresentaram mais perigosos em acções de contra ofensiva, pois, aos 55 minutos, Índio obrigou Bracali a boa intervenção, sobrando a bola para Erivelto cabecear por alto, e aos 65 minutos, Fatai cruzou para Hudson rematar contra um opositor em plena área arouquense. Com o progredir do relógio, o conjunto forasteiro tornou-se mais rápido e dispôs de duas ocasiões para igualar o encontro: aos 74 minutos, Barnes isolou Roberto na área serrana, mas o avançado português rematou cruzado junto ao poste; e aos 78 minutos, novamente Roberto a fugir às atenções locais, porém, agora para acertar nas malhas pela parte de fora. Os derradeiros instantes do jogo foram passados com o Arouca a atacar e com o Covilhã a defender, mas com os anfitriões a responderem bem em contra ataque, como aconteceu aos 90+4 minutos, em que Hudson correu sozinho para a baliza adversária, contudo, atirou por alto quando viu Bracali pela frente, provocando o desespero nos apoiantes locais. No entanto, o último apito do árbitro Fábio Veríssimo não demorou a acontecer, selando o 1-0 como resultado final, o que significa que o técnico José Augusto continua sem perder na Ledman LigaPro com as cores serranas, somando uma vitória e dois empates, numa altura em que o Sporting da Covilhã só voltará a jogar no dia 21 de Outubro, tendo uma deslocação ao terreno da equipa B do SC Braga.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20172018/ledmanligapro/9/4

Actualizado em Segunda, 02 Outubro 2017 09:17
 
SL Benfica B 1 SC Covilhã 1
Quarta, 27 Setembro 2017 00:00

O Sporting Clube da Covilhã continua sem vencer um jogo oficial desde do passado dia 19 de Agosto, no entanto, não deixa de ser um sinal positivo a conquista de um ponto na visita à equipa B do Sport Lisboa e Benfica, estando mesmo em vantagem no marcador durante alguns minutos, visto que Erivelto assinou o golo serrano aos 55 minutos, igualando os locais aos 62 minutos por Keaton Parks.

Esta partida começou por caracterizar-se pelo equilíbrio e por não apresentar lances de maior interesse, até porque a redonda passou muito tempo na zona intermediária, embora ambas as equipas tenham procurado a baliza contrária, porém, sem grande objectividade em terrenos atacantes. Sensivelmente a meio da primeira parte, a formação encarnada revelou mais posse de bola e empurrou com frequência os serranos para perto da sua área, obrigando o guardião Igor Rodrigues a algumas intervenções atentas, com destaque para o minuto 25, em que defendeu junto ao poste um cabeceamento perigoso de Kalaica. Já o Covilhã, procurava responder em contra ataque e aos 36 minutos também ameaçou as redes locais, quando Hudson atirou ao lado em boa posição na área benfiquista. Os derradeiros instantes da etapa inicial voltaram a ser mais repartidos e o nulo permaneceu mesmo até ao período de descanso. Ao intervalo: 0-0.

A etapa complementar revelou-se mais movimentada desde dos momentos iniciais, com os dois conjuntos a tentarem alcançar o golo inaugural, assumindo algum protagonismo o duelo entre Diogo Gonçalves e Igor Rodrigues, em que o guarda-redes covilhanense levou a melhor por duas vezes quase consecutivas. Do outro lado do relvado do Caixa Futebol Campus, Erivelto esteve mais certeiro aos 55 minutos, pois, finalizou correctamente um cruzamento de João Dias (boa jogada com Fatai) e colocou os serranos na dianteira do "placard". O Covilhã ganhou motivação e volvidos alguns instantes ameaçou aumentar a contagem por Índio, que efectuou um remate traiçoeiro para boa defesa de Zlobin para canto. Contudo, e com os forasteiros em bom plano, foi o SL Benfica B que alcançou o empate aos 62 minutos, quando Keaton Parks atirou rasteiro de fora da área para o fundo das redes adversárias, provocando os festejos dos adeptos encarnados presentes no Seixal. O encontro entrou depois numa fase de equivalência de valores e com um ritmo não tão acelerado, com ambas as equipas a beneficiarem de uma acção que poderia valer-lhes o triunfo: aos 81 minutos, um ligeiro desvio de cabeça de Erivelto fez a bola passar perto das redes lisboetas; e aos 90+1 minutos, o recém entrado Matheus Leal rematou para Igor Rodrigues defender para a frente. O último apito do árbitro Carlos Espadinha sentenciou o 1-1 como desfecho final, permanecendo assim o Sporting da Covilhã em zona de descida de divisão, todavia, este ponto poderá servir de motivação para o desejado regresso às vitórias já no próximo compromisso no sábado, dia da recepção ao FC Arouca.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20172018/ledmanligapro/8/2

Actualizado em Quarta, 27 Setembro 2017 16:03
 
Ricardo Rocha
Terça, 26 Setembro 2017 00:00

Ricardo Rocha começou a jogar futebol nas camadas jovens do Boavista, actuando posteriormente por Vilar do Pinheiro, Candal e Infesta, onde terminou os escalões de formação e ascendeu ao patamar sénior na antiga 2ª Divisão B. Ricardo Rocha envergou várias épocas a camisola do Infesta, com um interregno de uma temporada para representar o Pedrouços, rumando depois ao Pedras Rubras, Vila Meã, Desportivo de Chaves e Beira-Mar (com os aveirenses na 1ª Liga), antes de assinar pelo Sporting da Covilhã no Verão de 2011. Ricardo Rocha esteve ao serviço do nosso clube na época 2011/2012, com manutenção na 2ª Liga alcançada via secretaria devido ao colapso financeiro da União de Leiria, e meia temporada 2012/2013, regressando a partir de Janeiro ao conjunto flaviense. Ricardo Rocha jogava como defesa central e envergou o símbolo serrano em 60 jogos oficiais, nos quais apontou três golos, prosseguindo a sua carreira por diversos clubes, nomeadamente, Tondela, AD Oliveirense, Benfica e Castelo Branco e Salgueiros. Que recordações existem das exibições de Ricardo Rocha com a camisola covilhanense?

Actualizado em Terça, 26 Setembro 2017 08:42
 
FC Vizela 2 SC Covilhã 1
Domingo, 24 Setembro 2017 00:00

O Sporting Clube da Covilhã foi eliminado da Taça de Portugal logo na primeira ronda em que participou, visto ter sido derrotado por 2-1 no terreno do Futebol Clube de Vizela, uma das boas equipas do Campeonato de Portugal, num jogo em que os serranos chegaram a estar com duas bolas de desvantagem no marcador, minimizadas aos 90 minutos através de um golo do estreante Erivelto.

O conjunto local entrou muito forte na partida, causando de imediato sérios problemas à defensiva covilhanense, com o guardião Vítor São Bento a ter o papel de principal protagonista ao anular dois lances perigosos do Vizela. Depois deste impacto inicial, o Covilhã conseguiu equilibrar o encontro e aproximar-se paulatinamente da área adversária, embora sem qualquer acção ameaçadora para as redes defendidas por Rafa. E foi com este enquadramento que a formação minhota inaugurou o marcador aos 36 minutos por intermédio do defesa central Miguel Oliveira, que cabeceou com êxito na sequência de um canto cobrado por Nera. Os vizelenses ganharam ainda mais ânimo com o golo obtido e não demoraram a incomodar novamente Vítor São Bento, que foi obrigado a estar atento a uma iniciativa de João Paredes para evitar uma diferença maior antes do tempo de descanso. Ao intervalo: 1-0.

Para a segunda parte, o treinador José Augusto colocou Fatai em campo, numa tentativa de agitar o espaço atacante covilhanense, contudo, quem deu logo sinal de perigo foi o inevitável João Paredes, que atirou ao poste aos 47 minutos, demonstrando que os locais não estariam somente preocupados em segurar o resultado. Mesmo após a entrada de Erivelto, os serranos continuaram a evidenciar dificuldades em ultrapassarem a defensiva minhota, embora o ponta de lança brasileiro tenha conseguido alguma perturbação entre os opositores. Até que aos 81 minutos, e depois de outra ameaça momentos antes, João Paredes viu a sua exibição premiada com um golo, aumentando assim a vantagem do Vizela no "placard". Com um cenário de eliminação pela frente, ressalve-se uma boa reacção dos serranos nos derradeiros instantes da partida, em que Erivelto fixou o desfecho em 2-1 na cobrança de um livre directo, algo que ainda trouxe alguma emoção ao jogo antes do apito final do árbitro Hélder Malheiro. Este afastamento do Sporting da Covilhã da "prova rainha" foca toda a atenção para o campeonato, havendo jornada já na quarta-feira com uma deslocação ao campo da equipa B do SL Benfica.

Texto: Eugénio Lopes.

Actualizado em Domingo, 24 Setembro 2017 17:01
 
Jó-Jó
Terça, 19 Setembro 2017 00:00

João Carlos Nunes ficou conhecido nos meios futebolísticos por Jó-Jó, um guarda-redes que completou as camadas jovens no Sporting da Covilhã e integrou o plantel principal do nosso clube na temporada 1983/1984. Na estreia a nível sénior, Jó-Jó acabou por ter uma época de aprendizagem com os colegas mais experientes, com a formação serrana a disputar a Zona Centro da 2ª Divisão Nacional, onde alcançou um 4º lugar na tabela classificativa, salientando-se exibições colectivas de grande qualidade que proporcionaram resultados dilatados sobre alguns dos adversários que visitaram o Estádio José Santos Pinto. Nesta época em que Jó-Jó fez parte do grupo de trabalho do Sporting da Covilhã, o emblema serrano chegou à 4ª eliminatória da Taça de Portugal, sendo afastado pelo Torreense no jogo de desempate, e venceu a sua série do Torneio Complementar da 2ª Divisão da Federação Portuguesa de Futebol. Que lembranças permanecem das defesas de Jó-Jó com a camisola covilhanense?

Actualizado em Terça, 19 Setembro 2017 08:57
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 5 de 145
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1303441